Do Intendente à Graça, uma nova vista sobre Lisboa

A noite e diversão lisboeta têm cada vez oferta. Entre o Intendente e a Graça fomos descobrir o novo bairro boémio de Lisboa, com 8 exemplos para mostrar.

Do Intendente à Graça traça-se uma linha com algumas das mais interessantes novidades da capital. Novos sabores e novas músicas juntam-se ao espírito bairrista que salpica a encosta entre a Mouraria e Senhora do Monte. Andámos pela colina e descobrimos 8 pontos onde comer, beber e viver na Graça.

Lisboa tem cada vez mais actividades e novidades a surgir a cada esquina. As modas fluem ao sabor de tudo isto, e os lugares “in” vão mudando a esse ritmo. Os nomes na boca dos noctívagos foram assim sendo substituídos. Já ouvimos falas nas “Docas”, na “24 de Julho”, do “Cais” ou do “Bairro” e agora aparece um outro. A Graça resistiu à vaga de turismo durante mais tempo que outros bairros, adaptou-se de forma muito própria e surge agora entre os nomes incontornáveis da noite lisboeta. No eixo Intendente-Graça há novos restaurantes, bares e lojas que conseguem o feito de servir tanto os habitantes do bairro como um turista jovem e cheio de vontade de diversão. Passemos em revista os locais onde ambos se cruzam.

A Vida Portuguesa

Uma mistura de viagem ao baú da memória e uma estratégia de marketing bem contemporânea, A Vida Portuguesa transformou-se também numa importante marca. O objetivo é inventariar, reunir e disponibilizar uma série de marcas e produtos que sobreviveram ao tempo e marcaram Portugal. A loja do Intendente nasceu depois da recuperação do Largo e foi uma das suas primeiras atrações. Dos clássicos chocolates da Vienense às andorinhas de loiça, aqui o “retro” é também o futuro.

Largo Residências

Depois da recuperação do Largo do Intendente, o número 19 passou a ter novos residentes. O edifício do século XIX coberto de azulejos passou a ser residência artística, com galeria e aluguer de bicicletas. No rés do chão há um café com esplanada para o largo,  e refeições leves para aproveitar o sol. Muito próximos das actividades do bairro, passa por aqui tudo: concertos, DJ sets, cinema, exposições e teatro.

Casa Independente

Do outro lado do largo, num edifício cheio de pequenos espaços à sua espera, convida-se a um espírito lounge. É um palacete de 1863 que, entre concertos, refeições e convívio, tem agora um público bem mais jovem. Muito frequentado por jovens estrangeiros residentes na capital, não deixa também de apelar aos locais. A Tasca Tropical serve de apoio à Casa e tem refeições caseiras, petiscos e afins para apreciar no simpático pátio interior.

O Das Joanas

Outra das casas pioneiras do “novo largo”, a esquina d’as Joanas tem uma fachada que vale a pena registar. Os azulejos e a escolha de cores valem a pena serem apreciados e a esplanada em frente é perfeita. A filosofia é simples: um pequeno café com refeições ligeiras, que se abre para a rua para viver o bairro. Se levar mais apetite e precisar de energia para subir a colina, os pratos do dia trazem sempre um toque em caseiro.

Renovar a Mouraria

Nascida para dinamizar o bairro mais multicultural do centro da cidade, esta associação abriu-se à vizinhança e a todos que a queiram visitar. No Restaurante Social da Renovar a Mouraria apresenta-se uma gastronomia inspirada nos sabores do mundo, assente numa filosofia de sustentabilidade ambiental e promoção de boas práticas alimentares. Na sala ou na esplanada interior, envolvidos pelo casario podemos saborear toda miscelânea cultural que é a Mouraria.

A poesia escondida à vista de todos na Graça

Via Graça

Subindo finalmente a colina, encontramos um clássico menos jovial e descontraído do que os exemplos anteriores. Apesar disso, o Via Graça tem uma das melhores vistas sobre a cidade e sabores à altura. A carta compõe-se com bacalhau com broa, empada de caça ou creme queimado, acompanhados de uma excelente carta de vinhos. A todos os títulos inesquecível, é a vista sobre a cidade, de dia ou de noite, que é seu ex-libris. Venha pela paisagem ou pelo estômago, garantimos que encontra o que procura.

Botequim

Depois de ter sido a sala de estar de Natália Correia, foi uma livraria e voltou a ser bar há cerca de uma década. Foi um dos primeiros espaços a mostrar para fora do bairro que a Graça estava em mudança. Hoje recebe todo o tipo de clientela. Ainda se sentam ali os idosos para beber um chá durante a tarde. Depois chegam os estudantes estrangeiros para uma cerveja ao pôr do sol. Finalmente, a noite é barulhenta e agitada, com uns folhados deliciosos para entreter o estômago. A refeição continua facilmente para dois dedos de conversa e, ocasionalmente, música ao vivo ou tertúlias. A poesia perdeu destaque, mas ainda há muito de Natália neste espaço.

Damas

A rua da Voz do Operário está também a mudar de face. Abriram livrarias, cafés e restaurantes, mas o centro da agitação noctívaga está no Damas. Com um espírito altamente descontraído, a noite aqui pode começar a qualquer hora. Basta que cheguemos e nos deixemos ficar. O menu é de toque contemporâneo com base em sabores tradicionais, recomenda-se que dividam pratos para degustação das propostas. Na sala de concertos, a música todos os fins de semana é apresentada por Djs ou espetáculos ao vivo.