Manutenção de híbridos: mais simples do que imaginava

17 Agosto | 2015 | Goodyear

O futuro é eléctrico”, foi uma expressão bastas vezes usada na passagem do séc. XIX para o XX que mantem ainda toda a pertinência. Aos poucos, a eletricidade torna-se elemento cada vez mais presente nas nossas estradas e, se for um de nós, loucos por tecnologia, já tem ou está de olho num híbrido. Conheça aqui em que é que são diferentes do seu velho e poluidor amigo.

É verdade que estes carros, ao juntarem tecnologias de diferentes mundos, apresentam questões específicas de manutenção, mas já não estamos no princípio do seu desenvolvimento e muito se sabe sobre os cuidados a ter com eles. Apesar disso e, mesmo com o aumento de custo que possa pressupor, procure sempre um concessionário da sua marca, onde tem a certeza que os mecânicos e técnicos apresentam a experiência adequada. Aposte em quem lhe der sinais de confiança e será recompensado com tranquilidade…

Da mesma forma, é imperioso que recorra sempre às peças aconselhadas pela marca. Os híbridos têm diferentes sistemas de travagem, arrefecimento, ar condicionado, baterias, etc., e o especialista sabe que peças usar. Como já deve saber, as baterias destas viaturas são bastante caras, por isso não vá na conversa de um mecânico que lhe prometa os mesmos resultados por menos dinheiro: a longo prazo o resultado poderá ter custos muito  híbridos

Olhos e ouvidos atentos

O diagnóstico de problemas comuns num carro híbrido não é muito diferente de um carro puramente a combustão. Esteja atento a todos os barulhos e comportamentos estranhos que detectar. Quando liga o carro ouve-o “tossir”? Pode ser sinal de problema na ignição ou na combustão, que necessita ser inspecionado por um mecânico.

Os automóveis híbridos têm os componentes de um motor de combustão comum e precisam do mesmo tipo de manutenção, tal como a mudança de filtros de ar e óleo. Contudo, a regularidade é diferente: a parte elétrica retira algum do esforço que normalmente recai sobre o motor de combustão e essas reposições são mais espaçadas no tempo. Os elementos dos travões também necessitam de mudanças menos frequentes, devido às características de aproveitamento de travagem desses carros. Veja com o fabricante os períodos de manutenção recomendados.

Vida útil da bateria

O maior ataque que os detratores fizeram sobre os híbridos sempre foi a duração da bateria. Contudo, os híbridos que atualmente temos no mercado apresentam todos uma vida útil de bateria superior à vida útil do automóvel. Apesar disso, e para a manter no topo do desempenho, a química destas baterias comporta-se melhor com um nível de carga entre os 40 e os 60%. Desta forma o elemento nunca é completamente descarregado nem carregado, evitando assim esforços desnecessários. Este nível de carga pode ser obtido simplesmente através da travagem regenerativa, por isso é um valor a ter em atenção mas não é motivo para grandes preocupações.

Acima de tudo, não se desleixe e use um rigoroso calendário de check-ups regulares, de preferência sempre no mesmo local. Esta rotina é a melhor forma de diagnosticar problemas e manter o carro em forma, para que evite reparações tardias e mais dispendiosas.

Good Year Kilometros que cuentan