Onde comer bem sem se afastar muito da estrada

2 Outubro | 2019 | Goodyear

A viagem já vai longa, as pernas precisam de desentorpecer e, acima de tudo, a barriga já começa a dar horas. É altura de fazer um desvio e ir à procura de um bom sítio para comer, até porque as áreas de serviço não são propriamente espaços gourmet. E se é pagar, mais vale ser bem servido.

Com Lisboa com ponto de partida, deixamos meia-dúzia de sugestões, três para norte e outras tantas para sul, para comer bem à beira da estrada ou, pelo menos, sem ser preciso sair por muito tempo da rota planeada.

De Lisboa para Norte

Manjar do Marquês (Pombal)

Saiu de Lisboa a meio da manhã, já conduz à hora e meia e é preciso almoçar. Leiria já ficou para trás e o Pombal aproxima-se. É altura de fazer um desvio e rumar ao Manjar do Marquês, localizado mesmo à entrada de Pombal. Não tem nada que enganar: é um casarão enorme, com um parque de condução a condizer e se está com tempo para saborear uma boa refeição, não pense duas vezes. O arroz de tomate é a especialidade da casa e acompanha quase tudo, dos filetes de pescada ao bacalhau frito. Experimente também os rojões com migas de nabiça e morcela de arroz.

Rui dos Leitões (Coimbra)

Se a fome ainda deu para chegar a Coimbra, faça um desvio até à Vilela e pare no Rui dos Leitões. O leitão à Bairrada é, como o nome indica, o prato forte da casa, devidamente assado em forno de lenha. O restaurante é espaçoso, com duas salas amplas e o parque de estacionamento é grande e gratuito. E tem a particularidade do dito leitão ser feito à vista de toda a gente, podendo assim o comensal apreciar a confeção. Se não lhe apetecer leitão, experimente o bacalhau à casa ou a costeleta de novilho.

Pedro dos Leitões (Mealhada)

Pode ser mais do mesmo, mas a verdade é que quem se lança pela A1 e se vai aproximando do Porto, o leitão à Bairrada assume-se como uma opção praticamente incontornável. Mesmo à saída da Mealhada, na antiga Estrada Nacional 1, fica o Pedro dos Leitões, que foi o primeiro restaurante do mundo a vender leitão assado à Bairrada em 1949. Com capacidade para mais de 400 pessoas, a especialidade é, naturalmente, o leitão assado à Pedro dos Leitões. Há também a açorda de leitão, a cabidela de leitão à Bairrada.

Estrada no Alentejo

De Lisboa para Sul

Canal Caveira (Grândola)

A extensão da A2 até ao Algarve retirou algum furor a Canal Caveira, a pequena localidade à beira da Estrada Nacional 2 que era passagem – e paragem – obrigatória de quem viajava para sul para comer, obviamente, um cozido à portuguesa. A clientela é hoje mais reduzida mas ainda há muito boa gente que faz questão de optar pelo desvio para ir até, por exemplo, ao Restaurante Canal Caveira, aberto em 1949 pela família Mestre e cujo cozido é de comer e chorar por mais. Tanto que é habitual existir fila…

Alvalade (Mimosa)

Perto da vila de Alvalade, em pleno Alentejo, fica a Mimosa, pequena localidade de estrada no IC1 (a antiga EN2) onde fica uma mão-cheia de restaurantes para tratar da barriga ao viajante esfomeado. Um deles é o Alvalade e não se assuste por ficar mesmo ao lado da bomba de gasolina, porque a comida, simples e bem confecionada, vale bem a paragem. Para além dos petiscos como as bifanas de porco preto ou o prego, pode sempre comer um bitoque e ver o que mais a ementa lhe reserva nesse dia.

Café Boavista (Vendas Novas)

Se o seu destino passa por Évora ou vai mesmo até Espanha, tem de passar nas Vendas Novas. E quem por lá passa não de lá sair sem ter comido uma bifana. Pelo menos. As bifanas de Vendas Novas são hoje uma iguaria famosa e bem o merecem. Há muitos e bons sítios para as comer na vila alentejana mas a nossa sugestão vai para o Café Boavista que, no seu letreiro, reclama-se orgulhosamente como a casa das bifanas “as originais”. É um pequeno café, com poucas mesas, mas as bifanas valem bem a pena.

Pronto para se fazer à estrada? Não coma muito, porque vai precisar de espaço para os pitéus com que vai deparar-se pelo caminho. E não se esqueça: faça bem a digestão!

 

 

Good Year Kilometros que cuentan