O melhor da época baixa: encontro no Algarve no Outono

Acaba-se o Verão mas o Algarve no Outono continua radiante. Há espetáculos culturais, gastronomia genuína e paisagens belíssimas. Venha connosco para Sul!

Com um outono que teima em ficar e um inverno que se atrasa e não dura muito, o Algarve não precisa só do verão para nos convencer a uma visita. O ritmo abranda, alguns negócios fecham até ao ano seguinte, mas a verdade é que a sedução da região mantém-se. Agora com menos turistas, locais que evitamos durante o calor tornam-se muito mais convidativos. Ao mesmo tempo, a mudança da estação traz novas matizes e sons, sabores e experiências só possíveis de conhecer agora. Como acreditamos que é destino para todo o ano, propomos-lhe 10 locais onde encontrará as delícias do Algarve no outono.

    Carrapateira, etapa final da Costa Vicentina

    Entre a Arrifana e o Cabo de São Vicente, a linha de costa tem paisagens únicas. As altas falésias que começamos a encontrar são impressionantes: assustadoras e belas ao mesmo tempo. Já longe da época de maior calor, a recomendação é fazer algum destes trilhos a pé ou de bicicleta. A informação está reunida no site da Rota Vicentina  e os vários operadores locais podem propor-lhe atividades como passeios de burro ou aventuras todo-o-terreno.

    Sagres, paraíso natural

    O melhor da época baixa: encontro no Algarve no Outono

    O mar, do Norte de África e as serras do interior, criam um ponto privilegiado para os amantes da natureza. A região tem um cada vez maior reconhecimento internacional e recebe bastantes visitantes que procuram a observação de aves. Há um Festival de Observação em Outubro, mas o Algarve recebe mais de 250 diferentes espécies durante o ano inteiro. Sagres é um ponto de partida perfeito para começar esta exploração pois, além das aves, conta com uma paisagem natural de grande beleza. O Turismo do Algarve criou um Guia de Observação onde poderá saber tudo sobre o tema.

    Lagos, Festa dos Sentidos

    Além do abraço com que nos recebe sempre, Lagos monta em Outubro e Novembro a Festa dos Sentidos. O objetivo é celebrar o património, a cultura e a diversidade através de uma série de iniciativas artísticas. Haverá espetáculos de dança, teatro, música e até workshops de “escrita com cheiro”. O programa inclui eventos para pais, filhos, avós e até bébés e termina a 11 de Novembro. Já que está pela cidade, volte a espreitar a Ponta da Piedade que é uma visita que nunca cansa.

    Portimão, finalmente, sabores genuínos

    Se muito se apregoa a gastronomia algarvia, a verdade é que um turista que chegue em Agosto poderá ficar desiludido.A estação alta não é o melhor momento para um bom serviço, por isso o melhor é regressar quando acalmar. E, se fizermos uma estatística por metro quadrado, é muito provável que se descubra que Portimão tem a maior densidade de bons restaurantes no Algarve. A rota do petisco e o festival da sardinha trazem muitos visitantes, mas o ano todo tem um cardápio completo. Se não tiver tempo para mais do que um destino, visite o Mar & Serra para provar a cataplana.

    Vilamoura, do green à marina

    Com o sol a reflectir na água e o vento a bater no cordame dos iates, a Marina de Vilamoura volta a ser um agradável espaço de descontração. A língua local é quase só o inglês nesta altura, mas é também agora que Vilamoura fica mais agradável. Mais do que os desportos náuticos, o golfe é um dos principais atrativos da região e, com um índice de céus limpos no top 10 do país, pode ser praticado quase todo o ano. O Portugal Masters traz muitos praticantes durante o mês de Outubro, mas é também uma boa altura para a iniciação.

    Loulé, festa de Luz

    O Festival LUZA – Festival Internacional de Luz do Algarve junta artistas nacionais e internacionais em Loulé entre 24 e 26 de Novembro. O objetivo é que se transforme numa referência nacional e internacional, e promova a cultura e tradições da região. O festival subirá ao topo da Mãe Soberana, alimentando o firmamento com luz e avistando o vasto território Algarvio, da serra até ao mar. Depois irá descer, “enfeitiçado pela luz”, pelas ruas pedestres, perdendo-se em ruelas e explorando o Convento e o Mercado.

    Faro, as estações na Ria Formosa

    Uma das mais importantes zonas húmidas do país, a Ria Formosa vai mostrando diferentes faces ao longo do ano. Na longa língua de terra que marca a extremidade ocidental da Ria, a Ilha de Faro, o Elementos é um óptimo ponto de vista para este espetáculo. É um bar de praia de toque sofisticado numa ilha tradicionalmente de pescadores, mas o contraste não fica desajustado. A vista noturna é fantástica e o mar fica nas nossas costas, se preferirmos longos passeios à beira-mar. Em qualquer dos casos, faça aqui uma pausa porque esta não é a mesma Ilha que conheceu em Agosto.

    Tavira, Fernando Pessoa

    Fernando Pessoa não nasceu em Tavira, mas foi esse o local que escolheu para o seu heterónimo Álvaro de Campos. Até ao fim de Novembro a cidade celebra esse “filho da terra” com um conjunto de iniciativas muito variadas. Durante dois meses, a programação inclui declamações dos seus poemas, espetáculos musicais, exposições e jantares vínicos.

    Castro Marim, Sempre com o mar no horizonte

    O melhor da época baixa: encontro no Algarve no Outono

    Mesmo que estação já não seja de praia, o mar algarvio é uma obrigação sempre que nos aproximamos desta costa. Há praias da região com nadadores salvadores até 18 de Outubro, mas já são só os estrangeiros a mergulhar. No concelho de Castro Marim, a Praia Verde é uma das mais pacíficas da região e o Guarita Terrace fica num ponto óptimo para a aproveitarmos. A vista estende-se de Vila Real de Santo António a Tavira e o sol monta um dos mais bonitos fins de tarde do Algarve.