20 praias fluviais para refrescar o verão em Portugal

De Norte a Sul, viajámos por todo Portugal à descoberta de algumas das praias fluviais e albufeiras mais agradáveis do país. Conheça 20 imperdíveis.

As Praias Fluviais portuguesas, ao contrário das suas congéneres marítimas, são ainda um filão relativamente inexplorado. Apesar de serem usadas pelas populações locais, a grande maioria mantém-se desconhecida para o comum turista. Mas não é por falta de qualidade: além das boas águas de e belas paisagens, as autarquias estão cada vez mais a apostar nestas infraestruturas. Se quer experimentar um verão original e bucólico, venha connosco à descoberta de 20 praias fluviais portuguesas imperdíveis.

    Azenha de Vilar de Mouros, Caminha

    No meio do verde minhoto, a Praia Fluvial da Azenha de Vilar de Mouros é um fresco recanto para enfrentar o verão. Já sinalizada pela Agência Portuguesa do Ambiente, está rodeada pela vegetação e a água é limpa e fresca. Além de um restaurante, tem ainda espaço para piqueniques.

    Praia do Carvalho, Albufeira do Ermal

    A lagoa formada na albufeira do Ermal foi uma das candidatas às 7 Maravilhas de Portugal. A cerca de 10 quilómetros de Braga, é bastante procurada pelos praticantes de desportos náuticos no Norte como o ski. Águas cristalinas e muito espaço nas margens para passeios e relaxe.

    Azibo, Macedo de Cavaleiros

    É na albufeira do Azibo que muitos transmontanos se refugiam do verão. Foi a primeira praia fluvial a receber Bandeira Azul e tem todos os serviços comuns nestes casos. Em redor a zona é Paisagem Protegida, tornado este recanto do norte particularmente belo.

    Congida, Freixo de Espada à Cinta

    Na margem do Douro e perto da fronteira com Espanha, tem margens relvadas e uma piscina flutuante. À beira rio espera-nos um bar com esplanada e no cais podemos apanhar um barco para um passeio no rio. Na encosta, as moradias do Douro Internacional recebem o visitante que quiser passar uns dias a olhar para esta paisagem

    20 praias fluviais para refrescar o verão em Portugal

    Rio Teixeira/Mesão Frio

    A corrente do Teixeira é aqui abrandada por uma represa que cria um espaço ótimo para nadar e mergulhar. O moinho local foi convertido em bar/esplanada e há um espaço para concertos e parque de merendas. Tanto a montante como a juzante, o Rio Teixeira é local de grande beleza, escolhido pelos amantes do canyoning.

    Lomba, Gondomar

    De regresso à margens do Douro, a praia fluvial da Lomba fica perto da pequena localidade homónima. Na margem há um areal de boa dimensão e um vasto espaço verde também utilizado para campismo. Entre serviços, água limpa e paisagem, tem o necessário para ser a única do Douro a obter a classificação de “Excelente”

    Rio Teixeira/Arões

    Na linha que separa os distritos de Aveiro e Viseu, o Teixeira é um dos rios melhor conservados da Europa. Ao longo do seu curso tem uma série de motivos de interesse como as piscinas naturais formadas pelos “poços”. Entre gargantas estreitas, pequenas lagoas e cascatas, é um paraíso ainda por descobrir pela maioria dos portugueses.

    Quinta da Azenha, Vila Nova de Paiva

    O Paiva tem águas de excelente qualidade e na Quinta da Azenha temos o local perfeito para um mergulho. O espaço não é muito grande, mas tem um agradável parque de merendas. Perto, a praia de Fráguas, é outro agradável e acolhedor recanto na margem do rio.

    Castro, Nandufe

    Não muito longe de Viseu e Tondela e facilmente acessível pelo IP3, o Rio Dinha forma pequenas lagoas e cascatas. Na praia do Castro há um parque de merendas, água potável e sombra para entreter o verão. Água de temperatura muito agradável e de boa qualidade, embora peque pela dificuldade de estacionamento.

    Penacova

    Reconquinho, Penacova

    No Mondego, em frente a Penacova, a praia do Reconquinho tem bandeira azul e qualidade da água a condizer. Podemos explorar a área pelos percursos pedestres, relaxar no bar ou aproveitar o campo de jogos. Com mergulhos para água a partir da ponte de madeira e passeios em canoa, é uma óptima base para explorar o rio Mondego.

