Há festa na aldeia: o verão um pouco por todo o país

Um pouco por todo o país, nos meses de verão, há festa na aldeia. E não é apenas a iniciativa com esse nome. É todo um manancial de festas a não perder.

Um pouco por todo o país, nos meses de verão, há festa na aldeia. E não é apenas a iniciativa com esse nome. É todo um manancial de festas a não perder. Assim, a Goodyear apresenta-lhe algumas sugestões.

Antes de tudo, as festas e romarias que animam as aldeias e lugares de todo o país são momentos que trazem vida a locais que muitas vezes durante o ano se encontram num estado de despovoamento. Os “filhos”, muitas vezes emigrados, voltam ao lugar onde nasceram, no verão. E as festas são como que as boas-vindas, de revitalização de tradições, de usos e costumes de pequenas localidades.

Iniciativa “Há Festa na Aldeia”

A iniciativa “Há Festa na Aldeia” pretende reavivar tradições, usos e costumes em pequenas localidades portugueses. O projeto, com cinco anos, é inspirado no filme com o mesmo nome de Jacques Tati e é coordenado pela ATA com a missão combater o isolamento das localidades do interior. Estão envolvidas oito localidades do norte de Portugal e a associação trabalha com parceiros locais para recuperar tradições e organizar eventos. A iniciativa foi impulsionada por uma associação de desenvolvimento local, a Terras de Santa Maria, e foi, ao longo do tempo, agregando outras aldeias: Areja (Gondomar) Burgo (Felgueiras), Castromil (Paredes), Couce (Valongo), Figueira (Penafiel), Porto Carvoeiro (Santa Maria da feira), Ul (Oliveira de Azeméis)  e Vilarinho de S. Roque (Albergaria a Velha). Mais recentemente aderiram mais três aldeias transmontanas: Talhas (Macedo de Cavaleiros), Paradela (Miranda do Douro) e Rio de Onor (Bragança).

Festa na aldeia

Projeto contínuo

Durante o ano são promovidos encontros com as comunidades e parceiros locais, como acontece por exemplo numa das aldeias maravilha de Portugal, Rio Onor, que partilha o seu quotidiano com a aldeia gémea em Espanha. A aldeia tem cerca de 50 habitantes, cada vez com mais idade, e as tradições perdem-se tendencialmente. Mas, revitalizar tradições, incluindo o dialeto local, as danças e trajes tradicionais são alguns dos objetivos para esta comunidade em particular.

O grande evento “Há Festa na Aldeia” de Rio Onor está agendado para 8 e 9 de setembro. Nos próximos meses a festa passa ainda por Burgo (Felgueiras) nos dias 14 e 15 de julho, por Talhas (Macedo de Cavaleiros) a 18 e 19 de agosto e por UL (Oliveira de Azeméis) a 1 e 2 de setembro.

Vilarinho de São Roque

O objetivo da iniciativa da ATA passa também por dar asas às povoações que podem dar continuidade às iniciativas. Assim, é esse o caso de Vilarinho de São Roque e Ul que já têm potencial para trabalhar sozinhas. Há eventos criados ao longo do ano como corridas, caminhadas e magustos. Localize aqui as aldeias envolvidas no projeto. A ATA congrega 15 grupos de ação local, os GAL, que gerem verbas comunitárias para pequenos projetos de desenvolvimento rural. Existem fundos comunitários a apoiar a iniciativa e o Turismo Porto e Norte apoia também os municípios. Outras entidades e particulares, cada um na sua área do saber, prestam também o seu apoio. É o caso de Rui Magalhães, um jovem ligado ao folclore que está a reencontrar trajes típicos das aldeias. Outro ainda, o fotógrafo Jorge Bacelar regista momentos destinados aos cartazes de promoção da “festa” e a exposições.

Festa na aldeia

Aldeias em festa

Outra iniciativa que pretende revitalizar aldeias histórias de Portugal é da responsabilidade do grupo Aldeias Histórias de Portugal (AHP) e dos 10 municípios que integram a rede AHP (Almeida,  Arganil, Belmonte, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão, Idanha-a-Nova, Mêda,  Sabugal  e Trancoso).  Também muitas destas localidades foram já visitadas pelo Quilómetros que Contam e os projetos são apoiados por fundos comunitários. Este verão aproveite para visitar as aldeias Linhares da Beira (13 a 15 de julho), Marialva (20 a 22 de julho), Castelo Novo (27 a 29 de julho), Castelo Rodrigo (31 de agosto e 1 de setembro) e Castelo Mendo (14 e 15 de setembro) nos dias das festas. Por isso, os programas incluem música, gastronomia, animação de rua, visitas guiadas, oficinas, e como diz a AHP, “muita, muita festa”.

Festas em todos os cantos do país

Naturalmente, é uma tarefa muito complicada escolher uma lista de festas de aldeia a visitar. Cada um de nós terá a sua festa preferida no local onde nasceu ou de onde temos as origens. Entretanto, a 15 de agosto, Assunção de Nossa Senhora, milhares de localidades promovem as suas festas e procissões. Em Sesimbra, por exemplo, realiza-se uma procissão marítima em honra de Nossa Senhora da Boa Viagem. Além de percorrer algumas ruas, a imagem embarca também numa embarcação, percorrendo a Baía de Sesimbra.

À celebração religiosa, segue-se a festa, no lugar ou na povoação, animadas por artistas populares que convidam à dança. Afinal, é o fim-de-semana em que mais portugueses emigrados voltam a casa para reencontrar a família.