O que nos exige um carro clássico

27 Julho | 2015 | Goodyear

É certo, eu também os adoro. Ficamos de olhos muito abertos quando os vemos pela rua, quando passam ao nosso lado. Torcemos o pescoço e deixamos fugir um suspiro do peito enquanto se perdem longe, dissipados no horizonte como um sonho. Perguntamos para nós “quanto custa mesmo um carro desses?”, fazendo contas mentais. Os clássicos, essas viaturas anteriores aos anos 70, tiradas das séries de polícias da nossa infância, conquistam os nossos corações ainda hoje.

Confesso que sou um apaixonado pelos carros clássicos, não apenas pelo seu exterior, mas também pelo que escondem atrás: a sua história.

No caso do modelo Ford T, cuja produião teve começo em 1908, e que foi uma verdadeira revolução na indústria do automóvel. Até à sua aparição, os carros apenas eram para as classes mais elitistas, mas Henry Ford, equipando o novo modelo Ford T com pneus Goodyear, começou a produzir em massa, conseguindo reduzir custos de cada viatura de modo a dar acesso a aquela meio de transporte à classe média.

Mas tenho de confessar que tenho especial predilecção pelo modelo Shelby Cobra, com pneus Goodyear de equipamento original. O rugido de uma dessas belezas de 1964, de formas suaves e vivo azul riscado apenas, no meio, por uma grossa banda branca, é suficiente para pôr o meu coração a imitar os cascos de um cavalo. Quando me reformar irei percorrer, sem dúvida nenhuma, os longos caminhos da Europa ao volante dum daqueles. Se me encontrar pelas estradas do continente, fique sabendo que sou eu!

clasico2

Mas, na hora de enfrentar os nossos sonhos e torná-los reais, a coisa nem sempre é assim tão fácil. Se vencermos a primeira fronteira, a do preço, depressa iremos encontrar novas dificuldades que exigirão toda a nossa paciência. Não quero, todavia, desencorajar ninguém para comprar um destes carros, reitero ser eu um defensor acérrimo deles. Mas temos de ter em conta que o mais provável é que a viatura que adquirimos tenha passado um bom monte de anos sem emprego continuado, que tenha perdido desempenho nos travões e, por sinal, que pertença a uma idade em que os dispositivos de ajuda à condução eram mínimos ou inexistentes. O condutor de hoje, criado num entorno amável, não está acostumado a este tipo de condução, um autêntico repto para o debutante.

Não é a mesma coisa se somos proprietários da viatura desde o início dos tempos. Se o carro foi de uma pessoa de confiança ou familiar, decerto que apenas precisará de uma revisão comum a toda viatura: a bateria, líquidos, travões… Mas se o carro é uma compra recente, cumpre uma análise mais exaustiva. Arranje uma oficina de confiança e assegure-se de que  o seu carro não precisa alguma peça específica. Caso precise, o problema é que essas peças não costumam fazer parte do stock das oficinas. E então?

Felizmente vivemos na época da Internet, e hoje em dia existe um site muito empregado, de total confiança e mecanismos úteis, que todos conhecemos: Ebay. No site não achamos apenas peças: até mesmo carros inteiros são vendidos via Internet. Há uma secção específica do sítio dedicada a carros de época, com uma interface simples que não confunde o utente e permite pesquisar comodamente as nossas necessidades. Aliás, as peças podem ser pesquisadas por marca, garantindo que encaixem perfeitamente na sua viatura.

Na próxima ocasião em que ouvir “sinto, mas a peça está em muito mau estado, estragada pelos anos”, não desespere. Tem uma ajuda muito fácil em Ebay.

Good Year Kilometros que cuentan