Tabernas e Tascas no Alentejo: comer, beber, viver!

Visitámos 10 tabernas e tascas no Alentejo onde se canta, convive e aprecia sabores genuínos. Traga amigos, encoste-se ao balcão e viva o sabor alentejano.

A gastronomia alentejana é surpreendentemente diversificada. Mas, do litoral até à raia, há uma constante nos sabores da região. São para ser apreciados com quem gostamos, em convívio e amena cavaqueira. São paladares especiais, para serem apreciados entre pessoas especiais. Não admira portanto que muitos das melhores noites gastronómicas alentejanas acabem em cantoria. O cante tem diversas formas e tradições, mas qualquer forasteiro entende a sua alma e é livre de participar.

É fácil fazer amigos em qualquer tasco alentejano. Encoste-se ao balcão, peça uma taça de vinho e um pratinho recomendado pelo dono da casa. Para ajudar, aqui ficam 10 Tabernas e Tascas no Alentejo, com alguns dos melhores petiscos regionais.

Taberna do Liberato, Moura

Um espaço descontraído com espaço para a música, serviço ao balcão e uma carta de sabores regionais. Pequeno, não se admire de ver clientes em pé, em convívio, sem pressa para se sentarem. Já teve a honra de receber uma visita de Marcelo Rebelo Sousa.
A provar: os queijos regionais e as asas de frango fritas

Tasca do Montinho, Alcórrego

Aqui o tema principal é a caça, com perdizes e lebres na carta, mas também com petiscos para nos entreter. Pergunte sempre quais são os pratos do dia, porque o menu é variado e depende da sorte na caça e altura do ano.
A provar: a sopa de tomate com carne fria e a empada de perdiz

Taberna do Adro, Elvas

Restaurante familiar, com sabor a comida caseira, mas à moda do Alentejo. O pequeno espaço fica no adro da igreja e a fama precede-o. Deixou de ser a “taberna da terra”, e recebe agora visitantes de todo o país.
A provar: a paiola defumada, a tiborna com azeite e umas azeitonas divinais.

Tasca do Celso, Vila Nova de Milfontes

Uma referência na gastronomia típica do Alentejo, embora não seja uma verdadeira “tasca” nem o “Celso” seja proprietário. Apresenta uma das adegas mais interessantes da região, com vinhos de todo o país, num espaço acolhedor e rústico.
A provar: o queijo de ovelha e enchidos regionais

Adega Velha, Mourão

Um ambiente rústico e castiço, com a decoração com os tons e matérias primas do Alentejo. Aqui canta-se, à maneira local, acompanhado do silêncio respeitoso dos convivas. Depois do repasto não se admire se, in promptu, começar uma genuína sessão de cante.
A provar: os espargos com ovos, a sopa de cação e o pão acabado de fazer.

O Rola, Carrasqueira

Aqui as especialidades são os pratos de peixe, mesmo que as entradas sejam suficientes para alegrar o estômago. Não se iniba de fazer um repasto só com “pratinhos” e aproveitar a esplanada no pino do verão, mas guarde espaço para feijoada de búzios ou o arroz de lingueirão.
A provar: o choco frito, a salada de búzios e as amêijoas.

Botequim da Mouraria, Évora

Considerado pelo Trip Advisor como “melhor restaurante do Alentejo”, é um espaço pequeno com balcão para uma dezena de clientes. Mesmo assim não falta quem queira provar os magníficos sabores alentejanos que oferece. Os pratos mudam conforme o mercado e a época do ano e há sempre surpresas.
A provar: os ovos de codorniz, o queijo de Serpa e os espargos bravos.

Adega do Isaías, Estremoz

Uma casa que está há mais de 60 anos na mesma família, mesmo que o “Isaías” já tenha infelizmente falecido. Decorado como uma adega, com mesas e bancos corridos, ainda resistem as talhas do vinho que é servido a jarro. Genuíno e sem pretensões.
A provar: as bochechas de porco e as migas de espargos.

Taberna do Arrufa, Cuba

Apesar do espírito mais jovem, no Arrufa preserva-se a atenção à tradição. As refeições são servidas entre a sala e um quintal com esplanada, muito recomendável no verão. Mesmo chegado depois de quase todas as outras seleções incluídas nesta lista, já tem um lugar na gastronomia alentejana.
A provar: as orelhas de coentrada, os pimentos assados e o grão de bico com bacalhau.