Sistemas de assistência à condução, o futuro, hoje.

As funcionalidades de assistência à condução estão a mudar a forma como andamos de carro. Conheça 8 que vão aumentar a sua segurança e conforto.

Os nossos carros estão a ficar mais smart. Vão ter inteligência artificial e ligar-se em rede aos seus companheiros, mas já são capazes de ajudar na condução. Já vos apresentámos o futuro da segurança  mas agora vamos passar em revista o que já temos ao nosso dispor. Os sistemas de assistência à condução são elementos cada vez mais presentes no nosso carro e estão a mudar muitos hábitos. Conheça 8 que tornam a sua condução mais segura e confortável.

Os Sistemas avançados de assistência à condução têm sido gradualmente introduzidos para permitir maior segurança e melhor condução. Não têm a mesma designação em todos os fabricantes nem estão disponíveis em todos os modelos, mas podem ser sumarizados dentro de um conjunto de funcionalidades normalizadas. Alguns podem ser opcionais/upgrades, mas vários deles poderão transformar-se no futuro em obrigações legais. Este segmento é um dos temas em maior desenvolvimento na indústria automóvel e esperam-se ainda mais inovações durante os próximos anos.

Os sistemas de assistência à condução estão na vanguarda da tecnologia. Usam sistemas de RADAR, LiDAR, processamento de imagem, múltiplas câmaras e integram-se em redes Vehicle-2-vehicle. A começar pelos topos de gama, todas estas novas ideias e inovações, começam a chegar a cada vez mais veículos. Depois de serem vistas como luxos, vamos entrar na fase da sua massificação.

Monitorização da pressão dos pneus

Começam a ser uma característica procurada pelos gestores de frotas, mas também chegarão em breve ao grande público. A informação sobre a pressão de ar dos pneus é uma funcionalidade relativamente simples e muito conveniente. Foi objeto de uma diretiva da União Europeia em 2012 e iremos assistir a cada vez mais carros com esta funcionalidade.

Sistemas de assistência à condução, o futuro, hoje.

Manutenção na faixa

Esta funcionalidade apresenta-se em duas versões. 1) Aviso de mudança de faixa: o carro deteta as marcas no asfalto e toca um sinal de alarme se o carro se afastar da trajetória. 2) Sistema de manutenção na faixa: além de detetar, o computador procede à correção na direção. O sistema deixa de atuar se o condutor assinalar a mudança de faixa com o pisca.

Sistemas de prevenção de colisões

Os nossos carros têm cada vez mais sensores e, em último caso, é para isto que eles servem. Temos câmaras, sensores de proximidade, sistemas de radar e lidar, capaz de detetar quaisquer obstáculos. Outros veículos, peões, animais e outras obstrução podem ser registadas e disparar uma resposta. Poderá emitir um sinal sonoro, luminoso ou ativar os travões e realizar ações preventivas como aplicar tensão aos cintos.

Travagem automática

Esta funcionalidade faz parte dos sistemas de prevenção de colisões mas merece destaque próprio. Na maior parte dos casos, a intenção não é necessariamente evitar a colisão, sendo preferível reduzir a velocidade de forma a causar menos danos. Em alguns modelos, o carro pode ativar diretamente os travões, enquanto outros disparam um aviso e preparam os cintos.

Controle adaptativo de velocidade cruzeiro

Este sistema avançado aumenta e diminui a velocidade de acordo com a marcha do carro que nos precede. Pode ativar os travões em caso de emergência, apenas variar a marcha ou ainda obrigar o condutor ao cumprimento dos limites de velocidade máxima.

Detecção de sonolência do condutor

A forma de detetar o grau de atenção do condutor varia de marca para marca. Câmaras apontadas para as marcas na estrada registam desvios, ou sensores detetam os olhos abertos do condutor, são dois exemplos. A resposta do sistema depende da severidade da situação. Começa com um buzz e pode terminar com um som ensurdecedor que só pode ser desligado depois de pararmos o carro.

Deteção de pontos cegos/ângulos mortos

Com tantos sensores no nosso carro, o computador “vê” coisas impossíveis para o condutor. Este sistema irá soar um alarme se detetar a presença de um objeto numa zona registada como “ponto cego”. Noutros casos, são os espelhos retrovisores a apresentar uma luz vermelha de alerta.

Controlo de luz adaptativo

Os faróis adaptativos são capazes de acompanhar o movimento do veículo, iluminando a zona que mais nos interessa. A maioria destes sistemas melhoram a visão nos cantos mas alguns também são capazes de se ajustar em resposta às condições climatéricas, à presença de outros veículos e outros fatores. Outros sistemas usam sensores para determinar quando o brilho deve ser ajustado, alternando entre os médios e os máximos de forma a não encadear o veículo que vier na nossa direção.