Spotify: música para alegrar o verão

2 Agosto | 2016 | Goodyear

Para muitos de nós as férias chegaram. Viagens à praia, sol no vidro e um refrigerante por perto. Está na hora de conduzir para destinos distantes (ou muito próximos de nós), enquanto sonhamos com as frescas águas do mar (ou do rio, ou da piscina, ou apenas nos ares frescos da montanha). A melhor companhia nesta viagem é, mais uma vez, a música. Assim que prepare-se para uma playlist especialmente criada para amenizar a sua viagem estival de 2016! Algumas das melhores canções à volta deste grande tema: o verão.


Summer in the city (Lovin Spoonful). Esta canção de 1966 é uma homenagem a aquelas pessoas que têm de ficar sem férias na cidade. Uma melodia para lembrar configura uma grande canção com que John Sebastian demonstrou o seu ofício. Especialmente evocadores resultam os sons de carros que acompanham a música, como uma metáfora daqueles verãos calorosos que passámos confinados na cidade.

In the summertime (Mungo Jerry). Um hino para os otimistas, esta canção representa um chamado à felicidade relacionada com o verão. 1970 foi o ano em que aquela banda onde o pop britânico se misturava com a música jamaicana nos ofereceu esta peça que merece um local destacado em qualquer recompilatório sobre a melhor música estival. Os desocupados dias do verão  são o tema central da peça, que o artista Ray Dorset compôs em apenas 10 minutos enquanto descansava no seu (outro) trabalho.

All Summer Long (The Beach Boys). Canção homónima do sexto álbum de estudo dos Beach Boys, inserida no claro predomínio do surf rock que percorre toda a obra. A canção concentra de maneira original instrumentos diversos e constitui uma das favoritas de George Lucas, que a incluiu no filme American Graffiti, imediatamente anterior a Star Wars. Seria engraçado escutá-la numa galáxia muito distante.

Farewell, my Summer Love. Michael Jackson gravou esta canção muito tempo antes de virar conhecido mundialmente, também para lá da música. Magnífica e emotiva, é uma homenagem a aqueles amores de verão que todos tivemos e ainda lembramos por vezes. Mesmo que fosse de 1973, teve de esperar até 1984 para ser incluída num álbum de 1984 do mesmo nome.

Cruel Summer (Bananarama). A outra face do verão, que por vezes fica oculta abaixo dos tópicos estivais (como aqueles que abriam este artigo). A canção mostra a parte menos amável da estação, como o calor horroroso, as longas esperas sob um sol implacável e coisas tão corriqueiras como as queimaduras na pele que causa o sol. E não esqueça que fez parte da banda sonora de Karate Kid.

Summer Wine (Nancy Sinatra e Lee Hazlewood). Escrita originalmente para Hazlewood e Suzi Jane, foi finalmente Nancy Sinatra a cantá-la em 1967. Rememoração de uma daquelas noites de álcool que acabam em roubo… do dinheiro e do coração. Primeira de várias colaborações entre ambos os artistas, a canção apareceu pela primeira vez no álbum Sugar Town.

Endless Summer Night (Richard Marx). Teve grande sucesso esta peça de 1988, destinada a conseguir o que Richard Marx conseguiu mesmo, o casamento com a mulher à qual estava dedicada. Uma canção otimista com que tentou vencer aquela resistência que muitos amores têm de salvar para serem realizados. Atingiu o número 2 na prestigiosa Billboard daquele ano.

Summer Nights (John Travolte e Olivia Newton John). Com certeza a canção mais lembrada daquele inesquecível Grease, de 1978. Canção e filmes que tornaram em estrelas ambos os intérpretes e deixaram um legado no cinema romântico e musical que fez eterno aquele amor estival de Danny e Sandy, há quase 40 anos atrás.

Summer of 69 (Brian Adams). Todos temos aquele verão imelhorável que deixou em nós uma marca maior do que nenhum outro. O verão das nossas vidas, seja por aquela pessoa ou pelo que for. Aqui Brian Adams compõe um hino à nostálgia daquele verão onde aprendeu a tocar a guitarra e descobriu o amor adolescente. Impossível ouvi-la sem uma parte de nós ficar enredada na saudade.

Garota de Ipanema (João Gilberto). Em qualquer momento do ano viajamos para as praias do Brasil com esta canção, cheia de uma exultante e cálida beleza. Composta por Vinícius de Moraes e Antônio Carlos Jobim, a mulher que inspirou a canção não soube que fazia referência a ella até anos depois. Uma peça especial, única e cheia de força para encerrar esta playlist que brilha como o sol do verão, e até queima.

Good Year Kilometros que cuentan