Viseu: rota pelo interior verde do país

4 Fevereiro | 2019 | Goodyear

Há muito mais em Viseu além de uma cidade, a segunda mais populosa da região centro do país. Neste artigo vamos viajar por diferentes trilhos que dão a conhecer a riqueza natural e histórica de vinte freguesias do concelho. Os trilhos e rotas foram homologadas pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal e estão distribuídos por todo o concelho. Venha daí com a Goodyear nesta rota por Viseu.

Os preciosos vinhos do Dão

Viseu é uma cidade e um distrito na região da Beira Alta, região das Beiras e sub-região de Dão-Lafões. A cidade tem cerca de 68 mil habitantes e o concelho aproxima-se dos 100 mil habitantes. A Comunidade Intermunicipal de Viseu Dão Lafões, a que pertence Viseu é composta por 14 municípios e serve uma população de cerca de 270 mil habitantes.

Viseu tem, a norte, o concelho de Castro D’Aire, a nordeste Vila Nova de Paiva, a leste Sátão e Penalva do Castelo, a sudeste Mangualde e Nelas, a sul Carregal do Sal, a sudoeste Tondela, a oeste Vouzela e a noroeste São Pedro do Sul.

Viseu é ainda o centro nevrálgico da produção de vinhos do Dão, em torno da qual se está a desenvolver um autêntico ecossistema vocacionado para os vinhos e gastronomia. Há uma nova geração de jovens que acredita ser possível fazer coisas modernas e de qualidade sem renegar a tradição local. Há público e oferta. Mas, acima de tudo, há vinho e pratos de qualidade excecional para justificar uma visita gastronómica à região do Dão.

Viseu, encruzilhada dos sabores e vinhos do Dão

Percursos naturais

É mais de uma dezena de percursos naturais, um incentivo à prática física e ao convívio familiar ao ar livre. Além de terem vários graus de dificuldade, duração e comprimento, há também mistérios e histórias escondidos em cada etapa. Para cada uma das etapas a autarquia criou uma pequena descrição. Aí encontra informação sobre os locais de partida e chegada, o tipo de percurso – por exemplo paisagístico, histórico, cultural e desportivo.

A duração, a dificuldade, os desníveis e a época aconselhada para fazer o percurso – que no limite é “todo o ano” são outras informações partilhadas pela autarquia. Não podem faltar as normas de conduta, os contactos úteis e os cafés e restaurantes que se podem encontrar em cada uma das rotas.

Estas rotas, definidas pela autarquia, permitem conhecer as paisagens naturais e o património histórico do conselho. É o caso da rota de Santa Eufémia, na freguesia de Barreiros e Cepões, com nove quilómetros. Outro destaque é a Grande Rota Mamaltar de Vale de Fachas, uma das mais extensas que se prolonga por 35 quilómetros e que é partilhada por quatro freguesias: Viseu, Rio de Loba, Mundão e Cavernães.

Termas de Alcafache

Opções mais curtas são, por exemplo, a rota das Termas de Alcafache, São João de Lourosa. É um percurso pedestre com dois quilómetros de distância. A partida e a chegada são junto às termas de Alcafache e o caminho faz-se ao longo do rio Dão e junto às Termas de Alcafache. É cerca de uma hora de caminho.

Rota dosRota das castanhas: onde provar as melhores? Vinhos do Dão

Barreiros

Também na categoria de pequenas rotas, está a Rota da Carqueja, em Barreiros. É outra opção de nível de dificuldade baixa e pouco acentuada. É um percurso pedestre com 3,650 quilómetros. A partida – e chegada é junto ao Largo de Carvalho, próximo da Junta de Freguesia. Esta Rota permite conhecer a povoação de Travasso, passando por uma zona florestal e agrícola. Com a duração de 45 minutos, é também aconselhável para qualquer um durante todo o ano.

Torredeita

Apontamos a Rota dos Moinhos de Água D’Alte, em Torredeita. Este percurso é circular com início e término na antiga estação de caminho-de-ferro de Torredeita. Tem uma distância de aproximadamente 4,5 quilómetros que podem ser percorridos em cerca de hora e meia através de caminhos rurais e florestais, ao longo da antiga linha férrea, passado por uma zona de moinhos junto à Ribeira de Farreco.

Ranhados

A Rota da Laje, Ranhados, é a próxima proposta. É de dificuldade baixa, mas já obriga a percorrer 6,5 quilómetros com partida e chegada junto ao Largo Senhora da Ouvida, junto à Igreja Paroquial. Esta rota de uma hora e quarenta e cinco minutos passa por zonas florestais e agrícolas ao longo da povoação de Ranhados. O nível de dificuldade é baixo e os desníveis acentuados.

Outras rotas pedestres em Viseu são as rotas de Corvos/Santos-Êvos; do Feto/Mundão; da Ribeira de Várzea/Calde; de Vale de Cavalos/Côta; do Quartzo/Campo; de Santa Eufémia/Cepões, do Dão/Silgueiros e dos Três Trilhos/Fragosela.

Para este conjunto de percursos – que vai variando anualmente – é organizado, durante a primavera e verão, ações coletivas de incentivo à vida saudável nas populações. Ou seja, além de se poder percorrer os trilhos em qualquer época do ano, pode percorrer-se mais acompanhado a partir de março.

Viseu

Ecopista do Dão para toda a família

Para pedalar tem a Ecopista do Dão/Viseu, Orgens, S.Cipriano, Vil de Souto, Coutos, Torredeita e Farminhão. Esta ecopista ocupou o caminho deixado pela antiga linha de caminho-de-ferro. São famílias inteiras a apreciar as delícias naturais do Caramulo e da Região de Viseu.

Se preferir pode sempre seguir a pé. Embora, 50 quilómetros não se façam de uma só vez. Os desníveis quase não existem, o que é uma vantagem, pois pode escolher uma ou várias etapas, sem preocupações relacionadas com a inclinação.

Penalva do Castelo

A Casa Ínsua, em Penalva do Castelo, a cerca de 25 quilómetros de Viseu é o primeiro empreendimento da Paradores fora de Espanha. Dificilmente encontrará melhor poiso para conhecer o Dão do que este hotel de charme. O edifício solarengo de estilo barroco foi convertido num hotel de cinco estrelas.

Além de hotel é um museu e um produtor de vinhos reconhecidos. Após a reabilitação, manteve as fachadas e interior ricamente decorados, magníficos azulejos barrocos, tetos trabalhados, lareiras, armas indígenas brasileiras e muito mais.

Regresso a Viseu

Um dos locais recomendados para comer é o restaurante Hilário, em Viseu, onde se tem acesso a comida típica beirã, num restaurante de ambiente e gestão familiar. Mas a oferta é, naturalmente, muitíssimo mais extensa. O site VisitViseu os links para algumas dezenas de restaurantes e cafés na cidade.

E, se visitar Viseu, diga-nos o que viu mais. Focámo-nos nos trilhos e rotas pedestres e cicláveis, mas há muito mais para ver nesta que é o segundo maior agregado populacional no centro de Portugal, a seguir a Coimbra.

Good Year Kilometros que cuentan