Museu de Olaria de Barcelos: dar forma ao sonho

Vamos meter as mãos no barro no Museu de Olaria de Barcelos. O famoso galo é o cicerone da visita e há ainda workshops para a diversão da família inteira.

Na terra do famoso Galo, o Museu de Olaria de Barcelos reúne um importante espólio do artesanato regional. Com mais de 9.000 peças reunidas, além do Minho temos um panorama da cerâmica e olaria de todo o país. Os visitantes são convidados a meter as mãos na massa e há workshops dedicados às famílias. Agarre nas crianças e aceite a nossa sugestão de visita ao Museu de Olaria de Barcelos.

Conta-se que o galo de Barcelos representa um outro que, já depois de assado, levantou-se do prato de um juiz. Esta insólita visão serviu de salvação da forca a um pobre galego injustamente acusado. Do mito fez-se uma história que arranjou forma de penetrar no imaginário português. Colorido e patusco, transformou-se num ícone português e objeto insubstituível do nosso artesanato. Vamos ensinar as crianças a fazer um?

Museu de Olaria de Barcelos: dar forma ao sonho

Olaria e cerâmica dos quatro cantos do mundo

O museu começou a dar os primeiros passos em 1949 e passou para a Casa dos Mendanhas nos anos 80. Foi inaugurado como Museu de Olaria em 1995 e, já no século XXI, voltou a ter obras de alargamento. O museu ganhou assim duas salas de exposição, uma cafetaria e uma loja e transformou-se num edifício energeticamente eficiente. Conta hoje com 2.260 metros quadrados e uma coleção única de mais de 9.000 peças.

As peças expostas são essencialmente de cerâmica portuguesa fosca e vidrada (de norte a sul) e estrangeira (países como Angola, Argélia, Brasil, Timor, Chile, Espanha e Cabo Verde). O seu acervo resulta de doações, trabalhos de campo em centros oleiros extintos ou em vias de extinção e outros ainda em laboração, aquisição a particulares e antiquários. A doação mais importante, de 1963, foi feita pelo etnógrafo barcelense Joaquim Selles Paes de Villas Boas.

O museu tem hoje 3 espaços de exposições. A exposição permanente conta a evolução histórica da cerâmica, através de um percurso distribuído por três pisos. Organiza-se geograficamente e mostra os vários centros produtores de norte a sul do país. A Sala da Capela recebe exposições temporárias de conceituados autores e outros eventos. Na Sala de Exposições Temporárias vão rodando várias peças do acervo próprio e parcerias com outros projetos.

Olaria para a família inteira

Todos os 2ºs domingos do mês, o programa Museu Familiar é uma excelente opção para uma tarde em família. Começa com uma visita guiada às exposições, dando a conhecer várias peças de figurado e olaria das coleções do Museu. Após a visita temos ainda uma atividade prática, promovendo o convívio entre gerações e a partilha de experiências em família. Há 3 diferentes programas à sua escolha.

O barro é uma matéria natural que depois de moldado pode ter uma função utilitária ou decorativa. A criatividade, a imaginação e a capacidade de se expressar livremente, são algumas das características dos oleiros, que produzem a loiça utilitária, assim como dos barristas, que criam as peças de figurado. Na actividade Expressar em Barro, depois da visita às exposições patentes, os participantes são convidados a participar em ateliês práticos. Aqui vão ter a oportunidade de dar asas à imaginação e modelar as suas próprias peças em barro.

O galo que salvou o galego

O Galo de Barcelos não é apenas o símbolo da cidade, mas um ícone nacional reconhecido mundialmente. Depois da visita guiada, os participantes visualizam um filme sobre esta mítica figura. No final, são convidados a recriar o Galo de Barcelos através da modelagem em barro ou, em opção, pintando um galo fornecido pelo Museu.

As técnicas de decoração – a frio e com pigmentos cerâmicos e vidrados – são as duas técnicas mais utilizadas pelos barristas. Na Oficina de Pintura os participantes começam por fazer uma visita durante a qual podem observar diversas peças de Figurado. Posteriormente são convidados a pintar uma peça em barro, utilizando as técnicas de decoração tradicionais previamente apresentadas.

Fonte: Museu de Olaria de Barcelos