Aquele Querido Mês de Agosto

10 Julho | 2015 | Goodyear

Portugal é um país diferente em Agosto mas não são só as praias e as estradas rumo ao Sul que se enchem de gente. Há todo um país de costas voltadas para o mar que assiste ao regresso de filhos pródigos e à animação que volta a encher os vales e montes do interior. Se, durante muitos anos, as festas de aldeia, marcadas pelas visitas dos emigrantes, eram o sinal de um país provinciano e parado no tempo, hoje são, cada vez mais e por uma série de atrativos, belíssimas razões para descobrirmos um “outro” Portugal.

O script da sua viagem

Depois de “Aquele Querido Mês de Agosto”, o filme de Miguel Gomes, ter levado milhares de espetadores ao cinema, as festas do interior ganharam um novo público, urbano mas sedento de uma diferente forma de viver o Verão. Mas, se bem se recorda deste filme, o realizador começa a narrativa completamente perdido pois não sabe afinal que história é que deve contar. O viajante incauto deve salvaguardar isso mesmo: prepare bem a sua viagem porque não vão faltar bons motivos para dispersar a atenção.

Não se esqueça do fato de banho

“Interior” parece não conjugar bem com “praia”, mas os rios de Portugal são, cada vez mais, fortes atrativos para parar umas boas horas à beira da estrada. Com locais de eleição como o Malhadal, Loriga ou Fraga da Pena, se o seu percurso o levar para a proximidade de uma das fantásticas praias fluviais que os distritos do interior têm vindo a reabilitar nos últimos anos, não pense duas vezes e vista logo o fato de banho.

E, já que estamos perto da água, mais um conselho: não se esqueça do repelente, muito repelente de insectos. O calor, a água e o campo, têm destas coisas e parece que estes animais têm sempre um apetite especial pelo sangue de forasteiros como nós. O mesmo conselho vale para o protetor solar. Apesar de grande parte destas praias serem frescas e protegidas com sombra, é muito fácil de nos distrairmos e acabarmos o dia com um doloroso escaldão.

 Portugal em agosto - Quilometrosquecontam

E o estômago?

Mesmo que o calor recomende o contrário, ninguém consegue visitar o interior do país sem provar uma iguaria especial. Por isso, não se iniba e investigue bem quais as especialidades da zona que vai visitar. Das cavacas do Minho às lulas de Monchique, Portugal tem, literalmente, centenas de pratos típicos que, nesta altura das festas de aldeia, reúnem famílias inteiras à mesa. Se o povo português é conhecido por gostar de comer, é porque não lhe faltam motivos para praticar o seu desporto preferido.

Os apreciadores de vinhos também têm nesta altura motivos redobrados para se fazerem à aventura: é nestas festas e nos recantos escondidos à beira da estrada, que conseguimos provar e trazer para casa vinho diretamente do produtor. Guarde espaço na bagageira e presenteie família e amigos com uma recordação única que eles nunca encontrarão no supermercado.

Ao som do sino

Depois do dia refastelado à beira do rio e do almoço prolongado que dura até ao fim da tarde, é hora de voltar à estrada e rumar à festa. O ritmo das aldeias do interior é marcado pelo toque do sino da igreja e por este momento no calendário: Agosto é sinónimo de diversão e madrugadas bem regadas e dançadas. Se não for no sítio em que decidimos pernoitar, a aldeia do vale ao lado tem com certeza uma festa nessa noite e, pelo caminho, iremos encontrar a rapaziada que, a pé, evita encontros com a GNR ou com os pais das namoradas

Faça já os seus planos e prepare-se para um novo ritual anual. Mesmo que o seu local de nascimento seja a cidade onde vive, adopte uma aldeia como sua e guarde uma data em Agosto para a visitar. Apostamos que, ao meter-se à estrada, vai sentir-se de regresso a casa.

Good Year Kilometros que cuentan