Música dos Santos Populares: o que vamos ouvir nos arraiais

20 Maio | 2019 | Goodyear

As festas dos santos populares já estão aí. Um pouco por todo o país as comunidades locais preparam aquela que é, segundo as próprias a melhor festa. Mais tradicionais ou adaptadas aos gostos dos locais, o fundamental é que se divirta no seu arraial de São João, de Santo António ou de São Pedro.

O caldo verde, as marchas, as sardinhas, os manjericos, as bifanas, as rifas, os caracóis, os altares do respetivo santo. É um imaginário que se materializa anualmente, reforçando laços entre vizinhos. Ao fundo soam as canções, a música do bailarico. Para se começar a preparar oiça a nossa playlist a caminho do seu arraial de eleição.

O que seria das festas populares, sem os interpretes mais recentes? Quim Barreiros, numa versão instrumental, dirigida por Jorge Fontes, acelera ao som de O Balãozinho.

E como estamos sempre em modo futebol, os Portugas cantavam, há 20 anos, Força Portugal. É uma canção, repescada o ano passado e que este ano se volta a ouvir, ainda que a Seleção não esteja este ano envolvida em qualquer evento de maior dimensão.

Certamente que nenhuma festa popular pode deixar de ter na sua playlist, o Apita ao Comboio. É nestas alturas que mesmo os mais reticentes acabam por alinhar – literalmente – no bailarico. O Mundo Novo faz aqui a sua interpretação, mas não há artista que se preze num arraial de Santos que não a toque para animar os arraialistas.

Sons mais populares

A fado-canção Cheira a Lisboa é provavelmente a primeira canção que se recorda quando pensa nos arraiais. Foi Anita Guerreiro que popularizou a canção de Carlos Dias e César Oliveira. A estreia foi em 1969, na revista Peço a Palavra, no Teatro Variedades. A fadista, actriz estreou-se em palco, em 1954. Aqui deixamos uma versão mais recente pela voz de Isabel Vitorino.

Canção de Lisboa é outro dos temas que mais se toca nesta época do ano que se aproxima. O filme, protagonizado por Vasco Santana e Beatriz Costa, há mais de oito décadas, é ele próprio uma representação do que eram as festas populares naquela época. A canção é hoje um dos hinos dos estudantes universitários da cidade. Aqui pela voz de Nuno da Câmara Pereira.

Uma das vozes associadas às Marchas Populares é a de Amália Rodrigues. Também interpretou Cheira a Lisboa, mas escolhemos aqui Lá Vai Lisboa. Em 2005 foi editado um CD com muitas das marchas gravadas por Amália na década de 60, mas também nas décadas anteriores, nomeadamente dos anos 30 quando os desfiles se começaram a realizar na capital, por iniciativa do jornalista Norberto Araújo.

Sons do norte

A 24 de Junho celebra-se São João. Os martelinhos são o ex libris da Invicta nessa noite que não passa despercebida a quem estiver na cidade. A mais popular das canções será São João Bonito, a canção que alerta para o final das festas. Mas ainda há muita diversão pela frente. Os Artistas P’ró Palco são os intérpretes desta versão.

A esta altura já deverá ser praticamente impossível não estar já a dar um pezinho de dança ou, pelo menos, a acompanhar o ritmo animado desta sequência. A Bandalusa canta São João é Bailarico, enquanto elogia a beleza do santo popular.

De um pouco mais a norte, surge-nos as Orvalhadas Minhotas, numa versão dirigida por Arlindo de Carvalho e pela voz de Cristina.

Enquanto as festas não chegam, veja aqui como costumam ser, em Lisboa.

Falta alguma canção nesta lista? Envie-nos as suas sugestões dos temas que vão agitar os Santos Populares aí na sua terra ou no seu bairro.

Good Year Kilometros que cuentan