O que revelam as marcas e etiqueta dos pneus?

Vocês sabem bem que os pneus não são todos iguais, mas sabem o que significam aquelas marcas e a etiqueta que os acompanham? A Goodyear explica.

Apesar de serem todos pretos e redondos e não ser fácil identificar à primeira vista as diferenças entre eles, os fabricantes e a União Europeia desenvolveram sistemas próprios para que o consumidor saiba bem o que comprou e o que pode esperar dos seus pneus. Mesmo assim, informação como o índice de velocidade, a eficiência de combustível ou nível de ruído, são apresentados de forma codificada no flanco do pneu ou através da etiqueta standardizada da UE e muitos condutores não as sabem ler. Essa ignorância pode dar origem a mal-entendidos, como o mito sobre o prazo de validade de uns pneus, e a Goodyear vai explicar-lhe o que precisa saber para ser um consumidor melhor informado.

A nova etiqueta da União Europeia

Tal como encontramos hoje em eletrodomésticos e outros dispositivos elétricos, a União Europeia criou etiquetas standardizadas para o consumidor entender parte do impacto ambiental das suas decisões e o que pode esperar da eficiência do seu pneu. Esta etiqueta acompanha todos os pneus novos e classifica três critérios: a eficiência energética, o comportamento em superfícies molhadas e o nível de ruído.

Já explicámos várias vezes como um pneu é variável importante no consumo de combustível total de um carro e é classificada de A (o melhor valor) a G (o maior consumo), do azul ao vermelho. Se tem dúvidas sobre a importância deste fator, fique a saber que a diferença entre a melhor e a pior classificação pode resultar em mais de 300€ de custo acrescido no fim da vida útil de um pneu. O comportamento em piso molhado é classificado de forma semelhante, também de A a F, numa escala proporcional. Finalmente, o nível de ruído tem três níveis gráficos, do mais para o menos silencioso.

pneu-flancos

As marcas da borracha

Com o pneu já instalado, poderá encontrar uma série de letras e números no flanco da borracha e, se sempre achou que era um número de série ou coisa parecida, fique agora a conhecer o seu verdadeiro significado. No eixo exterior, a seguir ao nome, vai ver uma sequência em que, por ordem, pode identificar a seguinte informação:

A – A largura nominal do pneu, em milímetros, medida de flanco a flanco.

B – Relação entre a altura e profundidade, expressa como uma percentagem (se não estiver presente, assume-se que é 82%) e o tipo de pneu: radial (o mais comum), diagonal ou bias.

C – Código de diâmetro da roda.

D – Índice de carga, tem um quadro de referência específico que vai de 60 a 139, e que indica de 250 a 2400 quilos, qual o valor máximo que cada um dos pneus suporta.

E – Índice de velocidade: este indicador vai de A1 a Y e também tem uma tabela específica, que indica a velocidade máxima recomendada, de 5 a 300km/h.

Adicionalmente, poderá encontrar letras que se referem a características especiais como TL no caso dos tubeless, M+S em pneus para lama e neve, RF para cargas excepcionais ou RFT para os “run flat”.

Debaixo desta primeira codificação, vai encontrar na sequência a seguir ao “DOT”, o código da fábrica, o tamanho, e a data de produção do pneu, num conjunto de quatro números, com o primeiro par a indicar a semana e o segundo o ano. Por exemplo “2614”, indica a 26ª semana de 2014. Sendo que, desde que estejam devidamente acondicionados e armazenados antes da entrega, a vida útil de um pneu termina quando chega ao seu limite de 1,6mm de profundidade (no caso dos ligeiros), esta data não funciona como um indicador de validade. O mais importante para a sua segurança é que esteja atento ao estado do piso e considere outros fatores como o tipo de condução que normalmente pratica, o peso que transporta ou as estradas por onde costuma passar.

Para mais informação, a página da Goodyear  responde a todas as dúvidas que ainda possa ter.