Astronomia para todos de norte a sul

Vamos mostrar às crianças as maravilhas do Universo? Venha connosco a 4 centros de Astronomia em Portugal com programas para os mais pequenos.

A poluição luminosa das grandes cidades fez com que as nossas crianças hoje só conheçam a Lua e umas poucas estrelas. Para vermos o espetáculo que os entusiastas da Astronomia já bem conhecem temos que ir para um sítio escuro. E, mesmo assim, o ideal é que alguém que perceba do assunto ajude a dar os primeiros passos. O céu noturno é pleno de maravilhas mas é também um território completamente novo e desconhecido para a maioria. Se tem aí crianças com um espírito inquisitivo e científico, vá com elas a um destes 4 centros de Astronomia em Portugal com programas para os mais pequenos. Seja na cidade ou na escuridão do Alentejo, a astronomia está à disposição de todos.

Observatório do Lago do Alqueva

Situado em plena Reserva Dark Sky Alqueva no Alentejo, o OLA  é “O” local para conhecer o Universo. Aqui aprende-se astronomia e astrofotografia numa das regiões da Europa mais protegidas da poluição luminosa das grandes cidades. As observações decorrem de terça a sábado às 18h30, há sessões para crianças e o observatório abre as portas sempre que há um evento astronómico. Os curiosos podem acompanhar a atividade do telescópio durante uma noite, descobrir a astrofotografia e prosseguir depois com um curso. Além da cúpula central, há ainda uma zona de observação com plataformas para receber amadores a solo ou em astrofestas.

Parque de Astronomia de Constância

Parte da rede de Centros de Ciência Viva, o parque de Constância fica no Alto de Santa Bárbara. Aqui pode-se observar um céu noturno de grande qualidade, uma vez que está fora das zonas de poluição luminosa. Com uma área total de 10 000 m2, o Parque de Astronomia contém diversas estruturas. Oito módulos interativos de exterior, planetário, laboratório de heliofísica, anfiteatro e cinco cúpulas de observação. No parque estão representados o Sistema Solar e a Via Láctea, as luas de Júpiter, os anéis de Saturno e o sistema Sol-Terra-Lua. O Planetário proporciona aos visitantes uma diferente forma de apreciar o céu noturno. Além da simulação do céu real, vemos os desenhos das constelações e objetos do céu profundo. No observatório solar podemos ver o Sol em luz visível e também no H-alfa, uma visão surpreendente. Há ainda diversos equipamentos ópticos para observação, com aberturas até 20’’.

Planetário Calouste Gulbenkian, Belém

O Planetário Calouste Gulbenkian surge do sonho e da iniciativa do Comandante Eugénio Conceição Silva, Oficial da Marinha e brilhante astrónomo amador. Projetado pelo arquiteto Frederico George, foi construído com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian entre 1963 e 1965. Em 2004 e 2005 o Planetário foi alvo de uma extensa recuperação, fruto de uma parceria com a Ciência Viva, que se tornou assim no seu principal parceiro. O atual projetor consegue apresentar mais de 9 000 estrelas, bem como a Via Láctea, cúmulos estrelares e nebulosas, as figuras das constelações e linhas didáticas auxiliares. Tem sessões de 3ª a domingo, a partir das 10 da manhã, desenhadas para diferentes faixas etárias.

Planetário do Porto

O Planetário do Porto foi construído em 1998 com a missão de promover a cultura científica junto da população, bem como proporcionar aos jovens, sobretudo através da astronomia, a motivação para a ciência e a tecnologia e a oportunidade de iniciação à observação e experimentação. A sua programação, animação e gestão científica são do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto. Tem uma cúpula de 12,5 m de diâmetro. Em 2015 o sistema de projeção foi totalmente renovado, convertendo-se ao digital. Além das sessões, tem ainda exposições temáticas e jogos, aconselhando-se um contacto prévio para saber o que está disponível em cada dia. Oferece bilhetes a preços especiais para famílias.