Manutenção dos seus pneus: tão fácil como contar até 5

Os pneus são um elemento fundamental tanto para o desempenho da viatura como para a segurança dos seus ocupantes

Esquecemos-nos muitas vezes que os únicos pontos de contacto do nosso veículo com a estrada são de borracha. Os pneus são um elemento fundamental tanto para o desempenho da viatura como para a segurança dos seus ocupantes. Mas, ao contrário de muitas outras partes do seu automóvel, é possível mantermos um olhar atento, que aumente a vida destas cinco peças (nunca se esqueça do sobresselente!).

Em cinco passos apenas, deixamos-lhe aqui um guia simples que lhe poupará dinheiro e dores de cabeça.

 

1. Olhar atento

O passo mais óbvio é também o mais importante: olhe regularmente para os seus pneus. Inspecione se há algum objecto preso na borracha e se as paredes laterais não apresentam cortes, rachas ou outras irregularidades.

Todos os pneus de produção recente incluem indicadores de piso, barras de desgaste que ficam visíveis quando o pneu aproxima-se do mínimo de segurança. E, naturalmente, os quatro pneus não se desgastam por igual. Esteja atento a se já é altura de efetuar a rotação dos pneus ou se o desgaste que identifica tem outras causas. Por exemplo, se notar um desgaste excessivo em apenas uma das rodas pode ser altura de alinhar direção ou rever a suspensão.

 

2. Uma questão de pressão

A pressão correta dos pneus é factor que desde a escola de condução nos ensinam a prestarmos especial atenção. Mas não basta dar um pontapé ao pneu de vez em quando para que tudo esteja bem.

Habitue-se a verificar a pressão pelo menos uma vez por mês e tenha especial atenção se usar pneus radiais. Neste tipo de pneu é mais difícil avaliar a pressão baixa através do efeito na condução e podemos estar a exceder os limites da câmara sem darmos por isso.

Um pneu em baixo perde eficiência e segurança nas curvas e travagens e aumenta o consumo de combustível. Em sentido contrário, o excesso de pressão aumenta a possibilidade de dano num impacto e provoca vibrações indesejadas.

Verifique a pressão dos pneus a frio, de preferência de manhã, antes que o pneu dilate com o calor, e obedeça sempre às especificações do fabricante. Se notar que, repetidas vezes, o mesmo pneu baixa excessivamente de pressão, está na altura de consultar um especialista.

 

3. A dança dos pneus

Como já referimos, os quatro sapatos do seu carro não se gastam todos da mesma forma. Isso acontece devido ao tipo de tração e é perfeitamente normal na maioria das vezes. Os fabricantes aconselham a rotação dos pneus, da traseira para a dianteira e vice-versa, a cada 10.000km, mas hábitos de condução mais agressivos ou exigentes, poderão aconselhar a reduzir esse valor.

Apesar de ser um processo relativamente simples, é recomendável o recurso a um especialista, pois poderá exigir a recalibração e desmontagem em alguns dos casos, ou padrões específicos de rotação noutros.

 

Manutençao pneus

4. Em caso de dúvida, consulte o especialista…

… não arrisque, nem tente re-inventar o que já foi inventado. Os hábitos de cada condutor são únicos e o ambiente onde ele conduz também. Por isso não há valores universais, apenas valores indicativos. Aquilo que há, com toda a certeza, são os mínimos sem os quais não pode conduzir em segurança. Se, em qualquer um dos pontos anteriores, verificar danos visíveis, fracturas, golpes, bolhas ou qualquer outro sinal de alarme, não arrisque: mesmo que lhe pareça que, segundo as suas contas, ainda deveria ter muitos mais quilómetros até esgotar a vida útil dos seus pneus, está na hora de ir até à oficina e comprar pneus de substituição.

 

5. Nunca se esqueça do pneu sobresselente!

Escondido na parte de trás do carro, o sobresselente é a última coisa de que nos lembramos e, por vezes, consideramos até um empecilho. Mas está lá e não é só para quando tem um furo. Não há motivos para conduzir com qualquer pneu que não inspire confiança se ainda tem mais uma solução ao seu dispor. Mesmo que não lhe dediquemos a atenção a que nos obrigam os quatro que tocam diariamente no asfalto, regularmente e sempre que iniciemos uma viagem mais extensa, temos a obrigação de verificar o seu estado. Não são poucas as vezes em um automobilista abre a bagageira para encontrar uma péssima surpresa.