Injetores diesel: o que são e como se limpam

22 Agosto | 2019 | Goodyear

Sabe o que são os injetores diesel? Na Goodyear dizemos que tipos existem, como funcionam e como fazer a manutenção correta.

Os injetores são as peças do motor cuja função é levar gasóleo a alta pressão para o ciclo de compressão do motor. A reação produz-se no contacto com o ar a alta temperatura, o que provoca uma pequena combustão que desencadeia o ciclo de movimento do motor.

O que são os injetores diesel e que tipos existem?

Pode definir-se injetor como uma eletro-válvula que abre e fecha vezes infinitas de forma precisa após o impulso elétrico que a faz mover. É a peça que introduz o combustível, seja na câmara de pré-combustão ou no tubo de admissão. Esta injeção de combustível pode ser direta ou indireta mas introduz sempre o combustível de forma pulverizada.

Existem dois tipos de injetores

  • Injetores eletrónicos: estão presentes nos motores a gasolina. Oferecem ordem e eficácia já que, através de sensores, administram a quantidade de gasolina necessária no momento certo. Os injetores eletrónicos são ativados por uma centralina.

Nos anos 1970, este tipo de injetores foi aperfeiçoado com a chegada do sistema “common rail”, ou carril único.  Este sistema funciona aspirando o gasóleo do depósito de combustível e enviando-o para um carril comum que, a partir dos injetores, é enviado para cilindros de alta pressão.

  • Injetores mecânicos: estão presentes desde sempre nos motores a diesel. Deixaram de ter protagonismo depois da aparição da injeção “common rail”. O seu funcionamento era básico, pulverizando o combustível de forma controlada e mecânica.

Independentemente da tipologia, os injetores devem estar sempre limpos para garantir o rendimento do motor e, sobretudo, para um consumo moderado de combustível. O facto de estarem sujos implica pior rendimento e maior gasto de carburante devido à obstrução que se produz por causa das impurezas do combustível.

Podemos dar-nos conta de que os injetores estão sujos quando o nosso carro dá esticões em plena aceleração ou desaceleração. É um aviso para atuar. Se não fizermos, corremos o risco de que o cilindro deixe de funcionar devido às obstruções nos injetores.

Para evitar que isso aconteça, é mais do que recomendável fazer uma revisão preventiva dos injetores. Recomenda-se a sua limpeza aos 100.000 quilómetros e, posteriormente, a cada 50.00 quilómetros. Desta forma, estaremos a dar uma vida longa aos nossos injetores e, além disso, permite melhor controlo dos consumos.

Como limpar os injetores

Como já dissemos, é fundamental manter os injetores limpos para o bom funcionamento do veículo. A limpeza pode ser feita de diferentes maneiras, todas elas fiáveis e eficazes.

  • Limpeza de injetores através de líquidos com aditivos: é, possivelmente, o método mais simples de todos. Basta comprar um líquido limpador de injetores e esvaziá-lo no depósito de combustível. Este sistema não só é simples como é, normalmente, barato. O problema é que há marcas de veículos que não comportam o uso destes líquidos já que podem ser corrosivos devido às substâncias químicas que possuem.
  • Limpeza  por varredura: faz-se com um líquido de limpeza específico, com o motor a funcionar enquanto o líquido faz efeito nos injetores. Ao não diluir-se é normalmente mais eficaz do que os líquidos com aditivos. A desvantagem deste sistema é que existe um risco maior de danificar os injetores durante o processo.
  • Limpeza por ultrasons: é o método mais delicado já que é necessário desmontar os injetores e colocá-los numa banca de provas onde serão lavados e verificados vários elementos, como o fluxo, a resistência, o padrão de pulverização e o aperto.

Este sistema é mais eficaz porque pode corrigir todos os defeitos de forma individualizada. Além disso, antes de serem reinstalados no veículo, são colocados selos e juntas novos. A desvantagem deste sistema é o seu custo, o mais caro de todas as opções, e o facto do veículo ter de estar imobilizado enquanto se faz a reparação.

Truques para conservar os injetores em bom estado

  • Uso de aditivos: Muitas marcas de combustíveis utilizam-nos nos seus carburantes. Podem ser comprados em qualquer loja de peças.
  • Não abusar do excesso de rotações do motor. A partir das 2000 rotações produzem-se resíduos de carvão, vibrações e, logo, maior desgaste.
  • Respeitar os prazos para a mudança de filtro de combustível, que deve ser feita a cada 30.000 quilómetros. Será sempre mais barato do que mudar os injetores.
  • É recomendável não reabastecer com biodiesel porque pode acelerar a corrosão dos componentes.
  • Limpar os injetores: neste caso é recomendável, caso estejam em más condições, que recorra a um mecânico.
  • Circular muito tempo na reserva e não limpar os filtros é o principal motivo pelo qual os injetores ficam sujos. Isto implica uma deterioração exponencial dos injetores devido à acumulação de sujidade, provocando avarias no mecanismo dos injetores.
  • Evitar reabastecer em bombas de gasolina acabadas de encher. A razão é que a pressão com que o combustível entra nos depósitos é muito alta e levanta impurezas que podem entrar no depósito e obstruir os injetores.

Os injetores são peças fundamentais no bom rendimento do nosso veículo e devemos mantê-los em bom estado para evitar possíveis avarias no futuro. 

 

Good Year Kilometros que cuentan