Tipos de caixas de velocidades

19 Setembro | 2019 | Goodyear

Que tipos de caixas de velocidades existem? São diferentes se o carro é automático? Descubra com a Goodyear o que é e como funciona a caixa de velocidades do seu veículo, as variedades que existem no mercado e como pode obter delas maior rendimento. Conheça as características da transmissão do seu automóvel e as suas possíveis avarias.

O que é a caixa de velocidades

A caixa de velocidades é uma das partes fundamentais do automóvel para assegurar o movimento , aumentando ou diminuindo as rotações. Tem três missões. A primeira é conseguir que as rodas obtenham o binário suficiente para pôr em movimento o veículo quando está parado. A segunda é inverter o sentido das rodas para engatar a marcha-atrás e, por último, desacoplar o motor da transmissão para deixar ao automóvel em repouso ou ponto morto. Para conseguir estas ações, a caixa de velocidades reduz o número de rotações do motor de acordo com o que é preciso, além de inverter o sentido das rodas quando as necessidades da marcha assim o requerem.

A caixa de velocidades recebe o movimento através da embraiagem nas transmissões manuais ou do conversor de binário nas transmissões automáticas. Está situada antes do motor onde de onde transfere a potência suficiente para fazer girar as rodas motrizes.

Como funciona a caixa de velocidades

Ao engatar uma mudança no carro é ativado o seletor de velocidades correspondente na caixa de velocidades e suas engrenagens. O motor ativará as velocidades e o dispositivo sincronizador protegerá a mudança de marcha até igualar as velocidades das engrenagens.

A caixa de velocidades oferece uma seleção de velocidades para as diferentes situações que podem ocorrer durante a condução: arrancar numa subida, arrancar num plano, subir lombas, alcançar a velocidade de cruzeiro…

Com a primeira velocidade consegue-se que as rodas girem a um terço da velocidade gerada pelo motor mas com três vezes mais força. Por este motivo é a mudança ideal para arrancar num piso inclinado, já que é a velocidade que dá mais potência ao veículo. A partir daí, as mudanças aumentam a velocidade do automóvel que acelerará até onde o motor o permitir.

Que relação tem a embraiagem com a caixa de velocidades? A embraiagem liga o motor à transmissão. Esta ligação é feita pelo condutor em função das necessidades da condução já que se a embraiagem estivesse sempre a funcionar as rodas não deixariam de girar e o carro deter-se-ia sempre que se tocasse no travão.

Tipos de caixas de velocidades

Existem quatro tipos de caixas de velocidades que vão desde as manuais que existem na ma maioria dos veículos até à caixa de velocidades de variação contínua. São cada vez mais os veículos com caixa de velocidades automática e a tendência do mercado é prosseguir com a investigação nesse campo.

  • Caixa de velocidades manual: É a mais habitual e tem normalmente três eixos. Um eixo primário recebe o binário através da embraiagem e transmite-o a um eixo intermédio. A principal diferença em relação às restantes caixas é que não é capaz por si própria de alterar a transmissão, deve ser o condutor através da manete de mudanças.
  • Caixa de velocidades pilotada ou robotizada: Estas caixas automáticas apresentam um controlo eletrónico para a embraiagem e caixa de velocidades. O modelo mais habitual é o de duas embraiagens, uma para as relações ímpares e outra para as pares. Este tipo de caixa de velocidades é mais utilizada hoje em dia devido ao baixo custo em relação às rivais.
  • Caixa de velocidades automática com conversor de binário: Caixa automática que possui um conversor que faz a comunicação da caixa de velocidades com a transmissão. Os automóveis com caixa de velocidades DSG permitem poupar 10% de combustível em relação às restantes e a indústria deverá apostar nelas cada vez mais.
  • Caixa de velocidades com variação contínua: Ainda que seja muito frequente em ciclomotores, são poucos os automóveis com uma caixa CVT. Possui um controlador eletrónico e uma caixa automática.

Quer o nosso carro possua uma caixa de velocidades automática como manual, é imprescindível uma boa manutenção. Uma avaria na caixa de velocidades, para além de ser dispendiosa, pode ter consequências fatais. Se o seu carro tem mudanças manuais e estas “arranham”, saltam ou estão muito duras, deve ir a um mecânico. Pelo contrário, se o automóvel é automático e repara que faz esticões durante a condução, perda de óleo, cheiro a queimado ou problemas no conversor de binário, deve ir logo à oficina. Recorde-se que a condução segura começa com um veículo em perfeito estado.

Good Year Kilometros que cuentan