Quais são os petiscos preferidos dos portugueses?

12 Dezembro | 2018 | Goodyear

O título poderá ser um pouco exagerado, mas pelo menos hão de ser os petiscos favoritos de alguns dos portugueses. Até porque, português que se preze gosta de um bom petisco, o equivalente às tapas espanholas. As especialidades são particularmente saborosas na companhia daqueles de que mais se gosta: amigos, família e até colegas do trabalho.

Algumas das iguarias são mais apropriadas para a época de verão, mas, ainda que não seja possível comer agora, é bom recordar aquele saborzinho das refeições – que não são almoço nem jantar – tomadas em grandes mesas e em boa companhia.

Dificilmente encontrará algo que ainda não tenha experimentado, mas ficam aqui aqueles que consideramos os melhores petiscos do país. Se prefere especialmente os petiscos de Lisboa, não deixe de ler este artigo.

Pica Pau

O pica pau é um prato de origem bem portuguesa composto por ingredientes simples: carne de porco frita – embora também possa ser feito com carne de vaca – e picles. Pode ainda incluir azeitonas e piripiri. Originária do Ribatejo, a carne deste petisco deve ter uma textura macia. O petisco é uma das especialidades de muitas tascas e tasquinhas na generalidade do país. Mais saboroso em boa companhia, não dispensa o pão para aproveitar o molho.

Pregos e bifanas

A bifana é um prato típico com origem em Vendas Novas. Integram este petisco, febras de porco, cozinhadas à base de alho e vinho. A febra deve depois ser colocada num pão aquecido. Podem ser temperadas com mostarda ou molho picante. Este é um dos pratos que não faltam nas festas populares, em particular no Verão, um pouco por todo o país. As variantes são muitas e podem em alguns casos incluir queijo e fiambre ou outros complementos. Semelhante, mas de carne de vaca é o prego. Outo petisco típico de Portugal. Tal como a bifana é normalmente é temperado com mostarda ou molho picante.

francesinha

Francesinha

Um dos petiscos típicos do norte, especialmente do Porto, é a Francesinha. A francesinha tem a forma de um sanduíche e é constituída por linguiça, salsicha fresca, fiambre, carnes frias e bife de carne de vaca, coberta com queijo posteriormente derretido. Se parece pouco, é ainda guarnecida com um molho à base de tomate, cerveja e piri-piri. Pode acompanhar com ovo estrelado no topo da sanduíche e batatas fritas embora estes ingredientes sejam facultativos.

Folhados

Os folhados não são estranhos a quem vive e trabalha na cidade. São uma refeição rápida que salva qualquer hora de almoço mais curto. O nome deve-se à massa folhada, assada ou frita, de que são feitos. No interior, os ingredientes podem variar. Podem ser à base de carne, de queijo, queijo e fiambre, queijo e presunto, queijo e salsicha, frango, frango com requeijão, salsicha ou qualquer outra combinação preparada pelo pasteleiro.

Peixinhos da Horta

Alguns consideram-no um petisco vegetariano, embora nada tenha a ver com as novas tendências da moda. É feijão verde envolto numa fritura. De peixe não tem nada. Pode ser servido como entrada ou como prato principal, com ou sem maionese. Para outros é um belíssimo acompanhamento para qualquer outro prato. São muitas vezes prato do dia em algumas tascas um pouco por todo o país.

Bitoque

Poderá ir além do que é considerado um petisco, mas qualquer outra das sugestões apresentadas pode igualmente ser uma refeição. É servido no prato, habitualmente acompanhado por batatas fritas, arroz, salada e um ovo estrelado a cavalo. Por fezes tem também fiambre entre o bife e o ovo. Não há uma receita única. O bife pode ser de carne bovina ou suína e os acompanhamentos podem também variar.

alheira

Alheiras

Alheira, tabafeira ou “chouriço judeu” são os nomes para um enchido com uma história de mais de 500 anos. Com origem em Trás-os-Montes é um prato que os portugueses comem em qualquer altura do ano como petisco ou como prato principal. É um clássico das gastronomia portuguesa, em particular a versão da Mirandela. Curiosamente, conta-se que a alheira que deu fama a Mirandela nem sequer era realmente da terra mas, na época, levava o carimbo da estação de comboio onde era levantada.

Pipis

“Há moelas e pipis”. Lê-se nas portas e montras de dezenas de tascas, cafés e restaurantes da capital e de todo o país. Os pipis são miúdos de galinha estufados com molho rico de tomate, cebola e alho.

Moelas estufadas

As moelas estufadas são uma iguaria que tem por base um pequeno refogado de cebola e tomate a que se juntam as moelas de galinha ou de pato. Para alguns são uma versão reduzida dos pipis, dizem alguns. Tal como os pipis, para acompanhar este petisco, só um bom pãozinho para aproveitar o molho.

Pataniscas de bacalhau

Outro prato típico da culinária portuguesa são as pataniscas de bacalhau. Com origem na antiga região da Estremadura, consistem em pedaços de bacalhau desfiado fritos em polme de farinha de trigo, temperado com sal e, por vezes, pimenta e salsa. A forma é irregular e, consoante o cozinheiro pode ter forma irregular achatada ou esférica. Acompanha com arroz de feijão encarnado ou arroz de tomate, compondo assim uma refeição.

Como habitualmente, o difícil neste artigo foi escolher quais as iguarias incluir. Se nos esquecemos de alguma que considere particularmente especial, ajude a Goodyear e envie-nos as suas sugestões de petiscos de origem nacional.

Good Year Kilometros que cuentan