Combustível errado: não acaba o mundo!

18 Outubro | 2016 | Goodyear

É um dos erros mais frequentes entre os condutores despassarados. Subitamente percebemos a  terrível situação e começamos a sentir uma suor fria no corpo e um tremor nas mãos que antes seguravam firmemente o volante. Reabastecemos com diesel no nosso carro a gasolina! Ou ao invés, e igualmente terrorífico: reabastecemos com gasolina o nosso carro a diesel! E pelas nossas mentes circula a terrível imagem das nossas poupanças a mirrar como uma daquelas folhas que o outono deita alaranjadas nos passeios. E não é uma situação impossível: diversos estudos assinalam-na como um dos motivos de avaria grave mais frequentes.

Mas não é lá que o mundo acaba e ainda há muitas coisas que podemos fazer para salvar a vida do nosso carro. O mais frequente é detetar o erro de modo rápido e fácil, uma vez que as mangueiras diesel costumam ter uma forma incompatível com os depósitos dos carros a gasolina. Mas, se não for assim, e ainda assim perceber que encheu o depósito com o combustível errado, é importante não ligar o motor nem mover o carro, para impedir a distribuição do combustível pelas “tripas” da nossa viatura. É semelhante a um envenamento: tentamos impedir o veneno de aceder a pontos vitais do corpo. Ligue para a a companhia de seguros imediatamente e informe da situação, porque eles estão capacitados para a extração segura do combustível e será a opção mais lógica. Esta solução é a ideal, a menos violenta para os nossos bolsos e a que menos impacto terá sobre o nosso carro e a sua “saúde”.

Combustível dicas despesas

Se, caso contrário, perceber o erro com o carro já a circular, estacione (respeitando as normas de segurança segundo o tipo de via em que estiver) e ligue para o guindaste. Os sinais mais evidentes de que há algo de errado serão os puxões do carro durante a viagem. Quando o carro estiver na oficina procederão a tirar para fora o combustível e a uma limpeza do interior. Sim, será caro. Mas de tudo podemos tirar uma lição, pois não?

Identificar o problema

A melhor forma de evitar danos severos é conhecendo os sintomas que o nosso carro apresentará caso haja um erro. Se abastecermos com diésel um carro com motor de gasolina, podem acontecer duas coisas. A primeira, se a quantidade de gasolina for grande, será que o carro arranque para ficar imediatamente parado. O maior problema é que o diésel terá atravessado já uma parte importante do carro pelo interior, precisando de uma limpeza profunda do depósito e  todas as partes pelas que tiver passado o combustível. Na segunda opção, com uma quantidade escassa de diesel, o carro não deixará de circular, emitindo um fumo branco muito característico pelo escape.

Se o erro for abastecer de gasolina o motor diesel, também teremos um resultado distinto segundo a quantidade. Com muita gasolina, conseguiremos arrancar o carro e, com puxões e sons estranhos, ficará parado. Será necessário limpar o depósito e todas as partes “contaminadas”, e mesmo será recomendável mudar a bomba injetiva porque a sua vida útil terá diminuído muito.

Lembre sempre que neste tipo de avarias as marcas costumam recusar qualquer responsabilidade, uma vez que se trata de um problema derivado da má utilização. E que são especialmente frequentes no caso de carros alugados, isto é, naqueles que não temos por costume utilizar. As despesas originadas por um incidente assim são um bom motivo para andarmos de olho atento na hora de abastecer. A melhor solução é a precaução.

·

Good Year Kilometros que cuentan