Medo de conduzir: o que é e como minimizar a amaxofobia

O medo de conduzir tem um nome: amaxofobia. Sabe o que é esta fobia que afetará 22% dos condutores e como minimizar o seu impacto?

A amaxofobia é o medo de conduzir. Segundo um estudo sobre ansiedade e condução, mais comum do que se possa pensar. A amaxofobia afetará 22% dos condutores após o envolvimento em algum acidente, mas também em resposta a episódios de stress e ansiedade. Mas, afinal o que é o medo de conduzir e como pode ser combatido?

No país vizinho, existem atualmente 8,3 milhões condutores que sofrem do medo de conduzir. Contudo, apenas 1,5 milhões espanhóis padecem de amaxofobia. De acordo com os dados do Clube Automóvel Real de Espanha (RACE), cerca de 30% dos condutores em Espanha sofrem de amaxofobia, na sua maioria mulheres, de entre as quais 12% se sentem incapazes de conduzir. Em Portugal não há números, mas é caso importante o suficiente para o ACP dedicar-lhe a devida atenção.

O medo de conduzir tem diferentes graus. Dependendo da sua intensidade e da ansiedade que gera pode afetar a vida pessoal de quem o sofre. E quem sofre desta fobia? Habitualmente a amaxofobia está presente em pessoas que em determinada altura tiraram a carta, mas que não praticaram o suficiente. São pessoas que passaram por uma experiência traumática ou que não se sentem confiantes e seguras em relação às suas capacidades ao volante. Alguns estudos apontam que a situação é mais frequente entre pessoas com mais de 40 anos, sendo a predominância maior nas mulheres que nos homens.

Sintomas da amaxofobia

Insegurança, tensão muscular, aceleração do ritmo cardíaco, sensação de perda de força nos braços e nas pernas ou visão desfocada. Se sentiu alguns destes sinais enquanto conduz, poderá ter medo de conduzir. A amaxofobia tem associados um conjunto de sintomas reconhecíveis que passam, em primeiro lugar por um sentimento de pânico e terror no momento de pegar no volante e seguir para a estrada. Esta ansiedade é acompanhada por episódios de stress, com o aumento da atividade cardíaca, suor, tonturas e náuseas.

Medo de conduzir: o que é e como minimizar a amaxofobia

Causas do medo de conduzir

O medo de conduzir tem as suas raízes em diferentes situações que nem sempre estão relacionadas com a passagem por uma situação traumática. Entre as causas mais comuns, a fobia surge após o sofrimento de um acidente de trânsito. Apesar disso, também pode estar relacionado com outros medos. Por exemplo, o medo de circular em lugares desconhecidos ou sobre condições climatéricas adversas ou com a falta de luz. A amaxofobia pode aparecer em pessoas com baixa autoestima que apresentam inseguranças ao volante, ou em pessoas com falta de conhecimentos, ou com redução das suas capacidades físicas ou mentais para conduzir (normalmente relacionadas com a idade ou com algum problema de saúde).

Como combater o medo de conduzir

O medo de conduzir tem cura, asseguram os psicólogos e existem várias alternativas para o enfrentar. A amaxofobia pode ultrapassar-se com uma terapia psicológica cognitiva-comportamental para ter consciência deste medo. Utilizam-se técnicas de relaxamento para controlar a ansiedade e o pensamento negativo que essa fobia gera. Para superar este tipo de medo, as terapias incluem um plano de confronto gradual. A ideia é superar a ansiedade da única forma possível: conduzindo e enfrentando a estrada de forma gradual. Muitas escolas de condução têm cursos de reciclagem para combater a amaxofobia, como o Automóvel Clube de Portugal, e também existem psicólogos que se dedicam ao tratamento do medo de conduzir.

Em síntese, superar o medo de conduzir é possível. Ao tratamento psicológico unem-se cursos práticos que permitem estabelecer de novo uma relação sã entre o condutor, o automóvel e a estrada. Viver sem medo é possível.