Quintas Pedagógicas: aprender com a natureza

Para que as crianças não pensem que o leite com chocolate sai de vacas castanhas é preciso conhecer a vida rural. As Quintas Pedagógicas ajudam.

Um guia de quintas pedagógicas em Portugal onde as crianças das cidades podem ter uma aproximação ao que é a vida no campo e as atividades agrícolas. É que, um pouco por todo o país, há quintas pedagógicas que visam dar resposta aos poucos conhecimentos que, cada vez mais as crianças, em particular as que vivem em ambiente urbano, têm sobre a vida no campo. Muitas crianças não sonham como chega a comida aos seus pratos e por vezes só conhecem os animais domésticos de criação dos desenhos animados.

Para fomentar o contacto de crianças e adultos com o meio rural e a vida animal, valorizar a partilha de experiências e ainda em alguns casos realizar atividades desportivas e de lazer têm sido criadas, ao longo dos anos, várias quintas pedagógicas em Portugal.

As quintas pedagógicas têm animais, mas também pequenos espaços de agricultura variada, que permite, num pequeno espaço ter contacto com a variedade que é a vida nas quintas. Cavalos, porcos, aves de capoeira, ovelhas, cabras, burros são alguns dos animais que se encontram facilmente nestes espaços. Por perto terrenos com a plantação da época. Cereais, tubérculos, árvores de fruto. Aproveitando o ambiente, muitas das quintas têm também fornos a lenha e cozinhas, além de salas para promover diferentes tipos de ateliers com as crianças.

Fazer pão, tecelagem, trabalhos manuais diversos e a oportunidade de tratar dos animais são apenas algumas das sugestões que em maior ou menor quantidade as quintas pedagógicas promovem.

Durante a semana, as escolas invadem as quintas que, regularmente promovem concursos. Ao fim da tarde e ao fim-de-semana é a vez das famílias. Tome nota de algumas das melhores quintas pedagógicas para visitar com crianças.

Norte do país

Em Braga, uma antiga quinta minhota tradicional foi recuperada e adaptada para funcionar como quinta pedagógica. No espaço procura-se recuperar e valorizar as tradições, costumes e etnografia minhotas.

Consoante a época do ano, a Quinta Pedagógica de Braga organiza vindimas, a desfolhada, o magusto, além de ser possível participar na confeção de broa de milho, compostas ou fidalguinhos. Em suma, uma grande variedade de atividades de agropecuária, ambiente, artes plásticas, cozinha, olaria, área equestre entre outras.

Criada em 2004, a Quinta Pedagógica de Braga é a primeira quinta a ser reconhecida a nível nacional como tal. A Quinta tem capacidade de receber cerca de 120 crianças (durante todo o dia), distribuídos por ateliês distintos.

A Quinta Pedagógica de Pentieiros, em Lagoas, Ponte de Lima, resulta da recuperação e valorização da área de produção da Quinta de Pentieiros. Esta quinta inclui um núcleo de Produção Animal, parques de animais ao ar livre, incluindo bovinos, ovinos, caprinos, estábulos e cavalariças, galinheiro, picadeiros, lago, núcleo de produção vegetal, horta pedagógica, viveiros, estufa, pomares, campo de plantas aromáticas e medicinais e jardins.

“Uma dia em mundo rural” é a proposta da Quinta para incutir nos participantes, escolas em particular, o respeito pelo mundo rural, através da experiência/vivência de um dia de trabalho numa quinta rural minhota que lhes é proporcionada. As atividades são desenvolvidas, nos núcleos de produção animal e vegetal, sob a orientação de um técnico do Serviço Área Protegida, explica a informação disponibilizada no site da Quinta.

Em Aveiro, inserida na Escola Equestre de Aveiro, a quinta pedagógica estende-se por quatro hectares. Além das atividades habituais proporcionadas por uma quinta pedagógicas – tratar dos animais, trabalhar na horta ou fazer pão –, as crianças podem aprender a montar a cavalo ou pónei.

O objetivo deste espaço é promover o gosto pelo contacto com o meio natural do campo, numa forte proximidade aos animais e a todas as sensações, ensinamentos e tradições que ele transporta.

Antes ou depois do passeio é possível fazer, em família, um piquenique no campo e, quem tiver mais coragem pode optar por fazer escalada, slide ou percorrer o circuito de pontes.

Prosseguindo para sul, no centro do país, chega-se ao Fundão. A Quinta Pedagógica fica no centro da cidade, perto da Estalagem da Neve e junto a um jardim de infância.

É propriedade da Santa Casa da Misericórdia do Fundão e pauta-se pela dinâmica das atividades. As crianças são acompanhadas por monitores experientes na realização de atividades experimentais e pedagógicas. A aventura e a descoberta da fauna e da flora e da sua relação com o Homem são uma constante.

São dois hectares com dezenas de espécies de animais e plantas. Destaque para o poço e para a ponte sobre o lago onde os patos vivem. Como é imagem de marca da maioria das quintas pedagógicas também aqui há um forno a lenha que enriquece a experiencia de recriação do ciclo do pão.

O espaço serve visitantes e a comunidade local que, deste modo ficam a compreender melhor o mundo animal, a agricultura, a fruticultura e as plantas aromáticas e medicinais. Além das visitas em família, é possível realizar visitas de grupo com marcação prévia.

Quintas pedagogicas - Quilometrosquecontam

No centro

Lisboa, como não poderia deixar de ser também tem as suas quintas pedagógicas. É o caso da Quinta Pedagógica, nos Olivais, um espaço de dois hectares colocado ao serviço dos habitantes da maior cidade portuguesa.

