Economizar gasolina: 9 ideias erradas!

Mitos, ideias feitas e histórias mal contadas: quando toca a economizar gasolina há erros que podem ser evitados. A Goodyear ajuda a desmitificar 7.

Ninguém o queria enganar, mas se calhar já ouviu algumas dicas sobre como economizar gasolina que estão, simplesmente, erradas. A tecnologia encarregou-se de mudar algumas das coisas que sabíamos sobre motores e outras eram simplesmente ideias erradas. O investimento em novos sistemas de injeção e a fiabilidades dos carros modernos tem mudado o panorama do consumo. Por outro lado, “modernices” como o ar-condicionado já não são novidades nenhumas e sabemos muito mais sobre o seu funcionamento. Vamos fazer o papel dos Mythbusters da televisão e desmistificar 9 ideias erradas sobre como economizar gasolina!

1. “Encher os pneus acima do recomendado ajuda”

É verdade que conduzir com a pressão abaixo do recomendado aumenta o consumo, mas o inverso não é necessariamente verdade. Ao diminuir a superfície de contacto do pneu com o asfalto, diminui a resistência ao rolamento, um efeito positivo. Contudo estará a tornar a condução mais dura e a diminuir o desempenho na travagem, condições que resultam numa condução mais “nervosa”. Neste caso, a diminuição de consumo será paga de uma outra forma pelo material e pela segurança.

2. “Quanto maior o carro, maior o consumo”

Com o desenvolvimento da indústria, é nos carros de média dimensão que se encontram agora os melhores desempenhos de consumo. O tamanho já não é tão importante como antes e o que conta é o que se esconde por debaixo do capot. Dos híbridos aos modernos sistemas de injeção electrónica, o mercado exigiu tanta inovação no consumo, que a indústria cumpriu.

3. “Se aquecermos o motor, ele depois gasta menos”

As mesmas tecnologias que nos permitem melhor consumo, conseguem ter agora um carro pronto a andar poucos segundos depois de nos sentarmos ao volante. A forma mais rápida de aquecer um carro e levá-lo à temperatura ideal é, simplesmente, conduzi-lo. Evite apenas acelerações súbitas e extremas nos primeiros minutos de marcha e o seu carro vai chegar ao ponto certo.

4. “Consome muito? É porque está velho”

Não há nenhum motivo mais forte para um carro começar a consumir em excesso do que a falta de manutenção. Os carros antigos não consomem mais só por causa da idade. Aquilo que começa a penar no consumo é o acumular de pequenas situações facilmente resolvidas na oficina. Um clássico bem mantido, com as visitas certas à manutenção e pneus em bom estado, consome tanto como na juventude.

Economizar gasolina: 7 ideias erradas!

5. “Nada que não se resolva com uma mudança de filtro”

A não ser que o carro seja já antigo, anterior aos modernos sistemas de injeção, o desempenho do filtro de ar é automaticamente compensado. Um carro atual reconhece o estado do filtro e ajusta os racios de combustível e ar de forma a compensar. Continua a ser uma peça que obriga manutenção de forma a manter a potência do motor, mas já não tem o impacto de antigamente.

6. “Combustíveis premium permitem maior economia”

Apesar da publicidade, a não ser que o seu motor esteja preparado para tal, os combustíveis premium não trazem grande vantagem. Consulte o manual para saber o que recomenda o fabricante. Mas, se o seu veículo anda com combustível comum, o mais provável é que a diferença de preço não compense.

7. “Desligo sempre o ar-condicionado na auto-estrada para gastar menos gasolina”

Se circular a baixa velocidade, o ar-condicionado tem um impacto negativo no seu consumo se compararmos com abrir as janelas. Contudo, o aumento da resistência do ar a velocidades superiores inclina a balança em sentido contrário. Janelas, tectos e entradas de ar abertos provocam um consumo de gasolina muito superior do que ligar o ar-condicionado .

8. “Se o motor não vai engatado, não gasta gasolina”

Um carro moderno deteta a posição do acelerador e corta a injeção de combustível se não houver pressão. Deixe o computador do seu motor fazer o seu e concentre-se com a condução. Já sabe que é má ideia mas repetimos: não desengate nas descidas. É preferível manter a mudança para usar o efeito travão-motor e controlar melhor o carro.

9. “ligar, desligar, ligar outra vez… isso é que gasta combustível!”

Um motor a funcionar em ponto morto é o grau zero da eficiência. O aparecimento dos sistemas stop-start já mostrou que, desde que os sistemas de arranque estejam prontos para isso, são mais eficientes. Veículos mais antigos estão desenhados para serem ligados apenas algumas vezes por dia. Com os modernos motores de arranque, é mais eficiente desligar o carro do que ficar alguns minutos em ponto morto.