Playlist: 20 temas para o dia do pai

11 Março | 2019 | Goodyear

Uma playlist Dia do Pai é algo fácil de criar. Há muitas músicas que, de uma forma ou outra, recordam a relação pai-filho/filha. Desta vez procurámos músicas com apenas a palavra “father” no título. O mix é variado e para todos os gostos. Dos mais clássicos aos mais contemporâneos.

São músicas que recordam a relação pai-filho, de carinho, respeito, mas também de desilusões ou sonhos por cumprir. Porque, os pais também são humanos e têm qualidades e defeitos como todas as outras pessoas.

Acrescentámos ainda músicas que nos fala de carinho e respeito, mas também de desilusões e sonhos por cumprir. Ser pai é isso, sempre na ténue fronteira entre herói e vilão, e o desafio é manter esse equilíbrio. É difícil mas muito gratificante e, no fundo, extremamente divertido! Ponha a tocar a nossa Playlist Dia do Pai na próxima viagem em família e comecem a criar novas memorias.

Comecemos pela actualidade. Os The Vamps querem saber “What your father says”. São uma banda britânica composta por quatro jovens – Brad Simpson, James McVey, Connor Ball e Tristan Evans. Tornaram-se reconhecidos em 2012, através do YouTube e são comparados aos “One Direction” e rotulados, naturalmente de boys band.

Voltamos a 1973 para recordar uma antiga música do dia do pai. “Father of Day, Father of Night” é a proposta de Manfred Mann’s Earth Band. A música foi originalmente cantada por Bob Dylan, alguns anos antes e tem sido alvo de múltiplas versões ao longo dos anos.

Scott Rudd canta, com Kyle McEvoy, outra música em que o tema “dia do pai” é rei. “Father’s Day” é a escolha. Pode ser ouvida no Spotify, na Apple Music, no Deezer e em outras plataformas de streaming de música. O dia do pai há muito que passou a ser celebrado também nas plataformas da Internet.

Para quem prefere algo mais alternativo

Mais pesada é a próxima canção. Defeater é uma banda de punk hardcore, formada em 2004. Tocam “Dear Father”. Contam atualmente com quatro álbuns e muitos outros formatos. A banda é composta por Derek Archambault, Jake Woodruff, Joe Longobardi e Mike Poulin.

Para quem gosta do mundo alternativos dos super-heróis e da ficção científica, esta música não é estranha. Murray Jonathan Gold é compositor de bandas sonoras para teatro, cinema e televisão. É conhecido por ter sido o director músical e compositor da música de Doctor Who, de 2005. Oiça “Father’s Day“.

Omar Offendum convidou Raquel Houghton para cantar com ele “Father’s Day”. Omar Offendum é um artista hip hop que, além de cantar, é também desiner, poeta e activista pela paz. Nasceu na Arábia Saudita e foi criado nos EUA. Participa em festivais de música internacionais e promove acções humanitárias junto de instituições académicas.

Toussaint Morrison é ator e cançonetista. É conhecido pela participação em “A Time to Remember”, “Dark Cloud” e “Defesa à Medida”. Canta “April Father’s Day” que incluímos nesta lista de músicas para o dia do Pai.

Quer ser o melhor rapper vivo. Ponto final. É assim que sinteticamente Justin Freeman se descreve na sua página de Facebook. Convidou Jusgee para cantar com ele “Happy Father’s Day”.

Para quem gosta de sonoridades mais tradicionais

A próxima proposta é jazz. Ronnie Earl e os The Broadcasters tocam “Father’s Day”. Com 65 anos, já venceu quatro vezes os Blues Music Awards. Foi também professor de música, tendo inclusivamente lançado uma cassete VHS – posteriormente lançado em DVD – para ensinar a tocar guitarra.

Elijah Oyelade e “Father I Love You” é a próxima canção no alinhamento. É um som gospel, muito agradável. Remete-nos talvez para algo mais que o nosso pai “Father I Love You” é uma homenagem a todos os pais.

Recuperamos listas de outros anos: “God Only Knows” o que seríamos sem eles. Pais e Filhos. Os Beach Boys deixaram excelentes canções de amor mas poucas simultaneamente tão complexas e simples. Poderíamos dedicar esta aos nossos filhos ou aos nossos pais, tanto faz, pois é assim universal.

Conta-se que é a olhar para os nossos filhos a crescer que nos apercebemos de que estamos a ficar velhos. Mas, este Dia do Pai, tentemos olhar para a questão de forma positiva. São as crianças que nos dão energia para continuar, para aguentar mais um dia de trabalho, mais uma provação. É com elas que queremos voltar a brincar ao sol às escondidas. “You Make Me Feel So Young”, podíamos dizer. E Frank Sinatra disse-o.

“Isn’t she Lovely” é dedicada a Aisha, filha de Stevie Wonder e ninguém fica indiferente à sua ternura. Nunca foi editada como single, mas tornou-se uma das canções mais icónicas do cantor, do seu espírito descontraído e carinhoso. Enquanto houver um pai no mundo, haverá quem tenha vontade de o cantar.

Do pai vilão…

Mas nem todos os pais são gente recomendável, que acompanha e participa na vida da sua prole. Vindos de proveniências humildes, os The Temptations tiveram a sua dose de desilusões. Falam delas no clássico “Papa Was A Rollin’ Stone”, mesmo que seja a dançar ao ritmo do funk.

Os The Clash também sentiram o que é nascer em famílias desconstruídas. Em “Bankrobber” falam de um pai malandro, que anda a assaltar bancos mas que, no fundo, nunca fez mal a ninguém. Os filhos são assim: capazes de perdoar este mundo e o outro.

Chega a uma altura na vida de uma rapariga que se esgota a paciência para ouvir qualquer figura de autoridade. Para Madonna podia ser o pai, o papa, ou qualquer um que lhe cruzasse no caminho com um conselho que não quisesse ouvir. “Papa Don’t Preach” tornou-se um hino à rebeldia e recorda-nos o que, como pais, NÃO devemos fazer.

... ao pai herói.

E agora cometemos uma batota: esta canção não tem nada a ver com pais e filhos. “Gone Daddy Gone” dos Violent Femmes recorda uma antiga colega de liceu que, com o passar dos anos, deixámos de ver. Mas, tem “Daddy” no nome, um solo de xilofone e é um convite irresistível à dança. Perdoam-nos?

Bono Vox não é homem de parcas posses, mas assume perentoriamente: “Daddy’s Gonna Pay For Your Crashed Car”.O vocalista dos U2 promete que vai proteger, não vai deixar chorar, porque tem nas mãos uma pedra preciosa. A banda diz que a canção é, afinal, sobre a dependência da heroína mas, para esta ocasião, preferimos outra leitura.

É o sonho de qualquer pai: que um dia um filho lhe dedicasse um hino do calibre de “My Hero”. Os Foo Fighters estavam a falar do homem da rua, de gente comum, mas esse é o retrato que também fazemos de um pai. E se os nossos filhos olharem para nós da forma como olhamos para o “nosso herói”, a missão está cumprida.

Depois de heróis ou vilões, os nossos pais são também um retrato do que poderemos ser. “You Are A Runner And I Am My Father’s Son”, dos Wolf Parade fala-nos desse medo: de vermos nos defeitos e virtudes dos outros o nosso próprio futuro. E, em nós, o futuro dos nossos filhos. Tudo nesta playlist para o Dia do Pai.

Good Year Kilometros que cuentan