Loulé e a cozinha da Ti’ Anica

Apesar das multidões no Verão, a região de Loulé é ainda um excelente destino para conhecer a boa cozinha algarvia. Conheça alguns dos restaurantes que não pode perder.

A famosa Ti’ Anica de Loulé, além do jeito para a costura, só podia ser uma grande cozinheira. A cidade fica a meio caminho entre a costa e a Serra do Caldeirão, com direito a colher o melhor de ambos os lados, e é também terra de belíssima gastronomia. Contudo, com a chegada do verão a uma das regiões mais concorridas pelo turismo de praia, as filas começam a formar-se em frente a todos os restaurantes locais, a qualidade do serviço sofre uma diminuição e parece tornar-se impossível encontrar um bom local onde se comer. Para ajudar tantos portugueses que escolhem a região como destino de férias, deixamo-vos a nossa seleção do que comer e onde na região de Loulé.

Como seria de esperar, muita da tradição gastronómica de Loulé chega com a maresia. As caldeiradas locais fazem-se com os mais variados peixes, da tremelga ao peixe-aranha, mas a brasa também não para. O lingueirão chega em sopa ou arroz, enquanto as cataplanas são enfeitadas com os mais variados mariscos. Camarões, amêijoas e berbigões são comuns, mas o aparecimento desse “marisco” chamado caracol é uma tradição em todo o Algarve. Do interior, da Serra do Caldeirão, chega a carne. Come-se porco com ameijoas, orelha estufada com repolho e a galinha cerejada típica de Loulé. Chegam ainda as peças de caça que vão compor a feijoada de javali ou a perdiz estufada, outros práticos típicos da zona.

O Retiro

Pela clássica N125 no sentido poente, ao chegarmos a Boliqueime encontramos uma das melhores cartas de vinho da região. O Retiro especializou-se nos grelhados de peixe e carne na brasa, acompanhados por bons néctares de todo o país. A carta varia por época e o que chega à praça, mas a barriga de atum é prato sempre procurado.

A Caravela

No meio de tanta construção de turismo, perdoa-se ao forasteiro que esqueça que Quarteira tem um passado pescador. A Caravela fica em frente ao mar, com o mercado de peixe local como vizinho, e aposta no peixe. Há besugos, robalos, peixes-espada, sardinhas e douradas, mas a massada de marisco e a cataplana de tamboril são essenciais.

Tasquinho o Manel

No meio da Marina de Vilamoura, o Tasquinho do Manel é diferente devido ao seu aspeto mais descontraído e acessível. Na esplanada ao lado da escola de vela do CIMAV só se servem frutos do mar. O peixe e o marisco, assim como os preços acessíveis, são dos melhores que se pode encontrar no Algarve. Leve paciência e bom humor se aqui vier no verão: é muito concorrido e o melhor é tentar reservar previamente.

O Jacinto

Uma das melhores marisqueiras algarvias fica na avenida de Quarteira e tem sempre fila à porta na altura do verão. O Jacinto é o tipo de restaurante simples e descomprometido que deixa a cozinha falar por si. Se resistir ao tempo de espera, vai encontrar uma excelente cataplana ou arroz de marisco, mas também pratinhos de marisco. Ameijoas à Bulhão Pato, conquilhas, búzios, lagostins e camarões… tudo é bom e fresco.

Jorge do Peixe

Na cozinha está um orgulhoso filho da terra e de pescadores, que aprendeu a escolher peixe e a cozinhá-lo. Para além dos grelhados do dia, Jorge Silva especializou-se em clássicos como o arroz de lingueirão ou cataplana de amêijoas. O resultado é uma carta que torna o Jorge do Peixe uma proposta um pouco diferente em Quarteira. Totalmente genuíno, mas com um sabor original a justificar a sua presença nesta lista.

São Gabriel

Na Estrada de Vale do Lobo, na Quinta do Lago, Almancil, o São Gabriel fica dentro de uma charmosa quinta. Uma série de pequenas salas e um terraço são o cenário para um dos restaurantes mais celebrados do Algarve. Na cozinha está o chef Leonel Pereira que desenvolveu uma carta sofisticada e internacional, mas com inspiração inequivocamente portuguesa. É um restaurante de preços superiores a outros que encontramos nesta lista mas o menu está ao nível desta diferença. Recomendamos o menu “momentos improváveis”, que nos apresenta originalidades como lulas com caviar ou vieiras em sopa de citrinos.

Monte da Eira

A esplanada do Monte da Eira é uma fantástica proposta para qualquer refeição de verão. Fica a poucos quilómetros de Loulé, em Clareanes, no sentido de Querença e vive dentro de um velho estábulo. Mantendo parte do traço original, o espaço foi adaptado e é agora um dos melhores restaurantes da região. Ao contrário da maioria dos outros exemplos nesta lista, aqui a especialidade são as carnes. Há rojões de porco, estufado de javali, ervas e castanhas, caçarola de coelho, ameixas e cebolinhas e arroz de pato.