Tanta música ainda em 2017: os concertos do outono

Chegou a chuva, mas não é altura de hibernar! Os concertos do outono são um dos melhores convites para sair de casa e nós destacamos 10 para o ajudar.

A música tem que ser também vivida em comunhão e não bastam os festivais de verão. Ainda há muitos concertos agendados para Portugal até ao final de 2017 e estão em cartaz variadíssimos estilos e correntes. Os nostálgicos gostarão de (re)ver os Alphaville ou dar um salto no tempo até aos anos 90 com os Bush. Os indies de cepa rija poderão deliciar-se com Spoon ou dançar ao som de Hercules & Love Affair. Como na farmácia, há de tudo para todos e, se tem dúvidas em qual vai investir o seu suado dinheiro, ajudamos à sua decisão com a nossa playlist dos artistas que passam por Portugal este outono.

Bush, 11 de Outubro

Os ingleses Bush terminam a sua primeira digressão europeia em quatro anos em Lisboa no Coliseu. Esta é a tournée de apresentação do novo álbum de originais, Black and White Rainbows, editado em março. Já venderam mais de 20 milhões de discos e contam com 18 singles no Top 40 das principais rádios mundiais. O álbum de estreia, Sixteen Stone, foi seis vezes disco de platina e o seu sucessor foi #1 nas tabelas.

Chick Chick Chick (!!!), 19, 20 e 21 de Outubro

Depois de cancelarem o seu concerto em Paredes de Coura, os norte-americanos !!! redimem-se com nova passagem pelo nosso país. Na bagagem trazem o novo álbum Shake the Shudder e todos os temas clássicos que sempre nos puseram a dançar. Lisboa, Porto e Fundão são os destinos, mas a banda já conhece bem o nosso país depois de tantas visitas.

The National, 28 de Outubro

É uma das mais adoradas bandas do público português e conta com tantas passagens pelo país que perdemos a conta. Desta vez trazem Sleep Well Beast, o sétimo longa-duração da banda já à venda. O novo registo de originais foi produzido pelo compositor, guitarrista e teclista da banda Aaron Dessner, e co-produzido pelo vocalista Matt Berninger e pelo guitarrista Bryce Dessner. A atitude intensa mantém-se e o concerto deverá repetir o ritual de celebração a que a banda já nos habituou.

Lamb, 13 e 14 de Novembro

O duo Andy Barlow e Lou Rhodes comemora 21 anos de carreira e termina em Portugal a sua digressão. A banda traz -nos seis bem-sucedidos álbuns e é a primeira vez que apresenta o último , Backspace Unwind. A banda de Manchester conquistou o mundo em 1996 quando mostrou que o drum’n’bass poderia fazer muito mais do que pôr os pés a dançar. Também os corações batiam mais rápido.

Spoon, 16 e 17 de Novembro

São uma das banda mais influentes do indie rock e chegam a Portugal para apresentar o seu mais recente álbum. Ao longo de uma carreira que conta com álbuns como Telephono, A Series Of Sneaks, Girls Can Tell, Kill The Moonlight, Gimme Fiction, Ga Ga Ga Ga Ga and Transference, marcaram e influenciaram o indie rock ao mais alto nível. Estiveram recentemente em Lisboa, no NOS Alive, mas é sempre bom recebê-los de volta.

Hercules & Love Affair, 17 de Novembro

O outono é marcado pelo regresso aos palcos de Hercules & Love Affair com a Omnion tour. A banda produziu um espectáculo completamente novo, em que revisita os três álbuns, com um suporte visual de imagens explosivas, criadas por um conjunto de artistas de renome internacional. Em colaboração com David Wilson, artista e realizador nomeado para um Grammy Award, a banda desafiou cada um dos artistas visuais a interpretar a sua música, criando um conteúdo verdadeiramente original e arrojado, com diferentes formas que se revelam e transformam em cada espectáculo.

Alphaville, 18 de Novembro

Um dos grupos mais populares nos anos 80, famoso por sucessos como Big In Japan, Forever Young e Sounds Like A Melody, vão brindar Lisboa e Porto com uma festa de dança e luz. Foram mais de 2 milhões de discos vendidos numa das estreia mais auspiciosas de sempre da pop europeia. Com canções épicas, fáceis de cantar e dançar, invadiram as rádios e as pistas de dança de todo o mundo e chegaram ao circuito das grandes digressões mundiais de música eletronica ao lado e outros bastiões como Dépèche Mode, Human League ou Ultravox.

Father John Misty, 20 de Novembro

Pure Comedy, o terceiro disco de estúdio do músico conta com 13 tema que abordam temas de progresso, tecnologia, fama, meio ambiente, política, envelhecimento, comunicação social, natureza e conexão humana e seu próprio papel em tudo com a sua habitual sinceridade e em termos tão oportunos quanto intemporais. O álbum traz cordas, sopro e arranjos corais do clássico iconoclasta Gavin Bryars, com contribuições adicionais de Nico Muhly e Thomas Bartlett. Ao vivo, com a qualidade da banda que normalmente o acompanha, é receita certa para um grande concerto.

Nouvelle Vague, 26, 27 e 29 de Novembro

Os Nouvelle Vague são já uma referência da lounge music, estilo em voga desde o início do novo milénio. A banda surgiu em 2003 quando Marc Collin apresentou a Olivier Libaux “a estranha ideia de fazer uma versão bossa nova do clássico «Love Wil Tear Us Apart», dos Joy Division”. A dupla está no activo desde então, tendo gravado inúmeros êxitos com a participação de vários artistas, como Gerald Toto, Mélanie Pain e Phoebe Killdeer. Esta digressão é a oportunidade perfeita para se conhecer o novo longa-duração da banda e  revisitar temas como In a Manner of Speaking ou This is Not a Love Song.

The Horrors, 9 e 10 de Dezembro

Com um nome muito simples, V, o novo álbum dos The Horrors é também uma nova fase para a banda. Em Dezembro, chegam a Portugal para apresentar este novo trabalho ao vivo. Odisco surge na sequência do primeiro single –’Machine’ –que revela a banda em estilo majestoso e imperial. As dez faixas do álbum são bastante diversificadas e o single Something To Remember Me By assume géneros como dance, trance e pop dos anos 80. ‘V’ apresenta o grupo no auge da sua força, demonstrando um sentido de exploração verdadeiramente libertado. Um concerto que promete.