Equivalência dos pneus: tudo o que precisa saber

26 Fevereiro | 2019 | Goodyear

Sabe o que é a equivalência de pneus? Sabe que deve respeitar as dimensões homologadas pelos construtores do seu veículo? Tenha em atenção que o diâmetro do pneu mais a jante pode variar pouco face à informação que consta no Documento Único ou livrete do seu veículo.

Para os condutores que têm automóveis com pneus com medidas pouco utilizadas ou raras é fundamental conhecer as equivalências entre os pneus. Estes apresentam dimensões semelhantes aos fornecidos com o veículo, são seguros e estão homologados. Isto significa que são totalmente legais para permitir passar na Inspeção Periódica Obrigatória.

Quando se trocam os pneus por outros diferentes dos originais é possível que existam variações nas dimensões em relação ao jogo anterior. Deve confirmar no Documento Único Automóvel, ou livrete para viaturas mais antigas, quais são as dimensões de pneu homologadas para o veículo.

Além disso, devem ser cumpridas uma série de características técnicas que asseguram a segurança na estrada.

Que condições deve cumprir um pneu equivalente?

Se pretende trocar os pneus do seu veículo por uns equivalentes, assegure-se que cumprem os seguintes critérios referidos na legislação. Referimo-nos ao decreto-lei n.º 72-C/2003, de 14 de Abril, que transpõe para o enquadramento legal nacional a Diretiva 2001/43/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Junho de 2001.

Critérios

– Índice de carga do pneu equivalente, igual ou superior ao homologado;
– Código de velocidade do pneu equivalente igual ou superior ao homologado;
– Diâmetro externo igual, com uma tolerância de 3%;
– Perfil da jante igual ao do pneu homologado;
– Não deve haver interferências entre o pneu e outras partes do veículo;
– A largura do eixo do carro não deve variar, com uma tolerância de 30 mm.

Para obter e confirmar se cumprem as condições, recorre à informação disponível em cada modelo. Sabe ler a informação nos seus pneus?

equivalência pneus

Na parte lateral de cada pneu irá encontrar os códigos e que revelam informação revelante sobre as suas especificações. Em causa está a medida do modelo, a velocidade máxima que pode aguentar ou a carga que suporta são apenas alguns dos dados que aparecem na etiqueta e que também deverá ter em conta no momento de procurar as equivalências.

A etiquetagem do pneu: o que deve saber

A – A altura nominal da jante em milímetros, medido flanco a flanco. Quando precisar de saber a largura em polegadas deverá dividir o valor por 25,4 (215/25,4=8,4 polegadas), mas irá sempre encontrar em milímetros.

B – A relação entre a altura e a profundidade, expressa em percentagem (se não está presente, pressupõem-se que é 82%) e o tipo de pneu segundo a sua construção interna: radial (mais comum), diagonal ou de polarização. No caso do exemplo é 55%, com uma estrutura radial (R).

C – Código de diâmetro da roda. Interpreta-se em polegadas.

D – Índice de carga, existe uma tabela específica de equivalências que vai de 60 a 139, e que indica de 250 a 2400 quilos como valor máximo de peso que cada pneu suporta.

E – Índice de velocidade: este indicador também têm uma tabela específica de equivalências. Indica a velocidade máxima recomendada a que pode circular, com carga, um pneu. Esta é a tabela de referência:

M: 81 mph (130 km/h)
N: 87 mph (140 km/h)
P: 94 mph (150 km/h)
Q: 99 mph (160 km/h)
R: 106 mph (170 km/h)
S: 112 mph (180 km/h)
T: 118 mph (190 km/h)
U: 124 mph (200 km/h)
H: 130 mph (210 km/h)
V: 149 mph (240 km/h)
ZR: +149 mph (+240 km/h)
W: 168 mph (270 km/h)
Y: 186 mph (300 km/h)

O desgaste da banda de rodagem, a tração, a temperatura e a pressão são outros dos dados que o nosso pneu nos revela e que complementam aquela rotulagem.

Pneus equivalentes: variação do diâmetro não superior a 3%

Para a equivalência dos pneus, na documentação do veículo (cartão de Inspeção Técnica de veículos ou ficha técnica), pode encontrar-se que medida de pneus foram homologados pelo fabricante para o veículo em causa. Com a nova medida instalada deveremos confirmar que a variação do diâmetro não é superior a 3%.

Caso cumpra todos os requisitos, os pneus são equivalentes e não será necessário legalizar a situação. No entanto, será necessário legalizá-los se não cumprirem quatro requisitos de equivalência básicos: índice de carga, código de velocidade, diâmetro exterior e perfile da jante. Legalmente, não é permitida a substituição de pneus quando estes impliquem riscos de interferência com outras partes do veículo, ainda que sejam equivalentes.

equivalência pneus

Os pneus devem ser homologados e as suas dimensões e características têm de ser os previstos pelo fabricante para cada tipo e modelo de veículo. Por isso, é importante ter em conta e calcular a equivalência dos pneus no momento de utilizar modelos não contemplados no equipamento original do veículo.

Só deste modo será possível não ter problemas na inspecção periódica obrigatória e garantir um comportamento da combinação veículo-pneu na estrada.

Nota: O factor de equivalência de polegadas em milímetros é 25,4.

Good Year Kilometros que cuentan