Escapadelas de Primavera: 7 propostas para o bom tempo

O país acorda para a Primavera e fomos à procura de 7 recantos portugueses para receber a nova estação. Aproveite este fim de semana para uma escapadela.

Já se sente no ar a poderosa mistura capaz de provocar tantas alegrias como alergias: a Primavera chegou com toda a força e acorda-nos da letargia que nos preencheu durante o inverno. Claro que não hibernámos durante os últimos 3 meses, mas a verdade é que estes dias cada vez mais compridos, o aroma dos campos floridos e a vontade de voltar a sair para a estrada são argumentos que nos obrigam a pegar no carro e partir para o reencontro com a natureza e com a vontade de viver. Felizmente, Portugal e a Primavera sempre tiveram uma ótima relação e o país abre as portas com alegria para receber a estação mais exuberante de todas. A Goodyear foi à procura de 7 recantos em Portugal perfeitos para receber a Primavera e foi este o resultado da nossa seleção.

Barrancos

Barrancos

Enquanto a primavera não dá passagem ao agressivo verão que ataca a Amareleja todos os anos, esta é mesmo a melhor altura para visitar a região. No extremo oriental do Alentejo, já como se fosse uma guarda avançada em Espanha, o Parque da Natureza de Noudar acorda para a nova estação de forma pujante e enérgica. Com várias estruturas disponíveis para turismo rural, a Herdade da Coitadinha aloja também um ecossistema vibrante: há raposas, texugos, veados, grifos e cegonhas (claro!) que, com os seus sons, vôos e rituais, tornam a paisagem surpreendente. Aqui perto fica ainda o Alqueva que, à volta do grande lago, passa também pelos seus ciclos anuais.

Mafra

Entre os montes e vales da região saloia, a Aldeia da Mata Pequena é um pequeno povoado rural dentro da Área de Proteção Especial do Penedo do Lexim, com uma dúzia de habitações, onde ainda se vive em comunhão com a natureza e se respira pacatez e autenticidade. Simples, rústicas, pequenas e muito acolhedoras, as casas rigorosamente recuperadas, das quais pouco mais restava do que paredes e ruínas, são fruto do muito trabalho de pesquisa, e sobretudo, da persistência de Ana e Diogo Batalha que lhes dedicaram um carinho só imaginável a gente apaixonada pelo que faz. São 13 habitações, com diversas tipologias, capaz de seduzir desde casais a famílias grandes.

Serra da Estrela

Quando as águas começam a escorrer pelas encostas abaixo e a vida da Serra da Estrela acorda para a nova estação, a região passa por mais uma das bonitas fases cíclicas que a tornam mágica em qualquer altura do ano. Em Manteigas, a Casa das Penhas Douradas fica a 1500 metros de altitude e é local privilegiado para encher os pulmões com o cristalino ar da Serra, sentir o silêncio e a tranquilidade e deixar a imaginação levar pela brisa primaveril. Para além do seu charme centenário, este hotel fica perfeitamente posicionado para partir para uma aventura de 4×4, trekking, BTT ou um relaxado passeio a pé pelos lagos e pelo verde.

Serra da Arrábida

Comodamente perto de Setúbal e Lisboa, a Serra da Arrábida é um excelente destino para uma dose rápida de natureza numa qualquer tarde de primavera, mas a Biovilla quer convencer-nos a alargar a estada. É um espaço de agro-turismo inserido no Parque Natural da Serra da Arrábida que desenvolve a sua actuação segundo uma filosofia sustentável. Assim, mais do que um projecto turístico, pretende ser um “exemplo vivo” e proporcionar a todos os visitantes uma experiência única e inesquecível. Disponível também para receber os nossos animais de estimação, pode ser a sede ideal para compridos passeios pela Serra, descer até às praias ou partir para a descoberta da gastronomia local.

Evoramonte

Muito mais discreta e menos badalada do que algumas das outras localidades que a rodeiam, como Évora, Montemor-o-Novo ou Estremoz, Evoramonte é, desculpem-nos o cliché, um oásis de calma quase no centro do Alentejo. E, se a vila e a região em volta têm motivos mais do que suficientes para uma estada demorada por estas paragens, a nossa recomendação vai para a Munda, um resort de ecoturismo em que somos convidados a passar a noite em yurts mongóis com uma vista mágica para as estrelas através de uma abertura no teto da tenda. A piscina, passeios entre as oliveiras e a vista para o Castelo de Evoramonte completam o quadro.

Peso da Régua, Douro

Peso da Régua, Douro

Mesmo que a altura do ano não seja aquela que normalmente associamos ao Douro, a primavera não se inibe e exibe-se com toda a sua força nestes socalcos. A Quinta da Pacheca, parte fundamental para entendermos tanto o rio, a produção tradicional da região e até Manoel de Oliveira, que aqui andou por alturas de Vale Abrão, está aberta a visitas em qualquer altura do ano, consciente que em qualquer estação há uma nova experiência a ser vivida. Depois de um passeio demorado por esta região em flor, há ainda provas de vinhos, cursos, almoços e jantares gourmet que esta quinta centenária oferece aos visitantes.

Serra da Gardunha

Muito em breve, a região do Fundão vai encher-se de cor e volta a receber a visita anual da cereja. Os pomares da Cova da Beira estão a cozinhar a sua maior riqueza e orgulho e os felizardos somos nós, que conduzimos por estas estradas embevecidos pela natureza. Na Serra da Gardunha, o Natura Glamping fica a cerca de 900 metros de altitude e oferece aos visitantes uns domos geodésicos muito curiosos e originais a partir dos quais temos uma excelente vista sobre a Gardunha e a Serra da Estrela. Daqui podemos partir para a descoberta do Zêzere, das Aldeias Históricas, Aldeias de Xisto e praias fluviais.