Marialva, aldeia engolida pela história

23 Outubro | 2015 | Goodyear

Numa viagem de fim de semana pelas Aldeias Históricas de Portugal, sendo uma das mais pequenas, Marialva corre o risco de ser também uma das menos visitadas. Fomos à aventura e descobrimos que em poucos lugares do país poderemos ter um encontro tão marcante com a História: da aldeia medieval pode ver-se apenas um conjunto de ruínas, circundadas por uma muralha com cinco portas mas, neste planalto de lendas, perdemos a noção do tempo. Passámos dois dias de descanso na Beira Interior e regressámos à idade média em Marialva.

Fim de semana Medieval

Situada a poucos minutos de Mêda, na Guarda, chegámos a Marialva através do IP2. Todo o circuíto das Aldeias Históricas é bastante bem servido em termos de oferta hoteleira, mas íamos com a recomendação de ficar nas Casas de Côro, um conjunto de apartamentos de elevadíssima qualidade e bom gosto. Cada uma das casas tem um charme individual e uma atenção aos pequenos pormenores que nos deixou apaixonados. É um verdadeiro retiro que não nos importaríamos de repetir todos os fim de semana e é uma experiência que recomendamos a qualquer casal à procura de tempo a dois. O espaço envolvente é tratado com um carinho que não esconde: este é um dos espaços hoteleiros realmente especiais do nosso país. O preço acompanha a qualidade mas vale bem a pena.

aldeia historica - Quilometrosquecontam

Entre o rio e a serra

E, afinal, o que fazer em Marialva? Ainda sobre a influência do Parque Natural do Douro Internacional, a paisagem circundante apela a todo o tipo de actividades ao ar livre. Tivémos a oportunidade de efectuar um passeio de BTT de cerca de 30 quilómetros, em que visitámos Meda, Vale Flor e Carvalhal, passando pela igreja de Marialva e São Pedro. Foi um percurso bastante cansativo mas os ciclistas com “menos pulmão” não precisam de se arriscar a tanto e, a poucas centenas de metros da aldeia, já há motivos de interesse para visitar.

Aqui também se pratica caça (perdizes, lebres e rolas) e pesca (barbo, boga e achigã) ou, a poucos quilómetros, em Barca D´Alva, podemos participar de um passeio no Douro, ski aquático, canoas ou motas de água.

Do alto da Aldeia

Mas foi a pé, apreciando o charme daquelas ruínas, que melhor apreciámos a passagem por Marialva. Abandonada há muitos anos, a Cidadela mantém a sua fisionomia ainda intacta e guarda, no alto de um íngreme penhasco, o castelo e a sobranceira torre de menagem. Em volta fica a vila e, no sopé do monte, a Devesa, edificada sobre a antiga cidade romana, onde reside a população actual da localidade. Mas, antes dos latinos, eram os Aravos que aqui moravam e vieram depois os árabes, derrotados na Conquista das Beiras de D. Fernando.

Na Igreja de São Tiago encontramos um portal manuelino, na Capela de Nossa Senhora dos Passos vemos o traço renascentista e, entre tudo isto, os sinais da antiga judiaria que aqui se estabeleceu com o reinado de D. Manuel. A porta da casa da Judia tem gravada na sua ombreira a cruz que marcava o “cristão novo”, e o mesmo acontece na Casa dos Judeus onde ainda se guardam sinais da riqueza dos seus antigos proprietários. O Solar dos Marqueses ou a Porta do Anjo são outros dois pontos de visita obrigatória.

Venha a Marialva com tempo. Mesmo que pequena, é uma aldeia que merece bem mais do que uma visita fugaz. Deixe-se embalar pelo som dos pássaros ou pelo silêncio. Vai ver que, ao longe, ainda vai ouvir os ecos da História.

Good Year Kilometros que cuentan