Portugal, Património da Humanidade

Portugal tem 23 locais e tradições culturais consideras merecedoras da chancela “Património da Humanidade”. Conheça 7 para visitar com os seus filhos.

Portugal é muito nosso mas é também, cada vez mais, Património da Humanidade. São já 23 os locais e produções culturais portuguesas a que a UNESCO dignificou com a atribuição dessa proteção. Da música à floresta, passando por mosteiros e conventos medievais, a organização das Nações Unidas olha para Portugal com atenção. Escolhemos 7 dos bens portugueses Património da Humanidade para visitar em família, em passeios divertidos e educativos.

“Património da Humanidade” é uma região considerado pela comunidade científica como de inigualável e fundamental importância. Pode ser um único monumento, construção, ou o conjunto arquitetónico, uma caverna, um vale, ou toda uma região devido ao seu valor histórico, arqueológico, natural ou ambiental. A UNESCO reconhece ainda manifestações culturais e rituais, devido à sua dimensão histórica, praticados por algumas comunidades ou povos. É neste âmbito que o Fado, o Cante Alentejano ou a Falcoaria fazem parte da lista dos 23 símbolos portugueses protegidos por este estatuto.

7 Passeios em família pelo Património da Humanidade

Mosteiro da Batalha

O que é? O Mosteiro de Santa Maria da Vitória fica na Batalha e foi mandado edificar em 1386 pelo rei D. João I. Foi o agradecimento à Virgem Maria pela vitória na batalha de Aljubarrota.
O que há para as crianças? Uma história para contar sobre guerreiros medievais, um cavaleiro de renome chamado Álvares Pereira e um país a construir-se. Há ainda o mito de uma padeira que assustava qualquer um e uma longa linha de figuras fundamentais, de D. João I ao Soldado Desconhecido.
Como visitar? Há visitas guiadas à Cerca Conventual, à arquitetura das abóbodas ou aos retábulos de Francisco Henriques. Marcação obrigatória.

Mosteiro dos Jerónimos

O que é? Importante e grandioso mosteiro que recorda o Infante Dom Henrique e a revolução cultural que iniciou. Oficializado como Panteão Nacional, é local de sepultura de reis e poetas.
O que há para as crianças? Um espaço gigantesco e impressionante cheio de símbolos misteriosos que elas vão adorar conhecer. Se os Descobrimentos não forem do interesse dos seus filhos, mostre-lhe como era a austera vida de um monge.
Como visitar? Há um programa de iniciativas que permitem descobrir mais sobre os descobrimentos ou sobre a vida dos monges originais. Tem visitas com pistas, jogos e oficinas.

Torre de Belém

O que é? Um dos “ex libris” da cidade, um ícone da arquitetura do reinado de Manuel I. Entre a torre de menagem medieval e o baluarte moderno, era a guardiã de Lisboa. Com as cruzes da ordem de Cristo e a sua figura tão reconhecível, é um dos símbolos de Portugal.
O que tem para as crianças? Uma curiosa construção de quatro pisos, com pequenas aberturas defensivas, onde elas podem imaginar-se como guerreiros.
Como visitar? Tal como o Mosteiro seu vizinho, organizam-se aqui jogos e visitas guiadas só para crianças e escolas. Recomenda-se a marcação de atividades durante o período de férias, pois a torre é um dos locais mais visitados da cidade, com filas tremendas.

Convento de Cristo

O que é? Situado em Tomar, o Convento é um conjunto quase caótico de edifícios construídos ao longo de séculos. Passou por sucessivas funções e usos, refletido no estilo todas essas ocupações. Do Românico ao Renascimento, a sucessão de arquiteturas e estéticas faz deste Convento um delírio visual.
O que tem para as crianças? O início da construção do convento de Tomar remonta a 1160 e está intimamente ligado aos primórdios do reino de Portugal e à Ordem dos templários. Bastam algumas pistas sobre a vida desses padres-guerreiros para fazer voar a imaginação de uma criança. As hipóteses de contar qualquer apontamento da História de Portugal sucedem-se a cada esquina.
Como visitar? Através dos Serviços Educativos e de Animação, estão disponíveis uma série de visitas para os diversos graus de ensino. As famílias têm desconto na aquisição de bilhete.

Centro histórico de Évora

O que é? Évora tem um conjunto monumental impressionante. Passou por sucessivas ocupações até apresentar a face que tem hoje, mas guardou uma patine que encontramos em qualquer canto. Um breve passeio pelas ruas do cento histórico é tudo o que basta para nos levar até outro tempo.
O que tem para as crianças? Uma visão do que era (e é) uma cidade importante de província com um passado que vai até aos romanos. Às ruas estreitas, travessas e pátios largos, delimitados pelas antigas muralhas só faltam os sons e os cheiros para nos levarem de regresso ao passado.
Como visitar? Com tempo! Para além do Centro Histórico, toda a região de Évora merece atenção especial e, de menires ancestrais a saltos de paraquedas, tem programas para todos.

Mosteiro de Alcobaça

O que é? Um edifício gótico, considerado uma das Sete Maravilhas de Portugal. Os terrenos foram doados e a construção do mosteiro autorizada por D. Afonso Henriques.
O que tem para as crianças? Com 900 anos de História, não falta ao Mosteiro as suas próprias histórias para contar. Da vida monástica a amores proibidos, a cada esquina revelam-se novos pormenores. A visita aos túmulos de Pedro e Inês é seguida de um teatro de marionetas e uma oficina de expressão plástica.
Como visitar? Oferece visitas guiadas para escolas e grupos até 20 pessoas (marcação previa obrigatória). Descontos para grupos e famílias.

Floresta Laurissilva da Madeira

O que é? 20% da superfície da Madeira é coberta pela laurissilva, um dos últimos bosques ancestrais de Portugal e do mundo.
O que tem para as crianças? Escarpas impressionantes, quedas de água, lagoas discretas e túneis entre a rocha. É um bosque de grande beleza, onde um milhar de tons de verde surpreendem o visitante. Este era o aspeto do nosso país e boa parte do Mediterrâneo até ao Terciário.
Como visitar? Através das levadas das 25 Fontes e do Caldeirão Verde. Na Lagoa das 25 Fontes as águas que descem do Paúl da Serra formam uma miríade de fontes. A levada do Caldeirão Verde arranca a 990 metros de altitude no coração do Parque Florestal das Queimadas. O trilho oferece recompensas como a magnífica vista da vila de São Jorge e as montanhas agrestes da Madeira. No final, a beleza indescritível da cascata do Caldeirão Verde, uma imensa queda de água numa lagoa cristalina e fresca.