Fluviário de Mora: por este rio acima…

Fluviário de Mora, fomos ao Alentejo conhecer lontras e outros animais de rio. Muito perto de Montargil e a pouco mais de uma hora de Lisboa…

No Fluviário de Mora fomos encontrar aquele que já passou a ser um dos nossos destinos preferidos no Alentejo. Muito perto de Montargil e a pouco mais de uma hora de Lisboa, este aquário de água doce é uma das atrações turísticas mais visitadas da região mas não é só um local de entretenimento. Desde as lontras aos “monstros do rio”, há muito para se ver e aprender numa visita ao Fluviário de Mora.

Aquário alentejano

O Alentejo é local privilegiado no que toca a espaços para oferecermos aos nossos filhos contacto com a natureza. Já antes vos recomendámos uma visita ao Monte Selvagem, perto do Lavre, e agora a nossa atenção não se afasta muito e cai em Mora, onde o Parque Ecológico do Gameiro dedica igual atenção aos animais que vivem à volta dos percursos de água doce.

fluviário de mora

O Fluviário de Mora aproveita a envolvente da Ribeira do Raia mas, entre espaços ao ar-livre e cobertos, recria diversos momentos do percurso de um rio, desde a sua nascente até à foz. A ênfase vai para os ecossistemas que encontramos nos rios nacionais, mas vivem aqui vários exemplares que nos chegam do Amazonas ou dos lagos africanos. O percurso divide-se em quatro áreas principais: galeria de exposições, habitat aquático exterior, salas para exposições temporárias e ala de exposição museológica.

Das Piranhas à poluição

Começando pela primeira sala, dedicada a animais exóticos da América do Sul e de África, não deve haver criança que não se excite com a presença das piranhas. Estes famosos predadores preferem zonas de vegetação densa, talvez para melhor se prepararem para devorar as suas vítimas, mas aqui estamos perfeitamente à vontade para as conhecer o mais próximo que a nossa coragem nos permite.

Na sala ao lado a forma de apresentação muda bastante e uma exposição multimédia com sensores de movimento dá a conhecer pequenas animações sobre diversos temas, todas com uma linguagem bem acessível, para que crianças e adultos entendam o ciclo da água ou o impacto da poluição. Há ainda uma “sala de aula” com actividades várias como modelagem com plasticina, uso de microscópios para se conhecer todos os pormenores dos habitantes dos rios ou o acompanhamento do nascimento e crescimento de “peixes-bébés”.

fluviário de Mora

Conheça o saramugo

Quando chegámos ao Fluviário nem sabiamos o que era um saramugo e apostamos que muitos de vocês estão nas mesmas condições.  Apesar disso, e dos seus diminutos sete centímetros, tem direito a uma sala em nome próprio no fluviário e corre risco crítico de extinção. Ao seu lado moram enguias que, contam-nos aqui, nascem no Mar dos Sargaços e demoram três anos a viajar até às costas europeias, onde voltam a subir os rios tal como os seus pais antes delas. Uma viagem digna de ser contada em filme.

A maior fatia do espaço está reservada para o percurso do rio, que acompanha um comum rio ibérico da nascente até à foz, a sucessão de habitats pelos quais passa, as espécies autóctones, as que foram introduzidas por acção do Homem, quais as que estão em perigo ou as já extintas. Bordalos, cumbas e lúcios são alguns dos “bicharocos” que aqui se cruzam. Para o final do percurso ficam os “monstros”, reis dos rios como o esturjão que, para além da fama do caviar, correm também sério perigo e já não existem em águas nacionais.

O momento favorito da pequenada fica na zona exterior, no lago povoado por rãs, libelinhas, cobras-de-água e plantas como o aloendro ou o lírio-de-água. Ao atravessarmos a ponte podemos observar as lontras-de-garras-pequenas e as lontras-europeias e, se passarmos aqui às horas das refeições, assistir ao momento mais divertido do dias destes mamíferos aquáticos.

Agora já sabe: quer more perto ou ande à procura de ideias para complementar um passeio de fim de semana familiar pelo centro do Alentejo, uma passagem pelo Fluviário de Mora será uma belíssima oportunidade para uma tarde bem passada e voltar a casa com crianças mais conscientes e informadas sobre o meio ambiente.