O que é a reprogramação da centralina? Vantagens e inconvenientes

11 Julho | 2019 | Goodyear

O que é afinal a centralina? Há décadas que a eletrónica chegou ao mundo do automóvel para ficar. Os carros atuais contam com um elevado número de componentes eletrónicos em comparação com a mecânica que imperava nos veículos do século XX. Por isso, é imprescindível estar ao corrente de algumas das modificações que podemos fazer no nosso carro para melhorar a sua prestação e uma delas é a reprogramação da centralina. A Goodyear explica em que consiste este processo e quais as vantagens e inconvenientes.

O que é a reprogramação da centralina?

Todos os veículos vendidos hoje em dia trazem incorporado um computador central que controla todos os componentes eletrónicos ligados ao motor. Chama-se Unidade de Controlo do Motor (ECU, acrónimo do inglês Engine Control Unit) e está encarregue do armazenamento dos parâmetros de funcionamento do veículo e de como deve atuar o motor em cada situação.

Estes parâmetros são muito amplos porque quando os fabricantes desenham um novo modelo de veículo fazem-no a pensar no mercado global, já que cada país tens regulações e necessidades diferentes. Por isso, mesmo que o motor seja o mesmo, funciona de maneira diferente conforme o mercado, dependendo das suas particularidades.

Tal é possível graças ao software da Unidade de Controlo do Motor e, como acontece com todos os computadores e programas, o código pode ser alterado. É o que se chama de reprogramação da centralina, a alteração da informação do computador que controla os componentes eletrónicos do veículo para que responda maneira que nós queremos.

O que é alterado não é, em caso algum, o motor ma sim um chip chamado “Eprom Flash”, que é onde se armazena a informação que é transmitida ao motor. Ao alterar o código do chip alteram-se também as instruções que são enviadas ao motor, pelo que este responderá de maneira diferente em relação ao que acontecia antes da reprogramação.

Vantagens de reprogramar a centralina

Ao alterar os parâmetros da ECU podemos mudar a temperatura do motor, a resposta do acelerador, as revoluções a que atua o motor, etc. Todas as funções podem ser modificadas ao reprogramar a centralina, de acordo com as nossas necessidades. Estas são algumas das vantagens da reprogramação da centralina.

  • Menos consumo de combustível: ao modificar o momento de injeção adequado, a quantidade de combustível ideal ou a pressão de admissão pode reduzir o consumo de combustível tanto em veículos a diesel como a gasolina.
  • Mais potência: ao alterar alguns parâmetros do motor conseguimos mais potência que pode servir para acelerar num momento de necessidade, como quando entramos numa autoestrada.
  • Adaptado ao nosso estilo: casa pessoa tem a sua maneira de conduzir, uns de forma mais suave, outros com um estilo mais agressivo. Ao reprogramar a centralina podemos adaptar o funcionamento do motor para responder eficazmente às nossas necessidades específicas.


Inconvenientes de reprogramar a centralina

Nem tudo são vantagens quando se trata de alterar a programação do motor do nosso carro. Há que ter consciência de que se trata de uma operação delicada que só pode ser levada a cabo por profissionais especializados e com experiência neste tipo de modificações. Eis alguns dos inconvenientes da reprogramação da centralina:

  • Perda da garantia: Oficialmente tal acontece, a não ser que a operação seja feita na oficina oficial do fabricante. No entanto, é muito difícil detetar e provar se for feita numa oficina especializada capaz de apagar o rasto da operação.
  • Há que comunicar na hora da inspeção: como no caso anterior, oficialmente sim. No entanto, com as ferramentas habituais dos centros de inspeção não é fácil detetar uma reprogramação da centralina, pelo que esta passa despercebida na maioria dos casos.
  • Pode aumentar o consumo: se o que queremos é ter mais potência é provável que, em troca, o veículo comece a consumir mais combustível já que esse aumento de potência tem que vir de algum lado.
  • Encurta a vida do motor: não tem que acontecer se a modificação for feita por profissionais ou em oficinas do fabricante. Mas se a alteração se destina a um estilo mais agressivo de condução isso pode provocar maior desgaste em alguns componentes e, assim, reduzir a vida útil do motor.

Agora já sabe em que consiste a reprogramação da centralina e tudo o que deve ter em conta antes de planear esta modificação no seu veículo. Mas convém tomar todas as precauções possíveis se, por fim, decidir ir para a frente: utilize uma oficina do fabricante ou os serviços de profissionais especializados, já que se trata de uma operação muito delicada.

 

Good Year Kilometros que cuentan