000 Cinco restaurantes para comer a cerca de uma hora do Porto - quilometrosquecontam

Cinco restaurantes para comer a cerca de uma hora do Porto

1 Maio | 2019 | Goodyear

Para comer uma boa refeição não precisa de fazer centenas de quilómetros. Compilámos para si cinco restaurantes localizados a cerca de uma hora do Porto.

Para comer bem não é preciso fazer grandes viagens. Desta vez o ponto de partida é a cidade do Porto. Tome nota de cinco restaurantes a uma hora do Porto que não pode deixar de conhecer.

Integram igualmente cinco destinos onde se pode, além de comer e beber, passear e descansar. Descubra o que ver, comer e visitar sem se afastar mais do que uma hora da cidade invicta.

Arouca

Arouca, comodamente aninhada no fundo de um vale, tem por muralhas um sólido conjunto de serras que lhe empresta a proteção e cria um micro clima bem específico. O Douro não fica longe, mas é o Rio Paiva e, mais recentemente, os seus Passadiços, que chamam os forasteiros a esta região. Em toda a volta, as serpenteantes estradas da serra são um prazer para a condução, cenários incríveis para a experiência telúrica de passar pelo Portal do Inferno.

Para comer pode optar pelo restaurante onde tudo sabe a montanha. É o Pedestre 142 que evoca os caminhos da montanha e os seus sabores. Tudo o que ali é servido é produzido localmente desde a carne aos legumes, passando pelos doces.

Os pratos são servidos em tábuas de madeira e nas sobremesas predominam os doces conventuais e regionais. Há castanha doce, morcelas, barriga de freira ou charutos, do único produtor de doces conventuais de Arouca. Pedestre 142 fica junto ao centro da vila.

Em redor de Arouca recomenda-se a visita às aldeias rurais e uma passagem na Serra da Freita. O Miradouro da Frecha da Mizarela tem a cascata mais alta de Portugal continental e uma vista inebriante. Aqui perto, o Rio Caima convida a passeios e os trilhos do Arouca Geopark levam-nos a ao coração da serra.

Castelo de Paiva

O concelho de Castelo de Paiva é marcado pelas paisagens deslumbrantes das margens do Douro, Paiva, Arda e Sardoura. Tem ainda um património arquitetónico de interesse, de casas senhoriais e notáveis exemplos de Igrejas e Capelas. Abunda a talha dourada e imagens religiosas que cativam para uma visita mais demorada.

Da Idade Média, chegaram até aos nossos dias as sepulturas escavadas na rocha do Penedo de Vegide, conhecidas como Pia dos Mouros, além do Marmoiral de Sobrado, monumento associado à memorialização da passagem do cortejo fúnebre da Raínha Santa Mafalda e que integra a Rota do Românico, não esquecendo o Pelourinho da Raiva.

Do monte de S. Domingos, rodeado por profundos vales onde correm os rios Arda e Douro, é possível admirar uma paisagem deslumbrante. O montanhismo, os passeios pedestres e o BTT são práticas habituais nestes montes.
Pare para almoçar no restaurante Dona Amélia, na Quinta Maria Amélia, em Bairros.

O espaço tem boa cozinha portuguesa e da região, incluindo cabidela, anho, cabrito e vitela assados no forno a lenha. Alguns dos pratos, as estrelas da casa, implicam reserva prévia. O serviço é caseiro, o espaço recatado, a decoração rústica. Ideal para famílias especialmente as que apreciam pão de ló de Castelo de Paiva.

Penafiel

O rio Douro e o Tâmega passam a sul, mas é o irmão mais pequeno, o Sousa, que marca definitivamente a região de Penafiel.

Além de emprestar a toponímia a muitas das vilas das suas margens, sacia a sede por onde passa. A construção local é bastante característica.

O granito mistura-se com o xisto e a ardósia, nos cunhais das paredes, padieiras, molduras de portas e janelas. Os traços do românico juntam-se ao utilitarismo rural e o resultado é uma arquitetura singular.

No centro histórico da cidade ainda podemos ver alguns exemplos disso: construção com blocos de granito, que depois são decorados com azulejos, apainelados e diversos outros pormenores.

O restaurante Ramirinho é a opção acertada. As portas estão abertas há 60 anos e é uma casa de referência para os apreciadores da boa gastronomia no Norte de Portugal.

Fica em Penafiel, tem um um ambiente acolhedor e uma ementa ainda melhor, que cativa os clientes respeitando a tradição dos sabores típicos da rica e variada cozinha portuguesa.

Quem visita o Ramirinho pode esperar sair satisfeito, tanto pelo sabor e abundância dos pratos como pelo atendimento cuidado, dizem os proprietários.

Entre-os-Rios

Com vista para o abraço entre o Tâmega e o Douro, Entre-os-rios tem um dos mais belos panoramas da região. E, quando estamos a falar do Douro, a concorrência é forte.

Suba até à Capela de São Miguel para encontrar um pequeno edifício românico com uma vista incrível. Se vier com fome, a terra é famosa pelo sável e lampreia, pescados aqui mesmo. No Sameiro, o ponto mais alto de Penafiel, o Santuário de Nossa Senhora da Piedade, há um frondoso jardim e uma magnífica vista.

Poderá tomar a sua refeição no restaurante o Miradouro. É um um restaurante com grande tradição na região, muito procurado em especial na época da lampreia.

Situado em Entre-os-rios, na confluência dos rios Tâmega e Douro, oferece uma paisagem da rara beleza natural que poderá desfrutar enquanto saboreia as iguarias da casa.

As especialidades incluem milharas com salada, bacalhau confeccionado de diversas formas e, claro, a lampreia LINK, na sua época.

Paço de Sousa

É uma freguesia repleta de edifícios do Românico. Paço de Sousa é também uma região agrícola onde o verde está por todo o lado. O velho Mosteiro do Salvador é a última morada de Egas Moniz, o aio de Dom Afonso Henriques, onde encontramos o seu túmulo.

A cerca de 100 metros, o Solar Egas Moniz é um espaço de turismo rural de charme, com uma enoteca e uma lareira perfeitas para nos aquecer a alma.

O Zé da Calçada é a opção para comer em Amarante. No centro da cidade, o restaurante é, ao nível da gastronomia autêntica da região, a casa mais célebre da cidade de Amarante. O restaurante Zé da Calçada é conhecido pela sua localização na zona histórica da cidade, pela varanda sobre o rio Tâmega, pelo requinte no atendimento e, especialmente, pela sua gastronomia. As condições do local são óptimas para a organização de casamentos baptizados e outros eventos.

O restaurante abriu em 2001, tendo as suas origens ainda antes. A história do espaço cruza-se com a tradição familiar de cerca de 22 anos na área da restauração.

E é assim, para comer bem não é preciso fazer viagens enormes. O ponto de partida é a cidade Invicta e estes são cinco restaurantes a uma hora do Porto que não pode deixar de conhecer.

Good Year Kilometros que cuentan