Ao longo do ano são celebradas as festividades e as atividades do calendário rural. As crianças podem participar nas atividades diárias da quinta e ajudar na lavoura, hortas e pomares, tratar os animais domésticos, efetuar a compostagem, descobrir e viver os percursos do pão, do doce e da manteiga, experiências que estão acessíveis a todos.

A quinta foi inaugurada em 1996 enquadrada nos molde de educação não formal. Anualmente é promovido, entre as escolas das região o concurso de espantalhos que conta sempre com grande empenho e adesão das crianças. Uma curiosidade no local é a árvore das chupetas, onde os mais pequenos penduram a sua chupeta quando deixam de precisar dela.

O plano de oferta de atividades divide-se em programas para as escolas, para as famílias e ainda dias comemorativos como o “Dia da Espiga”, da “Apanha da Azeitona”, da “Queima de Espantalhos” ou a semana da “Alimentação Saudável”.

Também em Lisboa, mas inserida no Jardim Zoológico, fica a Quintinha do Lidl. Para aceder a esta quintinha terá de comprar o bilhete de entrada no Zoo, mas depois de lá estar é uma delícia. No local há uma horta diversificada com um limoeiro, mas também se podem ver crescer cenouras e nabos (através de uma estrutura de acrílico), alfaces e morangos entre tantos outros produtos hortícolas.

O tratador explica tudo o que há a saber sobre estes animais domésticos que, neste caso, vivem “paredes meias” com os outros animais mais selvagens. Além do mais também as ervas aromáticas têm o seu espaço na Quintinha, incluindo orégãos, manjericão ou alecrim.

Em Cascais fica a Quinta Pedagógica Armando Villar, uma das primeiras, senão a primeira, quinta pedagógica biológica portuguesa. As portas estão abertas durante a semana, embora sujeitas a marcação prévia. A apenas 10 minutos da cidade, durante a visita poderá observar e interagir com as galinhas, patos, perus, gansos, e com o burro de Miranda chamado “Eléctrico”, o carneiro “Choné”, a porquinha “Minnie” e o cabrito “Cris”.

No local poderá conhecer a horta biológica e sistemas de rega tradicional. E, se prefere algo mais emocionante, à entrada são disponibilizadas instruções para um peddy paper que pode ser realizado ao longo de toda a visita.

Crianças - Quilometrosquecontam

A sul

A cerca de nove quilómetros de Setúbal, na reserva Natural do Estuário do Sado, na margem direita da ribeira da Marateca, fica a Herdade de Gâmbia. Mesmo antes de chegar à quinta a avifauna poderá ser vista por todo o lado: pato real, garça vermelha, flamingos, águia sapeira e também os pernilongos, os animais que deram nome à quinta: “o Lugar dos Pernilongos”.

Em torno do lugar existe um pomar, uma vinha, uma floresta com pinheiros bravos, pinheiros mansos e sobreiros, onde coabitam como aqueles animais já referidos, cavalos, vacas, ovelhas, galinhas, patos, coelhos, porcos entre outros. As atividades incluem ser veterinário por um dia, confecionar pão, fazer queijo fresco, passear pela herdade, apanhar cortiça entre outras atividades.

As visitas ao “Lugar dos Pernilongos” podem incluir um passeio a pé pela Herdade e há atividades especificamente preparadas para as escolas que incluem tradições rurais relacionadas com a vida do dia a dia numa quinta.

Já no Alentejo, poderá visitar a quinta pedagógica do Monte das Arouchas, um espaço de 70 hectares a menos de três quilómetros da cidade de Serpa.

Um lugar onde crianças e adultos podem interagir com os animais da quinta e fazer atividades ligadas ao mundo rural. Andar de carroça é uma das muitas atividades propostas no Monte, onde há também lugar para a aprendizagem. Aqui as crianças poderão explorar ao vivo o contacto com os animais e as plantas, fazer pão, doces e compotas, desenvolvendo deste modo práticas de “aprender fazendo”.

O local tem também uma zona de lazer com um parque infantil, onde as crianças podem descontrair depois de trabalhar no campo. Para terminar, no litoral algarvio, em Portimão, fica a quinta pedagógica da região. São também dois hectares de terreno, como outras já referidas, com espécies autóctones, zonas de cultivo, hortas e abrigos para os animais da quinta. Este projeto didático e recreativo foi inaugurado em 2008 a penar nas crianças e nas suas famílias.

Fica também no centro da cidade, como acontece com a quinta dos Olivais em Lisboa, mas não parece, porque o som ambiente é da responsabilidade dos passarinhos e outros animais que ali vivem. Do forno a lenha emana o cheiro a pão acabado de cozer e na horta crescem vegetais e legumes da época.

Ervas aromáticas estão espalhadas pelo terreno onde habitam cavalos, burros, patos, ovelhas, galinhas, porcos, entre outros. Todos os fins-de-semana são bons para passar umas horas na quinta pedagógica que organiza também ateliers para os mais pequenos incluindo a alimentação dos animais, a recolha de ovos ou a construção de espantalhos. É também a ocasião ideal para aprender a fazer pão.

Sazonalmente, é possível participar na tosquia das ovelhas, passear de burro, participar na desfolhada e debulha do milho. Para crianças com necessidades especiais são também providas atividades de psicoterapia inovadora, incluindo hipoterapia e outras atividades com a ajuda dos animais.

Antes de se deslocar às diferentes quintas pedagógicas – e acredite, há muito mais – não deixe de se informar. Algumas implicam o pagamento de entrada ou, pelo menos o pagamento das atividades em que pretende participar.