Rota das castanhas: onde provar as melhores?

Rota da Castanha: onde é melhor em Portugal e que localidades estão a preparar a festa da sua colheita.

Não há fruto que mais se associe ao outono que a castanha. Quando começamos a falar de castanhas, é sinal de que vamos começar a ver carrinhos a vender castanhas assadas nas praças das cidades. E que vem aí o “verão de São Martinho”. Ainda falta algum tempo, mas o magusto é uma das oportunidades para as famílias, amigos e vizinhos se reunirem uma última vez na rua, antes da chegada do inverno. Antes da introdução da batata na Europa (depois de 1789, em Portugal), a castanha foi a base da alimentação europeia, integrando a gastronomia tradicional de Portugal e de muitos outros países europeus. A árvore de onde nasce dá origem a madeira, a matéria-prima de muito do mobiliário que tradicionalmente existe nas casas portuguesas. Venha com a Goodyear conhecer a Rota da Castanha em Portugal.

Em Portugal, a produção de castanha é mais rica na região de Trás-os-Montes, nomeadamente em alguns concelhos dos distritos de Vila Real e Bragança. A cultura está ecologicamente adaptada e já recebeu a Denominação de Origem Protegida (DOP) Castanha da Terra Fria.

Rota das castanhas: onde provar as melhores?

A castanha da Terra Fria DOP

De “forma elíptica alongada, cor castanha avermelhada, brilhante com linhas escuras e longas”. É esta a descrição oficial da Castanha da Terra Fria DOP, obtida a partir do castanheiro das variedades Longal, Judia, Côta, Amarelal, Lamela, Aveleira, Boa Ventura, Trigueira, Martaínha e Negral. Os lotes DOP são compostos por 85% de uma das variedades, podendo o remanescente ser qualquer uma das variedades referidas. Incluem-se ainda na denominação as castanhas piladas, congeladas, confitadas ou em calda.

Os frutos têm de ser produzidos e colhidos na área geográfica delimitada. Têm ainda de ser recolhidos do chão, sem recurso a métodos mecânicos ou outros para forçar a queda do fruto.

Estrada Nacional 2

A Rota da Terra Fria

Sendo um produto de excelência das terras de Trás-os-Montes, têm sido propostos, ao longo do tempo, percursos que permitem conhecer e interpretar este valioso produto com origem em Trás-os-Montes. É o caso da Rota da Castanha em Trás-os-Montes que integra diversos percursos regionais nos quais se pode usufruir de territórios onde a cultura do castanheiro está presente. O castanheiro tem sido, inclusivamente, ao longo dos séculos, de grande importância para a sobrevivência da população rural local.

Outra proposta é a rota da “Terra Fria” que aqui revisitamos agora com um foco nas castanhas e nos castanheiros. Aqui, as paisagens preenchidas com castanheiros seculares que assumem tonalidades outonais de rara beleza são a fonte de inspiração desta nossa viagem que atravessa concelhos como Vinhais, Bragança e parte de Vimioso, áreas mais densamente povoadas por soutos e castinçais.

Por isso, o portal da Rota da Terra Fria pode servir de guia para esta proposta de rota da castanha ou não fosse a castanha um dos ex-libris da região. Aponta percursos e itinerários, mas tudo o resto é consigo. A proposta desta rota por Trás-os-Montes inclui um traçado viário de 435 quilómetros pelos concelhos de Bragança, Miranda do Douro, Mogadouro, Vimioso e Vinhais.

Rota dosRota das castanhas: onde provar as melhores? Vinhos do Dão

A oferta da Rota

Se prefere programas já organizados, a Rota da Terra Fria tem uma proposta para duas noites e três dias. Depois de fazer check-in no estabelecimento de alojamento aderente, recebe a “Maxi box” da Rota. Depois irá poder desfrutar da ementa “Escapadinha na Rota da Terra Fria Transmontana” num jantar num dos restaurantes aderentes. Aqui poderá degustar um trio de entradas regionais, pratos de gastronomia regional da época, rematado com doçaria regional.

