Conhece as saborosas ostras de Aveiro?

Ostras em Aveiro: a produção de ostras e sal é agora motivo para visitar a ria de Aveiro, uma moda que está a invadir a região. Damos-lhe alguns exemplos.

A cidade dos moliceiros e das bicicletas está a tornar-se também na cidade das ostras e do sal. Aveiro é uma cidade jovem, com um ritmo de vida muito próprio. Convivem moliceiros com casas coloridas e a Ria ali ao lado. A Goodyear mostra-lhe como novas e velhas tradições convivem em Aveiro.

Já se sabe que da necessidade nasce o engenho. E foi o que aconteceu na ria de Aveiro. Muitas pessoas viviam na região com base na produção de sal. No entanto, há muito que a salinicultura deixou de ser rentável “per se”. Foi por isso necessário diversificar as atividades e nasceram iniciativas que conjugam salinicultura, agricultura, aquacultura e turismo de natureza. É exemplo disso a ilha dos Puxadoiros. Em 2014, estavam em apreciação “72 projetos de aquacultura, dos quais 42 em Aveiro e 30 no Algarve”, disse na altura a ministra da Agricultura, Assunção Cristas.

Ecossistema singular

A criação de ostras, cuja produção é exportada, quase na totalidade, para França, foi então a solução na Ria. É que por ali, as ostras atingem a maturidade em metade do tempo habitual. O bivalve é por isso produzido na Ria em regime extensivo. É que a Ria de Aveiro oferece excelentes condições para o crescimento das ostras, tanto da ostra europeia (Ostrea edulis), nativa destas águas, como da ostra japonesa (Crassostrea gigas), recentemente introduzida em toda a Europa. “Tipicamente, as ostras são simplesmente abertas e consumidas com sumo de limão, sendo uma iguaria para muitos paladares. O seu sabor único, levemente amariscado e com toques marinhos, é do agrado da maioria”, explica o site da Ria de Aveiro.

Assim, a Ria de Aveiro é um ecossistema único e com uma tão valiosa biodiversidade que está classificada como Zona de Proteção Especial integrada na Rede Natura 2000.

Ilha dos Puxadoiros

A ilha dos Puxadoiros tem cerca de 40 hectares e é a última das 8 marinhas que existiam aqui. A Ilha, localizada no coração da Ria de Aveiro, pertence ao Grupo Norte do salgado aveirense. O acesso faz-se a sul pelo Esteiro de Sama ou dos Frades e a norte pelo esteiro das Brasalaias.

A Ilha dos Puxadoiros proporciona uma experiência genuína sobre o que a natureza pode oferecer aos visitantes da Região centro. E, claro, poderá experimentar as ostras produzidas em tanques de antigas marinhas de sal. Assim, o resultado é uma produção ostrícola confinada, amiga do ambiente e altamente sustentável. Segundo os promotores, “com o recurso a mão-de-obra qualificada, da modernização das técnicas de cultivo e com a implementação de medidas sanitárias adequadas, podemos usufruir de um produto alimentar de qualidade nutricional elevada com máxima segurança, produzido no coração da Ria de Aveiro”.

Conhece as saborosas ostras de Aveiro?

Marinha Passagem

Esta é uma antiga marinha, de Aveiro, recuperada e transformada em local de produção de bivalves, incluindo ostras, ameijoas e berbigão, e ainda salicórnia e peixe. No local é possível fazer uma visita guiada por toda esta aquicultura e saborear o que por aqui é produzido. Além disso, há espaços de sombra e de refeição, bem como embarcações de lazer para passear entre os canais. Calma e relaxadamente.

Os pacotes turísticos são variados desde degustação de ostras, ameijoas, berbigão e lingueirão, passando pela degustação de espumante, por passeios a dois, ou ainda por pesca nos viveiros de peixe selvagem. Todos os pacotes incluem transfer de e para a Marinha, e uma visita ao espaço. Por fim, o preço varia entre os 18 e os 40 euros, existindo a possibilidade de preços especiais para grupos de mais de 20 pessoas.