Espaços verdes e Jardins do Porto: 5 ideias românticas

Restaurantes com vista para o verde, longos relvados para passear de mão dada e recantos discretos: conheça 5 propostas românticas nos jardins do Porto.

Numa cidade romântica como poucas o são, os espaços verdes e jardins do Porto são ponto incontornável para viver o amor. Registados por autores como Sophia de Mello Breyner e apreciados pelo comum homem da rua, são paraísos entre a confusão. Alguns são cápsulas do tempo que nos levam até ao século XVIII, outros deliciam-nos o estômago e a vista. Escolhemos 5 Jardins do Porto que consideramos muito especiais, para momentos a dois ente pessoas ainda mais especiais.

1. Jardim Botânico do Porto

Atualmente com 4 hectares, o Jardim Botânico está organizado em três patamares. O primeiro envolve a Casa Andresen e é onde se desenvolvem os jardins formais, separados pelas altas sebes de camélias. No segundo patamar, encontra-se o jardim de catos e plantas suculentas e três estufas. Finalmente, no patamar mais baixo, encontra-se as coleções de coníferas, plantas autóctones, o fetário e o maior lago do Jardim. Além da sua importância botânica, o Jardim evoca o cenário das quintas de recreio do Porto oitocentista. É ainda um espaço literário, lugar de referência na obra de Sophia de Mello Breyner Andresen e Ruben A.

2. Parque Urbano da Pasteleira

Espaços verdes e Jardins do Porto: 5 ideias românticas

Terminado em 2009, a Pasteleira representa a última grande parcela de vegetação natural no Porto, os Pinhais da Foz. É um espaço aberto, com parques infantis, ciclovia, zona de desporto e piqueniques, com os ocasionais espaços discretos para descontração. Restam ainda alguns românticos sinais da Mata da Pasteleira e do passado da zona. O reservatório de água, os chafarizes e as antigas máquinas aqui dispostas, funcionam com uma espécie de viagem no tempo. Não muito longe, Serralves é um forte concorrente, mas é por vezes vitima da sua fama e das multidões.

3. Jardim de São Lázaro

Inaugurado em 1834, este é o mais antigo jardim municipal da cidade do Porto. Fresco e frondoso, destacam-se o coreto e as esculturas de artistas como Soares dos Reis e Henrique Moreira. Com traçado romântico, envolve-nos na sombra das enormes magnólias, os sons do lago central e no colorido das suas camélias. Foi desenhado por João José Gomes, primeiro jardineiro municipal do Porto, apresentando ainda o seu traçado original. A nascente está a Biblioteca Pública Municipal e, a sul, a magnífica fachada barroca do antigo convento de São Lázaro. Mais pequeno do que outros que nasceram na cidade, tem menos visitas mas é mais usado pelos habitantes da zona.

4. Árvore

Fundada em 1963 por artistas, escritores, arquitectos e intelectuais, a Cooperativa Árvore transformou-se num importante agente cultural. Mas, na sede da Rua Azevedo de Albuquerque, a proposta passa por apreciar esta obra num jardim com vista. O Restaurante Árvore fica no piso -2 e tem uma agradável esplanada virada para o Jardim das Virtudes. Serve cozinha tradicional portuguesa, com destaque para especialidades nortenhas como posta de vitela, cabrito ou bacalhau assados no forno. Prazer para a vista e para o palato, não precisamos de pedir mais.

5. Rota do Chá

Terminamos o nosso trajeto pelos jardins do Porto com uma chávena quente para aquecer também a alma. A Rota do Chá fica no Artes em Partes (edifício que alberga ainda lojas de roupa e discos e galerias de decoração) e é loja, salão e esplanada. A inspiração é “exótica” mas não parece forçada mesmo quando junta Marrocos e Índia lado a lado. Há mantas para nos aquecer no jardim, mas no piso de cima funciona um restaurante abrigado. Há refeições leves, mas também os obrigatórios scones e fatias de bolo caseiro.

Se pretender levar a sua exploração dos jardins do Porto ainda mais longe, conheça a nossa lista de esplanadas recomendadas. Caso chegue com a família e os mais pequenos ainda precisem de atenção especial, visite os restaurantes kid-friendly do Porto.