Depois de pernoitar e de tomar um pequeno-almoço com produtos locais e da época é altura de fazer um passeio pedestre ou em BTT/bicicleta. Opcionalmente poderá optar por um passeio de burro ou pelo circuito dos pombais do planalto mirandês. O almoço (e mais tarde jantar) será tomado num dos restaurante aderentes nos mesmos moldes do jantar do primeiro dia. O passeio da tarde é pelos bosques pode incluir um passeio nos soutos com interpretação e colheita de castanha da Terra Fria. Se ficar por mais de quatro noites terá direito a um programa mais vasto.

Rota das castanhas: onde provar as melhores?

Vimioso e Miranda do Douro

Pode começar o seu passeio por Trás-os-Montes, em Quintanilha, junto à fronteira internacional para conhecer os vales superiores do Maçãs e do Angueira, com passagem por Vimioso. Vimioso é uma vila portuguesa, situada no extremo nordeste de Portugal, no distrito de Bragança e na sub-região do Alto Trás-os-Montes.

O primeiro foral desta vila foi atribuído no século XVI, mas a região é ocupada desde tempos pré-históricos. Há vestígios no cabaço da Atalaia, sobranceiro à vila. Localizado na região fronteiriça, foi um ponto estratégico de defesa, com o Castelo de Algoso (seculo XIII) construído junto ao rio, sobre um abismo a 681 metros de altitude. Aproveite a visita a propósito das castanhas para visitar as minhas de mármore e alabastro em Santo Adrião. Anualmente realiza-se uma feira, em Avelanoso, no concelho de Vimioso, subordinada ao tema: a castanha e os produtos da terra de Avelanoso.

Aproveite para fazer um pequeno desvio, saindo de Vimioso, percorre a bacia de apanhamento do Angueira e deleita-se com o planalto de Miranda. Contorna em seguida a Terra de Miranda, onde poderá ver as cristas escarpadas do Douro e conhecer a cidade de Miranda do Douro, partindo depois para Sendim e terminando este troço na vila de Mogadouro.

Em Miranda do Douro, poderá ficar na Casa de L Cura, um empreendimento de turismo em espaço rural. A casa foi recuperada e tem um design único, desenhado para receber num “contexto cultural com características vincadamente rurais mas integrada no núcleo urbano”.

Rumo à capital de Trás-os-Montes: Bragança

Finalmente, com a Serra Nogueira em pano de fundo, poderá optar por passar pela cidade de Bragança. A não perder na cidade é a visita ao castelo. É um dos mais antigos e bem preservados do país. E ainda por cima, acompanhou os tempos, dispondo de cafés e restaurantes para gáudio de todos nós.

A castanha é um produto de excelência das terras de Bragança, tendo sido definidos vários percursos que permitem conhecer e interpretar este valioso produto com origem em Trás-os-Montes. No site do município a proposta vai para a Rota da Castanha, proposta pela UTAD e constituída por oito percursos – Milenar, Fagaceae, Paisagista, Judia, Dourado da Padrela, Janela p’ro Douro, Vale Encantado e Castanha Martainha.

Na região, poderá ficar na Casa da Aldeia de França, num dos principais núcleos do Parque Natural de Montesinho, junto ao rio Sabor e a 16 Km de Bragança. A casa fica em frente a uma mata de carvalhos e dispõe de um grelhador exterior, coberto para que possa fazer churrascos.

Mas, se prefere comer fora, a opção pode ser, entre outros, o restaurante típico “o Javali”, uma casa típica, segundo o Turismo de Portugal.

Castelo Montesinho

Vinhais: muito mais que enchidos

Seguir-se-á uma passagem pelo vale de Tuela e uma visita a Vinhais e ao seu fumeiro. A vila de Vinhais fica no extremo norte de Portugal, em Trás-os-Montes, numa zona plana na margem esquerda do ribeiro das Trutas, rodeada de outeiros e com a Serra da Coroa a envolvê-la. Esta é uma região com vestígios arqueológicos de antiga ocupação humana, onde se podem encontrar inscrições e gravuras rupestres e vários Castros.

