Destinos da Água-pé: onde encontrar o vinho novo do São Martinho

Água-pé é o vinho novo que ainda não terminou o seu estágio. Nesta época é procurado pelos apreciadores e só se encontram nas localidades mais tradicionais.

“No dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”. Sabe que esta frase está relacionada com a prova do vinho novo, que ainda não terminou o estágio? A chamada água-pé?

Pois é. Terminadas as vindimas, em breve chega a água pé. É um vinho novo que ainda não terminou o seu estágio. Acompanha normalmente as tradicionais castanhas assadas que se consomem nesta altura do ano. É também muito procurada por apreciadores, mas só é possível encontrá-la nas localidades mais tradicionais, incluindo em feiras locais.

Uma celebração com 250 anos

É o caso da Feira das Mercês, na Rinchoa a “dois passos” de Lisboa. Ainda tem oportunidade para, entre 16 e 28 de Outubro, no recinto da Feira das Mercês, visitar este local. É uma das mais antigas feiras da região de Lisboa, realizando-se há mais de 250 anos.

A feira Saloia de Sintra tem sido, ao longo do tempo, um acontecimento com grande expressão em toda a região saloia a nível económico e social. Além de ser possível comprar os excessos das colheiras de produtos hortícolas e frutícolas da época, comprar sementes e plantas para as próximas sementeiras e plantações. Associada a tradições gastronómicas, é neste recinto que é provada a primeira água-pé do ano.

A água pé está muito associada ao São Martinho, 11 de novembro, a data que assinala o fim dos trabalhos agrícolas e também a chegada do outono. Os dias mais curtos, o tempo chuvoso, as folhas caídas, o cheio a castanhas assadas são a envolvente para a prova da primeira água-pé do ano. Esta iguaria é resultado da recente vindima, no final de setembro, início de outubro, que assinala o final dos trabalhos agrícolas. Resulta ainda da passagem de água sobre o bagaço de uva, de onde se retira o pouco mosto que aí se mantinha.

Rota da Castanha: planos para o São Martinho

Água-pé e castanhas na região do Tejo

Na região do Tejo, o São Martinho é celebrado com grande empenho na Golegã, feira que data do século XVIII e que era, até 1972 chamada de Feira de São Marinho, data a partir da qual passou a denominar-se Feira Nacional do Cavalo. Mas não é só no espaço público que se realizam comemorações. Os eventos multiplicam-se nas adegas, como detalha a CVR Tejo.

Por exemplo, a Quinta do Casal Branco promove anualmente a festa de São Martinho da Lezíria, para confraternizar e provar vinho, castanhas e apreciar o Cavalo Lusitano.

Mais a Sul, em Portimão, realiza-se a Feira de São Martinho, um evento popular que remonta a 1662 e que se realiza todos os anos no mês de novembro. A feira começa dia 2 e termina a 11 de novembro no Parque de Feiras e Exposições. É a oportunidade de comer as apreciadas castanhas assadas, provar água pé e encontrar outros produtos tradicionais.

Correr para merecer a água-pé

Para terminar, e se lhe dissermos que há uma prova, em Lisboa, em que se corre para, no final ter direito a castanhas e água-pé? É a oitava edição da Corrida das Castanhas, no domingo, 11 de novembro, o dia de São Martinho, que este ano tem um novo percurso. Abandona o Monsanto, passando para o Palácio Nacional da Ajuda.

Muitas outras opções existem para provar a água-pé nas próximas semanas. Os bairros – mais ou menos – populares, em ambiente urbano, estão a voltar a promover este tipo de convívio entre as famílias e vizinhos. Seja da iniciativa das autarquias, das comunidades locais ou até mesmo de grupos informais de vizinhos, são cada vez mais os magustos que vemos um pouco por todo o lado. Porque afinal, fazendo jus ao ditado popular… “Pelo S. Martinho, Castanhas assadas, pão e vinho”.