000000000000 4 razões para escapar até Peniche - quilometrosquecontam

4 razões para escapar até Peniche

19 Julho | 2019 | Goodyear

A Goodyear diz-lhe quais são os quatro motivos porque deve visitar Peniche

E que tal dar uma escapadinha até à cidade mais ocidental do continente europeu? Há muitas e boas razões para passar um fim-de-semana em Peniche, desde as praias de extenso areal à gastronomia toda ela baseada no peixe, ou não fosse uma cidade piscatória.

A Goodyear dá-lhe quatro razões para visitar a típica cidade situada na pequena península e aproveitar o que de melhor Peniche tem para oferecer.

As praias

A região de Peniche está bem servida de praias tanto a norte como a sul da pequena península onde se situa a cidade, inclusive onde os cães são bem recebidos. A norte, a mais conhecida é a do Baleal. Dividida em duas praias propriamente ditas separadas por uma língua de areia, Baleal Norte e Baleal Sul (o Baleal é, também, uma península) oferece um areal extenso, ótimo para “acampar” com a sua família e desfrutar do sol ou aventurar-se nos desportos aquáticos.

A sul de Peniche fica praia de Supertubos, mundialmente conhecida pelos praticantes e adeptos do surf. Mas a extensão do areal dá espaço suficiente para toda a gente, surfistas ou simples veraneantes. Logo abaixo de Supertubos fica a Consolação, outro dos destinos de praia preferidos da região oeste.

O surf

Se há cidade em Portugal que pode chamar para si o epíteto de capital do surf é, certamente, Peniche. Os melhores praticantes mundiais são presença assídua na praia de Supertubos, onde todos os anos se disputa em outubro o Rip Curl Pro Portugal, etapa nacional da World Surf League. Este ano está marcada para o período de 16 a 28 de outubro e o brasileiro Italo Ferreira vai defender o título conquistado em 2018.

Mas nem só da competição profissional vive o surf em Peniche, onde Supertubos não é a única praia para quem quiser fazer-se às ondas. Para quem quer iniciar-se na modalidade, há várias escolas de surf para todas as idades, do Baleal à Consolação. O La Point Surf Camp, por exemplo, foi eleito no ano passado pelo jornal britânico The Guardian como uma das 10 melhores escolas do mundo.

As Berlengas

Considerada desde 2011 como Reserva Mundial da Biosfera da UNESCO, as Berlengas são, historicamente, a primeira área protegida de Portugal: foi em 1465 que o rei D. Afonso V decretou que “nas Berlengas do mar pessoa alguma vá caçar”. Se quer dar um salto até este paraíso selvagem, convém fazer reserva já que, na época alta, pode ser complicado encontrar lugar nos barcos das várias empresas que transportam os visitantes.

O mesmo vale para o alojamento, já que as dormidas limitam-se Forte de S. João Batista, ao Berlenga Bed & Breakfast e à área de campismo. Tendo tudo marcado, há muito para fazer nas Berlengas, da visita às grutas à observação de aves, dos percursos pedestres ao mergulho. A Haliotis, empresa dedicada às aventuras subaquáticas, disponibiliza várias hipótese de mergulho no mar das Berlengas.

A gastronomia

Já se sabe que Peniche é terra de bom peixe e bom marisco, como qualquer cidade ou vila piscatória que se preze deve ser. A caldeirada é um clássico penichense e são muitos os restaurantes por toda a cidade onde a pode apreciar. Mas há mais para saborear, da sardinha assada à bela mariscada.

Um sítio que não pode deixar passar é a Tasca do Joel, com uma escolha variada de peixe e marisco frescos de comer e chorar por mais. Ao pé do Baluarte, não muito longe da lota, fica o Restaurante do Parque, onde a caldeirada é rainha mas onde deve também provar a sopa de peixe. Na ponta mais ocidental de Peniche, o Cabo Carvoeiro, situa-se a Nau dos Corvos onde, para além da caldeirada à moda antiga, deve experimentar o robalo assado com crosta de sal, para apreciar com vista para as Berlengas.

As sugestões estão dadas. Agora, falta fazer-se à estrada e desfrutar desta verdadeira pérola da região oeste de Portugal.

Good Year Kilometros que cuentan