Vinhais é conhecida pelos enchidos e pelos vinhos. Mas nesta localidade a castanha é também um fruto abundante que dá origem, inclusivamente a uma festa. A localidade acolhe, desde 2005, a “Rural Castanea – Festa da Castanha”, este ano entre 19 e 21 de outubro. Aqui a castanha é rainha e, a par dos outros produtos de Outono (vinhos, cogumelos, artesanato), realiza-se um Magusto no, diz a organização “Maior Assador de Castanhas do Mundo”, onde todos são convidados a participar e provar castanhas assadas. Os restaurantes aderentes aproveitam a ocasião para confecionar pratos tradicionais à base do fruto. Este tipo de certame não passa sem a apresentação de sonoridades tradicionais, jornadas gastronómicas e exposições de produtos regionais.

Continuando a sua rota, e depois de sair de Vinhais, poderá ficar alojado no Parque Biológico de Vinhais, dentro do Parque Natural de Montesinho. Poderá em seguida percorrer a meia-encosta da serra de Montesinho e aproveitar para visitar a mítica aldeia de Rio de Onor que já destacámos em artigos anteriores como, por exemplo, uma das mais bonitas aldeias de Portugal.

Penedono, Sernancelhe e a memória medieval da Beira

Fora de rota: Sernancelhe

Se vier do sul, poderá, na ida ou na vinda, passar por Sernancelhe. Aqui, na “terra da castanha” tem lugar a festa da Castanha, um evento de três dias – este ano entre 26 e 28 de outubro – de homenagem àquele fruto. O evento está munido de muita gastronomia e animação. A programação inclui ainda um passeio pedestre “Rota da Castanha e do Castanheiro” (27 de outubro) e um passeio de BTT (28 de outubro).

Em Sernancelhe coabitam as paisagens de vale e montanha. A zona é influenciada pela “ventosa Serra da Lapa, pela verdejante Borralheira, pela granítica Zebreira e pelos numerosos ribeiros que irrigam os pastos e os terrenos agrícolas à sua passagem, completa-se um cenário construído ao longo de séculos pela natureza e pelo homem”, descreve a página oficial do município.

Aqui poderá optar por quatro passeios distintos, incluindo “Vila de Sernancelhe”, um passeio para fazer com calma no centro da localidade, “Serra da Lapa”, onde poderá apreciar o Santuário Mariano com mais de meio século. Outra opção é “Entre a Serra e o Rio”, percorrendo aldeias e testemunhando as suas tradições rurais e agrícolas, e vibrando com o Rio Távora e as aldeias ribeirinhas. Finalmente, o percurso da “Serra do Pereiro”, com os seus santuários e romarias.

Rota da Castanha: planos para o São Martinho

E por todo o país

Mas, a castanha é muito popular em muitas outras regiões do país. Durante os meses de outubro e novembro, multiplicam-se iniciativas por todo o país. Além dos eventos referidos há feiras e outros eventos em Arouca, Marvão, Oeiras, em Curral das Freiras, na Madeira, Lousã, Covilhã, Coentral, São Pedro de Castelões, Sabugal, Carrazeda de Montenegro, Mortágua, Folgosinho, Trancoso, Celorico de Basto, Celorico da Beira, Moimenta da Beira, Famalicão da Serra, na Guarda, Vila Pouca de Aguiar, Valença, Aldeia das Dez, Góis, Penalva do Castelo e Pindo ou Terra Chã. Estas são apenas algumas localidades nas quais identificamos eventos de promoção da castanha (por vezes a par de outros produtos como jeropiga, vinho ou cogumelos) um pouco por todo o país.

A castanha como motivo para conhecer um pouco melhor este nosso Portugal. Uma rota por terras frias e mais além a não perder.