Lisboa no Cinema: 7 exemplos famosos

Hollywood também tem uma paixão por Lisboa no cinema. A cidade é perfeita para histórias nostálgicas e melancólicas como estes 7 exemplos rodados na cidade.

Os portugueses, e os lisboetas em particular, têm um orgulho gigante na sua capital. E, como assistimos nos últimos anos, é um sentimento merecido: quem vem de fora concorda e regressa. Mas o fascínio pela cidade não é recente. Desde há décadas que encontramos aparições regulares de Lisboa no cinema internacional. Há uma característica comum em todas estas visões da cidade: quando a ideia é representar um local intemporal, marcado pela patina dos anos, Lisboa adequa-se à tarefa de forma perfeita. (Re)veja connosco 7 clássicos do cinema que foram filmados em Lisboa.

1. 007 – Ao serviço de sua majestade, 1969

James Bond seduz a filha de um chefe da máfia e investiga os motivos por detrás de uma pesquisa científica que envolve bonitas mulheres de todo o mundo.

Tal como convém ao CV do agente mais famoso do mundo, a Lisboa que George Lazenby visita no seu único papel como Bond é bastante cosmopolita. Além do Estoril e do Guincho, Cacilhas e Setúbal, 007 andou pelo Rossio, na Joalharia Ferreira Marques. Antes do filme prosseguir depois para outros destinos, é em Portugal que se passam as cenas românticas.

2. A casa da Rússia, 1990

Um britânico expatriado vê-se envolvido com os serviços secretos britânicos para investigar pessoas na Rússia.

Sean Connery não veio como 007 mas aterrou no Príncipe Real para contar a história de um agente reformado. Consigo trouxe Michelle Pfeifer e um argumento de John Le Carré. Lisboa aparece aqui com uma face muito clássica e monumental, com a colina do Castelo a ser uma visão imponente a partir do Jardim do Torel. Temos ainda uma curiosa visita à parte oriental, antes da Expo, que regista como era a zona nos anos 90.

3. Cidade Branca, 1983

Um marinheiro suíço abandona o navio em Lisboa e escreve cartas à sua amante sobre amor e vazio. Com uma câmara de 8mm na mão, acaba por apaixonar-se por Rosa.

Lisboa já está muito longe da imagem que recebeu Alain Tanner, o realizador, no princípio dos anos 80. Era ainda uma cidade em que as bolsas de pobreza chegavam até ao centro. Ficou aqui registado um país que ainda tinha muito que crescer social e economicamente e a memória não é agradável. Mas o cinema também é isto: gravar a realidade para construir a fantasia.

4. Viagem a Lisboa, 1994

Um diretor desaparece enquanto regista um filme sobre Lisboa. O seu engenheiro de som vê-se a braços com a tarefa de terminar a obra enquanto se passeia pela cidade de câmara na mão.

Wim Wenders gosta claramente do nosso país pelo qual nutre uma visão muito romântica. E, no princípio dos anos 90, falar de Portugal incluía, inevitavelmente, os Madredeus. É com Teresa Salgueiro e Pedro Aires de Magalhães que a personagem principal dialoga nos intervalos das suas deambulações. Há muita Alfama e as suas escadarias, o 28 a rolar pela cidade e os barcos no Tejo esplendoroso.

5. Mistérios de Lisboa, 2010

Uma condessa ciumenta, um rico homem de negócios e um jovem órfão visitam Portugal, França, Itália e Brasil, onde encontram misteriosas personagens.

É um épico de quatro horas que adaptou a obra de Camilo Castelo Branco para o cinema e televisão. No Palácio Foz, Palácio da Mitra e na Quinta da Francelha filmaram-se bailes, e o Palácio do IADE, no Chiado, foi também um dos locais escolhidos. Foi a maior e mais complexa adaptação já feita de um autor português e um dos filmes nacionais mais caros.

6. Casa dos Espiritos, 1993

Um agricultor, a sua esposa clarividente e a família enfrentam os turbulentos anos da revolução no Chile.

O elenco, mesmo passados todos estes anos, continua a ser de luxo. Meryl Streep, Jeremy Irons, Glenn Close, Winona Ryder e Antonio Banderas, visitaram Portugal para encenar a obra de Isabel Allende. As filmagens da herdade foram feitas em Vila Nova de Milfontes, mas Lisboa é o centro da trama política. As escadarias da Assembleia da República, que já testemunharam tanta História, assistem aqui à revolução chilena.

7. Comboio Noturno para Lisboa, 2013

Raimund Gregorius, um professor suíço que leva uma vida pacata, embarca numa aventura que o levará numa viagem ao coração de si próprio.

Do mesmo realizador de Casa dos Espíritos e incluindo também Jeremy Irons, temos aqui mais tempo para apreciar a cidade. Lisboa aparece com uma aura misteriosa, com a patina do tempo do Cemitério dos Prazeres ou o pôr do sol sobre a Ponte 25 de Abril. Todos os pequenos pormenores, mesmo quando não reconhecemos a localização, são deliciosamente lisboetas.