Ilha Terceira: em torno do Algar do Carvão

A Ilha Terceira, nos Açores tem menos atrações que outras ilhas. Mas quantidade não é qualidade. No local vive-se uma simbiose em torno da natureza e o património assinalável. É caso do Algar do Carvão ou da zona histórica da capital. Ideal para uma escapadela de fim-de-semana.

A Ilha Terceira, nos Açores, lembra a Nova Zelândia ou um dos cenários do Senhor dos Anéis. As atrações são menos que noutras ilhas, mas quantidade não é qualidade. Aqui vive-se uma assinalável simbiose em torno da natureza e do património. É caso do Algar do Carvão ou da zona histórica da capital. Em suma, é ideal para uma escapadela de fim-de-semana.

A ilha Terceira, dominada pelo verde dos campos e pelo azul do mar e do céu, tem vindo a reforçar a aposta no turismo focado na natureza, na cultura e no património edificado. A Terceira foi, como indica o nome, a terceira ilha do arquipélago descoberta pelos navegadores portugueses, no final de 1420. É a segunda ilha mais habitada do arquipélago e a mais oriental das cinco que compõem o grupo central (Graciosa, São Jorge, Pico e Faial).

Vulcânica, como todo o arquipélago, ninguém pode passar pela ilha sem visitar a chaminé Algar do Carvão. Mas comecemos pela cidade que é, por si mesma, algo a não perder.

Angra do Heroísmo

Angra do Heroísmo é Património Mundial, segundo a UNESCO, desde a 1983. Assim, vale a pena dedicar algumas horas para passear nas ruas pitorescas ladeadas de fachadas maravilhosas, no centro histórico da cidade. A Rua Direita, o Monumento da Memória, a Sé Catedral ou a Igreja da Misericórdia são apenas alguns dos edificados que contribuíram para transformar a cidade em Património Mundial.

Ilha Terceira: em torno do Algar do Carvão

Jardim Duque da Terceira

Em primeiro lugar, poderá começar a viagem com uma visita ao Jardim Duque da Terceira. O jardim remonta a 1882 e está repleto de espécies botânicas e tesouros históricos. Daqui terá a vista sobre a baía de Angra do Heroísmo e para a península do Monte Brasil.

Monte Brasil

Depois de a observar a partir do jardim, pode prosseguir e apreciar, de outra perspetiva, a península do Monte Brasil. É uma zona protegida, uma paisagem natural, que, como muitas outras formações no arquipélago, teve origem vulcânica no caso no mar. Da mesma forma, a vigiar o local, a Fortaleza de São João Baptista apresenta uma vista panorâmica fantástica.

Algar do Carvão

Rumo a norte, o próximo motivo de interesse, no coração da ilha e inserido na Reserva Florestal Natural da Serra de Santa Bárbara e Mistérios Negros está o Algar do Carvão. Este monumento natural, uma chaminé vulcânica, formou-se há aproximadamente 3200 anos, depois do magma ter escorrido a partir da chaminé dando lugar a esta maravilha. Termine a visita com a descida da chaminé e deleite-se com estalactites e um pequeno lago subterrâneo. O local pode ser visitado todo o ano, embora na época baixa nem sempre esteja aberto. Não deixe de se certificar, antes de se deslocar.

Gruta do Natal

Entretanto, na mesma Reserva Florestal, encontra outra formação geológica única, resultado do fluxo de diferentes tipos de lava: a Gruta do Natal. Junto aos Picos Gordos, é um lugar dominado por estruturas geológicas únicas. O espaço que é também conhecido como Galeria Negra ou Gruta do Cavalo. Caso esteja fechada a visitas, pode aproveitar para apreciar a Lagoa do Negro, outra paisagem natural inesquecível. proximidades Algar do Carvão e da Gruta do Natal vai encontrar outras formações geológicas de origem vulcânica. Nas Furnas do Enxofre pode observar fumarolas com saídas de gases sulfurosos, um sinal da Natureza de que a actividade vulcânica não acabou.

Tradição e natureza combinadas

A freguesia de Biscoitos é um ponto de interesse por si mesma, devido à sua arquitectura e tradições vinícolas. No entanto, se o tempo estiver favorável, poderá mergulhar nas Piscinas Naturais. No concelho da Praia da Vitória, poderá apreciar a vista sobre a baía e a planície das Lajes e uma vasta área interior da ilha a partir do Miradouro da Serra do Cume. Os miradouros parecem não acabar na Terceira. Na Serra de Santa Bárbara são vários os locais em que pode vislumbrar a paisagem natural da Ilha.

A cidade Praia da Vitória, na costa este da ilha, é banhada pela maior baía do arquipélago, que pode ser observada, em toda a plenitude, a partir do Miradouro do Facho. Está também nas proximidades do aeroporto, mas o centro histórico e os seus pontos de interesse focam a atenção. É o caso da Igreja Matriz, da Igreja do Senhor Santo Cristo e da Casa Museu de Vitorino Nemésio. Se ainda tiver tempo disponível, procure tirar partido dos passeios de observação de golfinhos e baleias. No entanto, a possibilidade de avistar e acompanhar os passeios dos cetáceos vai depender da época. Aproveite ainda o extenso areal das praias, que se distinguem pela exposição solar e pela temperatura tépida das águas.

Gastronomia

Os amantes da gastronomia não saem defraudados da ilha. A alcatra, as Donas Amélias, mas também as sopas de Espírito Santo, as Cornucópias, o Alfenim ou as Caretas são alguns dos petiscos típicos da região.

Visite a queijaria artesanal nas Cinco Ribeiras onde é produzido o Queijo Vaquinha. Esta atração inclui a fábrica, um pequeno café e uma área de vendas e provas. No entanto, a sugestão no centro da cidade, vai para o restaurante O Chico com uma carta de comida tradicional. Lapas grelhadas, filetes de abrótea e alcatra são algumas das opções seguras. Para os gulosos, e não só, as queijadinhas típicas da ilha podem ser encontradas na Donas Amélias. A receita remonta a 1901 quando as senhoras de Angra do Heroísmo as fizeram para receber a rainha Dona Amélia.