Carros clássicos, uma decisão do coração

Os carros clássicos podem ser um orgulho ou um pesadelo. Se sonha em ter um, conheça os nossos 7 conselhos para comprar carros clássicos e antigos.

Sejam eles carros clássicos, históricos ou apenas “antigos”, há maravilhas de engenharia que apaixonam qualquer condutor. E, muitas vezes, não precisam de custar este mundo e o outro. Há um mercado de carros clássicos muito dinâmico e a preços interessantes. Por valores até inferiores a um veículo novo, é possível começar a conduzir uma montada com um carisma muito próprio. Contudo, não confunda: não é a mesma coisa que comprar um usado. Se não sabe por onde começar, deixamos-lhe aqui 7 conselhos para comprar um carro clássico.

Comece por fazer o trabalho de casa

Vivemos numa altura em que (quase) toda a informação está ao alcance de um clique na Internet. Comece por aí: pesquise o modelo que pensa adquirir e verifique quais os preços a que costuma ser comercializado. Investigue também quais são os principais problemas que os seus proprietários costumam reportar. Toda esta informação está dispersa por fóruns e sites, mas o esforço irá compensar. Contudo, para comparar o investimento no carro que está a pesquisar com os preços de mercado, terá que fazer uma avaliação visual do veículo em si.

Faça as perguntas certas

Faça uma lista de todas as questões que quer colocar ao proprietário ou ao stand. Quantos donos teve? O motor, a transmissão ou outro sistema foram alterados ou substituídos? É um veículo com pouca quilometragem? Qual o motivo para isso? Não se coíba da fazer a mesma pergunta diversas vezes até conseguir todos os pormenores. Antes ser tomado por chato do que começar a descobrir problemas nos primeiros quilómetros com o carro.

Fuja da ferrugem

Os restauros podem ser complicados para um novato. Além do custo em oficina, o prazer de um restauro bem feito só chega depois de algumas desilusões. Se ainda não está pronto para um projeto dessa envergadura, fuja de qualquer sinal de ferrugem. Mesmo que seja um problema com solução, poderá obrigar à substituição de painéis, perdendo assim parte dos elementos originais. Além disso, a ferrugem pode ser sinal de um outro problema por resolver. Inspecione a parte de baixo, dentro dos para-choques, nos pontos de fecho das portas e se há bolhas na pintura.

Carros clássicos, uma decisão do coração

Tenha atenção aos intervalos entre painéis

Seja como resultado de ferrugem ou de um choque, os painéis da carroçaria poderão ter sido substituídos ou reparados ao longo da vida do carro. Os anos encarregam-se de tornar as uniões menos perfeitas, mas uma grande disparidade é um mau sinal. Isso indica-nos que, por algum motivo, foram sujeitas a uma reparação mal executada. Inspecione todas as portas e o seu fecho, incluindo o porta-bagagens e o capot, assim como a sua união com o para-choques.

Experimente conduzi-lo

Faça alguns quilómetros com o carro antes de tomar qualquer decisão. Se não se sentir à vontade para o avaliar, contacte um mecânico de confiança ou, pelo menos, um amigo com algum conhecimento de mecânica. Os fatores a que deve estar atento são vibrações excessivas, a resposta de aceleração, o som de escape, o estado das suspensões, travões e direção. Experimente ainda todos os sistemas comuns, dos piscas à chauffage, e se tudo funciona corretamente.

Leve o seu tempo

Quer esteja a pensar na compra de um carro antigo como um investimento ou como um hobby, não se apresse. Veja todas as opções ao seus dispor. Contacte um stand especialista reputado em clássicos e investigue a sua oferta. Ficará mais caro do que compra direta, mas a hipótese de encontrar um veículo de primeira escolha é maior. Ao mesmo tempo, vá vendo o que encontra em sites de leilões. Ou, se tiver a sorte de poder sonhar com isso, mergulhe diretamente nos catálogos de casas como a Christies e das suas peças de arte. Depois de algum tempo e maturação, ficará com uma noção mais exata do valor do carro que pretende adquirir.

Pensar com a cabeça e não com o coração

No fundo, estamos a falar de objetos de desejo. Quem opta por um clássico fá-lo por capricho, amor aos automóveis e aventura, as piores condições para uma escolha racional. Mesmo assim, é preciso ter os pés na terra. Procura um hobby ou uma segunda profissão? É que ter um carro antigo pode tornar-se uma obsessão ou uma perda de tempo, só depende daquilo que conduzimos. Por muito apaixonado que esteja, se lhe resta uma ponta de dúvida deixe passar a oportunidade. Se está convicto que um carro antigo é para si, o ideal é começar por um que o deixe completamente convencido.

Seja realista

Para o comum mortal, o investimento em carros antigos não é um negócio rentável. É com certeza um bom negócio para quem tem experiência e anos no mercado, mas não o é para todos os outros. São afinal veículos antigos, com necessidades específicas de manutenção, peças que já não existem e técnicas em desuso. Para que mantenham ao menos o seu valor de mercado vão exigir intervenções de especialistas e bastante dinheiro na oficina. Se vai comprar o seu primeiro carro antigo não conte com a sua valorização. Parece contra-senso depois de tudo o que dissemos sobre a racionalidade, mas comprar um carro antigo, afinal, é mesmo uma escolha do coração.