Hotéis de charme em Lisboa

Escolhemos 7 hotéis de charme em Lisboa, também chamados de “boutique” ou “design”, e mostramos-lhe como viver o melhor que a cidade tem para oferecer.

O seu carisma e conforto podem enganar. Quando falamos de hotéis “de charme” ou “boutique” não precisamos de esvaziar a carteira. As propostas de alta qualidade não precisam de vir acompanhadas pela etiqueta do luxo ou dos preços proibitivos. Em vez disso, podemos encontrar pitorescos velhos edifícios e conceitos inovadores, decorações curiosas ou outra forma de revelar a contemporaneidade e História de um local como Lisboa.

Com o crescimento do turismo na cidade, aparecem cada vez mais este tipo de propostas, muito bem recebidas pelo mercado estrangeiro. Mas, em vez de serem parte esquecida desta maré, os portugueses encontram também aqui algumas das melhores formas de aproveitar a cidade. Afinal, ainda é possível uma escapadela na capital mesmo para quem já conhece muito bem a cidade.

Experiências únicas em espaços originais

A reabilitação da cidade tem revelado e colocado de novo ao dispor de Lisboa edifícios e bairros históricos. Em paralelo, a qualidade e quantidade de oferta do alojamento na capital cresceu de forma explosiva. O facto dos turistas estrangeiros regressarem, ano após ano, é revelador de que são bem servidos, com um elevado nível de satisfação. Alguns dos melhores hostels do mundo estão em Lisboa mas há também propostas para um público mais adulto. A tendência são agora os hotéis de charme, boutique ou design e nós destacamos 7 que oferecem uma experiência única em Lisboa.

Browns Boutique Hotel 

Na rua da Vitória, coração da Baixa, a recuperação de um velho edifício resultou num espaço sofisticado e agradável. A decoração inclui peças de designers como Arne Jacobsen, Eames, Artemide, Eero Saarinen e Robert, para criar um ambiente único. Conta ainda com um bistro com bons hambúrgueres e tostas.
O que fazer: apanhar o 28 logo pela manhã, antes que as filas comecem a formar-se.

LX Boutique Hotel

A localização é quase perfeita. Basta subirmos para “atacar” o Bairro Alto e o Chiado, a Baixa está a dois passos e passam aqui os principais meios de transporte da cidade. A vista para o Tejo e o bom gosto na recuperação do velho edifício da Rua do Alecrim justificam o atributo “de charme”.
O que fazer: aproveitar a proximidade do Confraria para experimentar excelente Sushi. Se não gosta do peixe crú, à cidade não faltam outras boas propostas.

Lisboa Carmo Hotel

Reconstruído a partir de um edifício antigo no Largo do Carmo, oferece uma vista ímpar sobre a cidade. Cada um dos 45 quartos reflete a história e a identidade de Lisboa. Desde standard, vista cidade, superior ou familiar, todos os detalhes foram pensados para que se sinta em casa.
O que fazer: aproveitar a proximidade da colina mais boémia de Lisboa para viver a noite no Bairro Alto, descer a Bica e acabar nos bares do Cais do Sodré.

Hotel Santa Justa

Encaixado entre a Rua de Santa Justa e os Corrieiros, a localização é um dos principais trunfos deste hotel. Mas não seria suficiente para fazer parte desta lista, se não fosse o caso de resultar de uma primorosa recuperação de um edifício centenário e icónico da Baixa. Onde era a antiga Lanalgo, há agora um “posto de observação” do bulício da cidade.
O que fazer: Aproveite a vista do Elevador, do Convento ou do Miradouro de São Pedro de Alcântara.

Portugal Boutique Hotel

O turismo tem trazido múltiplas vantagens para os alfacinhas e a localização deste hotel é uma delas. Onde antes viviam algumas figuras marginais, passeiam-se agora turistas em total segurança, numa zona de visita obrigatória. Entre a Praça da Figueira e o sopé da íngreme subida ao Castelo, fica no “centro da ação”.
O que fazer: Aventurar-se pela Mouraria, seguir para o Castelo e aproveitar os bairros a oriente da Baixa, como Alfama e a frente ribeirinha.

Hotel Jerónimo 8

Em frente ao Mosteiro dos Jerónimos, numa zona como Belém, frente à majestosa Praça do Império e a curta distância da frente ribeirinha do Tejo, o Jerónimos 8 faz a sinergia entre design e História. A primeira impressão à entrada é conferida pelo minimalismo de linhas limpas, pelas paredes vermelhas, pelo irreverente cubo wengé da recepção e pelas arrojadas obras de arte por consagrados artistas nacionais contemporâneos.
O que fazer: Apreciar a frente rio e conhecer a relação da cidade com o oceano e os Descobrimentos. E, porque não fazer a viagem junto à água até Cascais, pela Marginal?

Hotel do Chiado

O Hotel do Chiado localiza-se bem perto do Bairro Alto, Praça do Rossio e Avenida da Liberdade. Edificado nos Armazéns do Chiado, foi totalmente recuperado por Siza Vieira após o incêndio de 1988. Este ponto voltou a ser o mais trendy, elegante e chique de Lisboa, e este é o único hotel da cidade com quartos com terraços privados e vista panorâmica para o Castelo e Rio Tejo.
O que fazer: Sentir o pulsar urbano e agitado da cidade. O Rooftop Bar, localizado no 7º piso é conhecido por ter a melhor vista de Lisboa e é o local ideal para um jantar romântico ou descontrair ao final de um dia de trabalho.