Problemas com a junta da cabeça: desmontando os mitos

4 Junho | 2019 | Goodyear

É certo e seguro já ouviu falar, mais de uma vez, da junta da cabeça, uma avaria que pode sair bastante cara. Embora possa parecer um mito inventado pelos mecânicos, a junta da cabeça existe e, se o seu automóvel tem problemas deste tipo e é preciso trocá-la, o melhor é preparar a carteira. Para evitar uma visita ao mecânico em busca de uma solução para o problema, é importante reconhecer os sinais de alarme antes de uma possível avaria.

Antes de mais, é preciso saber o que provoca as avarias da junta da cabeça e a resposta está, muitas vezes, no motor. Em concreto, na temperatura do motor. Se a propulsão do seu automóvel atinge temperaturas muito elevadas, o sobreaquecimento provocará falhas na junta da cabeça, que não está preparada para suportar temperaturas excessivas. O automóvel não terá água suficiente para esfriar a temperatura e a avaria torna-se inevitável.

Outra das razões que explicam este tipo de avarias é, precisamente, a perda de água. Qualquer fuga no sistema de refrigeração do automóvel fará com que a junta da cabeça não tenha água suficiente e se veja submetida a uma temperatura muito mais alta da que é capaz de suportar. Chegar-se-á ao ponto em que a junta queima e deixa de funcionar bem. Tenha cuidado, já que está perda de água pode dever-se ao facto de a junta estar mal ajustada, a falhas no radiador à própria bomba de água ou a falhas no termostato… É importante conhecer a origem da avaria, para que não se repita.

Se a junta da cabeça está mal ajustada no interior do motor poderá provocar outro tipo de avarias para além da perda de líquidos. Por exemplo, com o automóvel em andamento, o movimento do motor golpeia constantemente esta peça, que pode acabar por romper-se. Ao não estar na posição ideal, perde elasticidade e a capacidade que possui para adaptar-se ao movimento. Mais cedo ou mais tarde, a avaria irá aparecer. Por fim, os gases da combustão podem provocar queimaduras que, se não forem detidas, serão críticas para a junta.

Sinais de alarme: como prevenir avarias na junta da cabeça

Como já dissemos, a reparação das junta das cabeça é muito dispendiosa. Por isso, identificar os sinais de alarme, antes de uma possível avaria, é de vital importância. Se a temperatura do motor sobe mais do que o normal, no painel de instrumentos deverá ter atenção ao aviso da temperatura do motor. Mesmo que seja tentador, o melhor é não ignorar já que o sobreaquecimento pode ser o primeiro passo para uma avaria muito séria.

Se vir que o líquido de refrigeração está a baixar mais rapidamente do que é habitual e não existe qualquer fuga à primeira vista, é provável que a culpa seja dos defeitos na junta da cabeça. É também provável que o óleo do motor se tenha agarrado ao circuito anticongelante ou, ao invés, que o anticongelante se tenha misturado com o óleo do motor. Isto provocará uma subida do óleo (não deve conduzir quando está acima dos limites recomendados) e da temperatura, para além de alterar a cor do óleo.

Por último, temos a saída de água pelo tubo de escape. Produz-se quando o anticongelante se introduz num dos cilindros do motor e pode ser detetado pela forma como o motor treme quando está a utilizar um cilindro a menos. Por vezes, esta perda de potência vem acompanhada de fumo cinzento ou branco, para além da água. Se detetar qualquer uma destas falhas ou verificar que está com consumo excessivo de água ou de óleo, deverá visitar o seu mecânico de confiança, já que pode ser o preâmbulo de uma avaria dispendiosa na junta da cabeça.

Good Year Kilometros que cuentan