Grândola, a Vila Morena

Descubra com a Goodyear esta vila alentejana que oferece paisagens de mar e montanha, praias compridas e uma gastronomia rica que combina o melhor do interior e o litoral

Um local perfeito para uma escapadela breve, de dois dias livres para aqueles que ainda não estejam a desfrutar das férias, é a vila de Grândola, no Alentejo litoral. Povoação que não ultrapassa os 7000 habitantes, dispõe, porém, de uma oferta turística alargada e variada preparada para satisfazer interesses diversos e perfeita tanto para uma visita a dois quanto para uma descoberta familiar. Porque esta vila alentejana oferece um abrangente leque de planos turísticos que vão de encontro aos gostos mais variados.

A primeira coisa que chama a atenção do visitante que chega a Grândola é a grande beleza do espaço físico à volta, uma vez que o estuário do Sado banha a localidade e os ventos do norte não conseguem perturbar a sua tranquilidade graças à muralha natural da serra da Arrábida, favorecendo a existência de uma faixa de areia branca que se estende junto da costa durante quase 50 km em direção Sul. Na serra, os extensos bosques de sobreiros cobrem formações rochosos que se erguem quase 400 metros sobre o mar, oferecendo as melhores vistas da região e destacando-se como locais idóneos para os percursos pedestres entre a floresta e as pequenas aldeias.

Na costa, estende-se uma miríade de belas praias de Norte a Sul como a de Tróia, a de Melides, Carvalhal, Comporta ou Aberta Nova, todas elas com espaço de estacionamento e acessos adequados para uma visita familiar tranquila. No caso do Carvalhal existem grandes extensões de pinheiro manso sob cuja sombra é possível um piquenique a salvo do sol do verão. Se quiser mergulhar na história da região, é um bom local para começar a lagoa de Melides, com os restos mais antigos de presença humana: o Dólmen da Pedra Branca e a Necrópole das Casas Velhas.

No Lousal, encontrará o rasto de uma das atividades económicas mais importantes da zona durante grande parte da sua história: a minaria. Uma vez que a região faz parte da faixa piritosa ibérica, uma das principais regiões mineiras da Europa, os vestígios desta atividade estão por toda a parte. Para descobri-los, o melhor é visitar o Centro Ciência Viva do Lousal, a Casa do Mineiro de São Domingos ou o Porto Mineiro do Pomarão. O Museu Mineiro do Lousal situa-se na central elétrica das velhas instalações mineiras e dispõe de um espólio abrangente de objetos da atividade mineira, inclusive da envolvente social e cultural daquela. E, no Centro Ciência Viva, num velho edifício mineiro, descobrirá um centro de múltiplos espaços destinados a explorar ciências naturais e exatas relacionadas também com a minaria, incluindo uma gruta virtual e um laboratório, bem como um miradouro. A presença de um restaurante e uma loja de artesanato complementam uma visita que visa pôr em contacto o turista com a alma regional.

litoral-alentejano

 

Uma vila histórica

A vila de Grândola tem uma história longa evidenciada nas ruínas romanas do Cerrado do Castelo, onde umas termas de quatro tanques funcionaram na Antiguidade. Outro ponto de especial interesse para o património está na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção, um templo do século XVI com uma torre sineira de particular beleza, e um passeio em volta que oferece um ponto perfeito para uma lembrança fotográfica da visita. Não deixe de admirar os seus azulejos seiscentistas e o teto de madeira pintada. Perto, a Praça de São Jorge oferece um ponto histórico do qual conhecer o passado local: aqui concentravam-se o Tribunal, a Câmara Municipal, o Celeiro da Comenda, a Misericórdia, a cadeia e o hospital.

Se há alguma coisa pela qual Grândola ficou conhecida foi a clássica canção de José Afonso, de grande importância no 25 de Abril. O nome da vila ficou associado para sempre àqueles versos. Três monumentos comemoram aquela data e os seus protagonistas: o Monumento à Liberdade, uma escultura em ferro de Jorge Vieira perto do Largo Catarina Eufémia que permite leituras distintas dependentes do ângulo principal de visão; o Memorial ao 25 de Abril, uma parede curva revestida de azulejos que recolhe a letra da Grândola Vila Morena e um cravo, da autoria de Bartolomeu Cid; e o Monumento a José Afonso, uma escultura em ferro obra de António Trindade que homenageia o autor daquela peça, o cantor José Afonso.

Não pode vir a Grândola um par de dias se deixar-se apaixonar pela gastronomia local, pautada à volta das influências litorais e interiores, como uma síntese gastronómica de dois mundos nem tão diferentes. As sopas e massas de peixe e marisco e as caldeiradas, além das enguias, são pratos estrelas locais, que pode desfrutar em qualquer dos muitos restaurantes próximos do mar, que adicionam uma vista espetacular ao sabor do produto local. E, quanto ao interior, a gastronomia alentejana mais clássica também tem presença aqui: enchidos, pratos de caça como javali, e os insubstituíveis acompanhamentos de ervas aromáticas: orégão, alecrim, hortelã… Em Canal Caveira poderá degustar um dos melhores cozidos à portuguesa do panorama nacional, segundo amplo consenso.

Diga lá, já sente a vontade de ir descobrir Grândola…