Carros descapotáveis, que cuidados e manutenção?

Os carros descapotáveis são dos veículos mais divertidos que podemos ter e sabem mesmo bem no verão. Mas quais são os cuidados e custos que trazem consigo?

Com a chegada do bom tempo, quem ainda não tem um, anda de certeza a sonhar com carros descapotáveis. Mas, terminado o verão, um convertível pode transformar-se num incómodo se não estivermos preparados para isso. Os verdadeiros amantes dos descapotáveis são capazes de lidar com as desvantagens dos seus carros com um sorriso no rosto e já desenvolveram as suas técnicas e métodos para salvaguardar as suas montadas durante o inverno. Mas, se pertence ao grupo dos “outros” , daqueles que nunca foram proprietários de um cabriolet, fique de seguida a conhecer alguns dos desafios que chegam quando comprar o carro mais divertido que já possuiu.

O verão está a chegar, o dinheiro do subsídio vai ser uma ajuda e temos um carro descapotável que um amigo-de-um-amigo tem lá no stand, num estado impecável. Se vai comprar em segunda mão, leia as nossas dicas para comprar um carro usado mas, como é natural, este é um tipo de veículo diferente, com algumas recomendações específicas.

Desempenho

Apesar do aspeto desportivo, um descapotável, seja hard ou soft top, tem algum peso acrescido em relação ao seu colega coupé. Tem prestações ligeiramente inferiores e consumo superior, também por causa da aerodinâmica. Mas, a escolha por um descapotável é feita com critérios puramente emocionais, à procura de um carro divertido, e o desempenho é um atributo secundário.

Segurança

Não é possível fugir ao facto que, sem capota, os ocupantes estão muito mais expostos em caso de acidentes ou projeção de objetos. Contudo, ao contrário de muitos clássicos do passado que ainda conduziríamos com muito prazer, os descapotáveis evoluíram muito na escolha dos materiais e no desenho das estruturas de proteção, com as barras do para brisas acima da cabeça dos ocupantes e todas as funcionalidades de segurança a que estamos habituados, dos air bags ao ABS.

Hard ou Soft Top

Para alguns, um descapotável só tem sentido na versão soft top e todo os outros ficariam melhor servidos por um coupé. Em qualquer dos casos, ainda mais nos modelos rígidos com abertura elétrica, perde-se também algum do espaço da bagageira ou das posições dos bancos de trás. Os modelos motorizados também precisam de manutenção e de realinhamento ocasional para encaixarem corretamente no para-brisas. Em contrapartida, as versões de “lona” são, obviamente, das piores soluções quando o tema é a segurança da propriedade. Se optar por um destes, habitue-se a não deixar nada no carro.

Com a chegada do bom tempo, quem ainda não tem um, anda de certeza a sonhar com carros descapotáveis.

Conforto e ruído

Os construtores têm ensaiado diferentes formas de isolar os ocupantes do vento, mas, conforme a idade do veículo que escolheu, prepare-se para começar a ter um contacto muito mais íntimo com a estrada. Mesmo quando coberto, o isolamento térmico nunca é perfeito e o mesmo se passa em relação ao nível de ruído. Mas é mesmo por causa disso que queremos um descapotável, certo? Para sentir o carro e tudo o que se passa à nossa volta de forma mais intensa!

Custo de operação

Já falámos do consumo acrescido devido ao peso, mas ao conduzirmos sem capota aumentamos também a resistência do ar, o que tem o mesmo efeito. Mas há ainda outros custos envolvidos num carro descapotável. Quando os comparamos com a versão equivalente em coupé, têm um valor de compra superior devido ao custo do mecanismo de retração da capota e ao desenvolvimento envolvido na produção de um carro com um nível de segurança semelhante. Durante a sua vida útil, teremos ainda custos com a manutenção da capota (seja soft ou hard, ou do mecanismo), os aleatórios que possam resultar de assaltos e um valor acrescido no prémio do seguro.

Tem uma garagem?

É verdade que para se ter um cabriolet é necessário ter também um perfil especial de condutor, mais aventureiro e despreocupado, mas antes de se comprometer a ter um vai ter que decidir se é do género tão despreocupado que vai ignorar o estado em que o carro fica. Um descapotável foi feito para o seu ocupante apreciar o ar livre, mas não sobrevive durante muito tempo quando é deixado aos elementos. O nosso conselho seria sempre: se não tem garagem, nem pense num descapotável de cobertura flexível. Ver o seu mais-que-tudo a definhar lentamente ao sol, à chuva e aos larápios, é uma dor no coração suficiente para o fazer arrepender-se da escolha.