8 capelinhas da gastronomia beirã

Do litoral à raia, metemo-nos na estrada para descobrir 8 monumentos da gastronomia beirã. Venha connosco provar o melhor cabrito e borrego de Portugal!

Com uma paisagem que se estende do litoral até à raia, a Gastronomia Beirã tem muito por onde escolher. E as surpresas são garantidas. Encontrar boa cozinha de peixe bem lá para o interior não é nada complicado. Descobrir pratos de caça, feitos à maneira tradicional, fica só à distância de uma curta viagem de carro. Do bacalhau na brasa ao cabrito assado no forno, os ex-libris da gastronomia portuguesa têm nas beiras quem os sabe fazer com todo o esmero. Metemo-nos à estrada e fomos descobrir 7 restaurantes com o melhor da gastronomia beirã.

Meta dos Leitões, Mealhada

O leitão é uma das maiores riquezas da zona da Bairrada e não faltam bons restaurantes para o provarmos. Se conseguir fugir às horas de maior enchente, o Meta dos Leitões merece o destaque por manter o nível ao longo dos anos. Em alternativa, faça uma reserva porque o tempo de espera pode prolongar-se.
A provar: o leitão claro!

Kalifa, Castelo Branco

No centro da cidade, o Kalifa tem nome “estrangeiro” mas um espírito muito tradicional. O espaço é grande mas concorrido, com visita garantida tanto de locais como forasteiros. No verão aconselha-se que reserve mesa para aproveitar a esplanada.
A provar: as tijeladas e a achigã na brasa.

O Burgo, Lousã

Só o enquadramento já mereceria a visita ao Burgo. Em redor do restaurante fica um agradável espaço, com piscinas naturais e muito verde. Dedica-se à gastronomia da Serra da Lousã, com uma atenção especial à caça e a pratos genuinamente locais.
A provar: o javali com castanhas e o cozido do Talasnal.

Aquarius, Guarda

Mesmo para lá da Serra é possível encontrar bom peixe, que o Aquariu’s vai buscar à beira litoral. A montra tem sempre peixe-fresco, acabado de chegar, e até marisco. Apesar disso, o javali e o cabrito são mesmo beirões e confecionados à maneira tradicional.
A provar: a truta à casteleiro e as costeletas de javali.

Manjar do Marquês, Pombal

O Manjar do Marquês é um ícone das viagens pela Estrada Nacional 1. O espaço é enorme, com lotação para mais de 1000 pessoas, mas a verdade é que ainda é possível comer bem neste “gigante”. A cozinha aqui não é exclusivamente beirã, mas é definitivamente tradicional.
A provar: o borrego à moda do Pombal e o arroz de carnes.

Vallécula, Valhelhas

No Largo do Pelourinho de Valhelhas, Manteigas, o Vallécula é outro nome que orgulha a região. Espaço mais pequeno do que a fama que o precede, o melhor é fazer uma reserva. É unanimemente considerado um dos melhores restaurantes beirões e, para alguns, pertence ao top nacional.
A provar: o lombo de vitela beirã é um sonho, o puré de maçã parece ter sido feito com as maçãs do pecado e o bacalhau na tiborna caiu do céu.

3 Pipos, Tondela

O 3 Pipos tem ambiente rústico e acolhedor e destaca os vinhos de quinta da região do Dão. São, afinal, a melhor companhia para os sabores tradicionais aqui servidos. No espaço recuperado onde antigamente existiam adegas, servem-se algumas iguarias emblemáticas da nossa gastronomia.
A provar: o bacalhau com broa à 3 Pipos e as costeletas em vinha de alhos.

Santo Amaro, Sertã

Inspirado no nome do santo invocado na capela situada nas proximidades, possui duas salas de refeições, a de jantar e a marisqueira. Tem sala panorâmica e a sua sopa de peixe já foi várias vezes premiada.
A provar: a sopa de peixe, os maranhos da Sertã e o bucho recheado