Casa da Ínsua: do chá ao vinho

14 Abril | 2016 | Goodyear

A Casa da Ínsua é um hotel de charme (e que charme!), um museu, um produtor de vinhos reconhecidos, um centro para quem quer vir perceber mais sobre o queijo e, acima de tudo, um dos melhores motivos possíveis para se visitar a região de Viseu. Sediada em Penalva de Castelo, é uma experiência única, de cinco estrelas, para a qual temos que mergulhar de cabeça, pois um fim de semana passado na Casa da Ínsua é um viagem imperdível em volta de sabores memoráveis.

Dois dias à volta do paladar

Este solar foi erigido no século XVIII por ordem de Luís de Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres, Capitão-General de Mato Grosso. Após reabilitação do edifício e envolvente, a Casa da Ínsua “vestiu” as roupagens de hotel de charme e aproveitou bem a sua imponente fachada e interior ricamente decorado, os magníficos azulejos barrocos, tetos trabalhados, lareiras de grande beleza escultórica, armas indígenas brasileiras e diversas pinturas nas paredes que nos contam um pouco da história do país e do modo de vida da nobreza da época.

Gastronomia Viseu - Quilometrosquecontam

Em redor da Casa da Ínsua, os férteis e românticos jardins oitocentistas são particularmente notáveis pela originalidade e variedade de espécies, com lugar de destaque para uma magnólia datada de 1842 e uma raríssima flor de lótus proveniente da Índia. No interior do Solar, podemos ainda encontrar vestígios da estada de Luís Albuquerque no Brasil através de vários objetos de caça e pesca artesanais dos índios brasileiros e armas indígenas primitivas, bem como alguns dispositivos de guerra do exército castelhano.

Riqueza também nas uvas

Desde 2002 que a Casa da Ínsua tem sido galardoada e distinguida pelas suas excelentes colheitas. São vários os vinhos aqui produzidos e premiados nacional e internacionalmente, como é o caso do Tinto Reserva 2002, do Tinto Reserva 2005, o Branco Casa da Ínsua Reserva 2009, o Branco Casa da Ínsua Semillon 2009, o Branco Casa da Ínsua Colheita 2010 ou a medalha de prata obtida entre 8.500 outros concorrentes no Concurso Mundial de Vinhos de Bruxelas para o Reserva 2006. Por seu lado, José Matias, o engenheiro e enólogo responsável pelo projeto teve direito ao reconhecimento do prémio “Melhor Viticultor – 2011”.

Infelizmente não tivemos ainda a oportunidade de visitar o solar durante a época das vindimas, que incluem programas especiais para os hóspedes participarem nas tarefas da colheita, mas a prova de vinhos orientada por José Matias é, por si só, uma experiência “iluminadora”. O vinho, mesmo que tenha honras de destaque principal não rouba aqui todas as atenções: a gastronomia é igualmente um dos pontos fortes deste Hotel, com um canto especialmente guardado para cozinha regional  através de um irresistível Menu de Degustação.

Na rota do Queijo

Até ao final de Maio, a rota do Queijo da Serra da Estrela passa também pela Casa da Ínsua. Produzido durante o Inverno com leite de ovelhas das raças Bordaleira Serra da Estrela e Churra Mondegueira e coalhado pela flor do cardo, planta nativa da região da Serra da Estrela, o seu processo de manufatura traz-nos a História e tradição da região. Poderá conhecer melhor todo este processo participando num dos workshops de queijaria (com a oferta de um queijo, que mais poderíamos pedir?), ou aproveitando o menu que tem o Serra da Estrela como “ator principal”. À parte, e para acabar a experiência de forma doce, também é possível agendar workshops de produção de compotas, recorrendo aos produtos de primeira qualidade da região de Viseu Dão Lafões.

Se é verdade que é uma proposta que não está à medida de todas as bolsas, não há quem possa negar que este encantador e solarengo solar do séc XVIII guarda uma verdadeira paixão pelos sabores e pela tradição. E esse amor vê-se e reconhece-se em todos os cantos: nos sinais de um passado glorioso ou na qualidade de um néctar que respeita plenamente esta história. Encontrará ambos na Casa da Ínsua. E bastante mais..

Good Year Kilometros que cuentan