Música para a chuva de Outono

Antigos êxitos em versões acústicas e grandes canções melancólicas. Está preso no trânsito? Faça uma pausa com a nossa playlist de música para a chuva.

Começam a cair as primeiras chuvas da estação e o trânsito reduz a velocidade até parar completamente. Em vez de se queixar, aproveite para fazer um pequeno momento de pausa e isolar-se do mundo lá fora. Ponha a tocar esta nossa playlist de música para a chuva e vai dar por si a sorrir no meio do caos.

It’s raining again, diziam os Supertramp em 82, mas não precisamos de recuar tanto para encontrar o nosso primeiro tema. Lembra-se de onde estava em 2007 quando ouviu Umbrella de Ryahanna com Jay Z? A cantora estava a atacar o primeiro Grammy com aquela que se revelava a sua canção mais forte até ao momento. Dez anos depois, ainda nos apetece ficar debaixo do “um-ba-re-lla” de Rihanna.

Já tinham dois álbuns de grande sucesso na bagagem, mas faltava ainda mais uma confirmação na carreira dos Coldplay. Com X&Y ficaram finalmente plasmados no panteão das grandes bandas de estádio e este Fix You teve um importante papel. É o formato clássico da banda, em crescendo do intimismo até ao épico, e resulta num verdadeiro hino.

Nos primeiros momentos de Photograph, Ed Sheeran parece hesitante. Mas, quando se decide a cantar, tudo começa a fluir naturalmente. É uma espécie de entusiasmo crescente que, depois de começar em falseto, torna-se incontrolável. Outros temas de X tornaram-se mais viciantes, mas este tem o tom melancólico do Outono do princípio ao fim.

Quando aprendeu a tocar guitarra, Jack Johnson descobriu um segredo importante que poucos conhecem. Há alguma forma de magia na forma como ataca as cordas que desperta um sorriso imediato quando o ouvimos. Espírito “feel good” é mesmo isto e Better Together tem sol, mas também tem amigos à roda da fogueira. “Tudo fica melhor quando estamos juntos”.

Ombros amigos onde chorar

After the Storm pode ser uma espécie de ombro amigo depois da tormenta. Era o último tema do álbum de estreia dos Mumford & Sons e funcionava como um “até já”. Ouvido à chuva, é um convite à reflexão e ao silêncio, apenas na companhia do som das gotas. Fala-nos de um homem assustado com o que se passou e com o que há de passar, um sentimento universal.

Um ensaio pop, os Maroon 5 tiveram com She Will Be Loved um dos mega sucessos do princípio dos 2000. Agora nesta versão acústica, apenas com viola e alguma percussão, entende-se melhor o seu esqueleto e como é viciante. Haveria de vender mais de 5 milhões de cópias por todo o mundo e é ainda hoje um dos momentos altos dos concertos da banda.

José González pegou no original dos The Knife e levou-o para outras paisagens. Nem se pode dizer que é uma versão mais simples do original e da sua eletrónica minimal. Em vez disso, é como se fosse um espelho em que, mudando um instrumento, tudo o resto muda. Heartbeats foi tema de um anúncio de uma marca de eletrónica, tornando-o um sucesso internacional.

Dramatismo e emoção

Carla Morrison, cantora mexicana de voz sedutora, faz aqui o contraponto etéreo com o rap urbano de Macklemore & Ryan Lewis. O resultado é um tema de tons cinematográficos e The Train tem uma paisagem própria. Muito simples e direto, é um dos grandes temas do álbum de estreia da dupla que muito ajudou para o Grammy de 2014.

A versão original de Scared to be Lonely já era dramática e emocional quanto baste. Contudo, Martin Garrix e Dua Lipa voltaram ao estúdio para uma versão acústica. Apesar disso, não perde o tom orquestral, agora com violinos, e a cantora volta a mostrar os seus dotes vocais. O resultado é uma canção que mais facilmente nos toca no coração quando se fala de solidão. Pode ser apenas um truque, mas funciona.

O que mais se poderá dizer sobre Hallelujah que nunca tenha sido dito? O original de Leonard Cohen já foi revisto centenas de vezes, com maior ou menor sucesso, e tornou-se património universal. Canções deste calibre ganham uma vida independente dos seus criadores e não há nada que se possa fazer. Esta versão de Rufus Wainwright é talvez uma das mais conhecidas, foi incluída na banda sonora de Shrek, e tem um tom optimista que a torna especial. E “aleluia!”, o trânsito está de novo a fluir!