Um passeio em redor de Fátima

27 Setembro | 2019 | Goodyear

Em outubro, todos os caminhos vão dar a Fátima. A peregrinação outonal culmina no dia 13, dia em que se assinala aquele que foi chamado de “milagre do sol”. O santuário vale só por si a visita a esta localidade do centro de Portugal, um dos mais importantes centros do Cristianismo em todo o mundo. Mas há muito mais para ver e fazer nas imediações de Fátima. Deixamos aqui quatro sugestões.

Paul do Boquilobo

A menos de uma hora de viagem para sul a partir de Fátima, encontramos a Reserva Natural do Paul do Boquilobo. Situada a 6 quilómetros da Golegã, na confluência dos rios Tejo e Almonda, é uma planície aluvial de pântanos e zonas húmidas. A paisagem é marcada por uma imensa teia de canais cobertos por diversas plantas aquáticas e pelos salgueiros que crescem nas suas margens, onde as pequenas garças brancas (símbolo do Parque) fazem os ninhos. Trata-se da maior colónia de garças da Península Ibérica que acorre a esta área protegida a partir de fevereiro/março para nidificar e permanece durante o verão. Impressionante pelo silêncio e tranquilidade, o Paul de Boquilobo é um excelente local para observação das diversas aves migratórias que por aqui passam nas várias épocas do ano.

Serras de Aires e Candeeiros

Situado a cerca de 15 quilómetros de Fátima fica o Parque Natural das Serras de Aires e Candeeiros, área protegida que é um paraíso para os amantes da espeleologia. Nas suas profundezas poderá descobrir grutas e algares, com formações surpreendentes esculpidas pela água e pelo tempo. Algumas estão orientadas para receber visitantes como as Grutas de Santo António, Moeda, Mira d’Aire e Alvados, que dispõem de diversas infraestruturas de apoio. No flanco oriental da Serra de Aire, a cerca de 10kms de Fátima, encontra-se a maior e mais importante jazida mundial de pegadas de dinossáurio saurópode do Jurássico médio (com 175 milhões de anos). Algumas das cerca de 20 pistas, descobertas por acaso numa antiga pedreira – a “Pedreira do Galinha” – têm mais de 100m de extensão.

Museu Nacional Ferroviário

Deslocando-se cerca de 30 km para sudeste, passa por Torres Novas e chega ao Entroncamento, onde se encontra o Museu Nacional Ferroviário. Recheado de comboios, carruagens e peças que contam a história dos caminhos-de-ferro em Portugal, o museu acolhe sempre  acolhe diversas exposições temporárias, para além de uma extraordinária coleção permanente, na qual se apresentam locomotivas a vapor, Diesel, Elétricas e modelos representativos de comboios célebres, como o Comboio Real Português e o Comboio Presidencial

Mosteiro da Batalha

Em sentido contrário, a pouco mais de 20 quilómetros de Fátima, fica o Mosteiro da Batalha. De seu nome oficial Mosteiro de Santa Maria da Vitória, foi mandado construir pelo rei D. João I como agradecimento pela vitória contra Castela na batalha de Aljubarrota. Classificado desde 1983 como Património da Humanidade pela UNESCO, o Mosteiro da Batalha é uma das mais belas obras da arquitetura portuguesa e europeia. O mosteiro alberga o mais importante núcleo de vitrais medievais portugueses, que se podem admirar na Capela-Mor e na Sala do Capítulo. A nave central da igreja eleva-se a 32,5 metros e apoia-se sobre oito colunas de cada lado. Além das capelas e dos claustros, podem ainda visitar-se o dormitório, o refeitório e a cozinha do mosteiro.

Good Year Kilometros que cuentan