    Loriga, Seia

    Loriga é uma das mais famosas praias fluviais nacionais e o enquadramento da paisagem merece a visita. Na Serra da Estrela a água é bastante fria, mas é tão pura e cristalina que o mergulho é irrecusável. Tem o galardão “Qualidade de Ouro” da QUERCUS.

    Malhadal, Proença-a-Nova

    Antes de chegar ao Zézere, a Ribeira de Isna faz uma pausa na beira da serra Alvéolos. A cerca de 20 quilómetros de Proença-a-Nova, a praia da Malhadal tem todas as estruturas e água de boa qualidade. Aluguer de barcos e gaivotas, uma piscina fluvial e muitos mergulhos ajudam a preencher a tarde passada entre o verde.

    Mosteiro, Pedrógão Grande

    Depois da calamidade que assolou a zona, com Mosteiro e Vila Facaia no meio do incêndio, importa não esquecer a qualidade das praias da região. A natureza e a normalidade voltarão ao ritmo habitual nos próximos meses e os fantásticos recantos à beira rio ainda lá estarão à nossa espera. Em Mosteiro, é a enorme área de banhos e o relvado em volta que convidam ao mergulho e descanso.

    Ortiga, Mação

    Servida pelo parque de campismo local e por uma bom conjunto de infraestruturas, esta praia fica na Barragem de Belver. A zona de banhos é uma plataforma flutuante, um ponto de vista excelente para os montes em volta. Canoagem, barcos a pedais, slide, rappel, escalada e pesca desportiva são algumas das atividades possíveis para além do mergulho.

    Patacão, Alpiarça

    Patacão é uma antiga aldeia de pescadores avieiros abandonada ao pé da qual vamos encontrar uma agradável praia fluvial. Apesar do aspeto tranquilo, com os salgueiros por companhia, tem uma corrente forte que obriga a ter cuidado. Além dos veraneantes, o Tejo recebe também uma série de aves e os apaixonados da natureza têm aqui muito para ver.

    Foz do Lizandro, Carvoeira

    Não muito longe da Ericeira, no fim do Lizandro temos um lado virado para o mar e outro para a foz. Muito extensa em qualquer uma das faces, oferece tanto as ondas para o surf como a calma do rio. Como é natural, apela aos praticantes das mais diversas modalidades desportivas, mas também ao descanso numa das suas esplanadas.

    Alamal, Gavião

    Entre as barragens de Belver e Gavião, o Tejo passa lento e a praia do Alamal tem águas bastante calmas. Nas verdes margens vamos encontrar sombras e percursos pedestres para explorar nos jardins do Alamal e até campos de jogos. Pratica-se canoagem e ski aquático e alugam-se barcos a pedais, enquanto o Tejo nos recebe de braços abertos.

    Tapada Grande, Mina de São Domingos

    São Domingos é uma antiga aldeia mineira hoje em dia felizmente recuperada para o turismo. Para além de sítios fantásticos como a Achada do Gamo, a praia fluvial (de tamanho considerável para a região), é um dos principais convites. Tem bandeira azul, muito verde em volta, algumas estuturas hoteleiras e parque de campismo, sendo hoje um dos polos do verão alentejano.

    Monsaraz

    É a principal novidade do verão de 2017 quando toca a praias fluviais e a região do Alqueva estava seriamente necessitada desta oferta. Inaugurada em Junho já com bandeira azul, tem as estruturas comuns: aluguer de barcos e gaivotas, bar e balneários. O quente verão alentejano já tem assim um novo local onde meter os pés de molho.

    Pego Fundo, Alcoutim

    O Algarve é sinónimo de praia mas raramente vamos para lá da beira-mar. A oferta de praias fluviais resume-se à praia de Pego Fundo em Alcoutim, mas é quanto basta. A água da ribeira de Cadavais é muito quente, até para os padrões algarvios, e é o local ideal para passar uma tarde de “molho”. Frequentado também por muitos turistas espanhóis devido à proximidade da fronteira, passar por aqui é também um convite a visitar o país vizinho.